Da objetividade




20 junho 2011

Quando te disse que o caminho era involuntário
Não acreditou!
Agora queres firulas linguísticas?
Estamparei a ausência em teu sorriso sarcástico
Teus olhos emudeceram... A tal ponto de congelar?
Insólitos serão os dias!
Nas fotografias vergastadas
O deserto do silêncio falará ao fim:
Eternamente o início sempre será!

Lilian farias

0 comentários:

Postar um comentário

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma