Palavras do Amor




11 abril 2011



A despedida era tão dolorosa para ambos
Que antes de chegar
Já se fazia presente.
Queriam tocar-se pela eternidade.
Representavam com os dedos:
Um retrato;
Um tempo parado;
Um dia eterno.
O grande e o pequeno
Apareciam nas mãos...
Encantados com cena
O espaço convidou a luz
Trocaram carias
Beijaram na boca
E na velocidade do brilho
Nasce o primogênito:
Devaneio
O devaneio abraçou o casal
Que coberto pela luz
E amparados pelo tempo
Enganaram a despedida!

Lilian Farias
11/04/2011

3 comentários:

  1. Linda poesia c/ rastro d imensa saudade bjoO

    ResponderExcluir
  2. Ola amiguinha,Lindo seu blog,me admiro hoje como uma menininha q conheci com dez anos de idade com tanta vividez no olhar e curiosa em saber o q significava a palavra erótico q ouvia na musica dos mamonas 'robocop gay,lembra disso?rsrsrsrsrsrs e agora tornou-se uma escritora e poetiza,adorei todos seus textos,espero poder ler seu livro em breve,um amplexo.

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Adorei a lembrança!
    Olha no que deu ouvir Mamonas Assassinas.....

    Abraços amigo!

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma