Asfalto e favela




14 fevereiro 2011

(futility)

Diariamente ouço pessoas conjugando o verbo  julgar...
Você é dali...
Eu sou daqui...
Isso pode...
Aquilo não pode!
É muito fácil fazer isso!
Quando era menor em tamanho físico
Achava que funcionava da seguinte forma:
Algumas pessoas ficavam usando roupas de rainha, poderiam ser iguais a da Xuxa também, sentadas em um trono, na rua, seguravam um cajado banhado a ouro e onipotente da verdade apontava para outro ser que usava calça Jeans e camiseta branca, ou um utensílio que não fosse de rei!
Em seguida todas as outras pessoas em volta, guiadas por seu rei, ou por seus reis, esculachavam aquele que era considerado: favela! 
Lógico que não é assim que acontece!
Pensamento besta de criança!
Quem disse que as crianças eram sábias: asfalto ou favela?
Cretino é quem não ouve uma criança!
(lilian farias) 

0 comentários:

Postar um comentário

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma