Subversiva e peligrosa




29 dezembro 2011

by ~Kriedz
Assim que bater naquela porta
Cuspirei na tua cara
Não seria mais refém de tuas mentiras piegas
É estranho pensar em você
E
Não lamber tua sola
Olhar em meu peito
E desconhecer teu retrato falado
Está decidido:
Assim que bater naquela porta
O silencio do meu amor
Jogará ácido nas tuas células
Fará carnificina de tua semana
Diminuirá teus dias
Amaldiçoará teus anos
Eu te avisei, pudor...
Assim que bateres naquela porta
E ousar adentrar nas minhas entranhas
Cuspirei fogo na tua genitália!

Lilian Farias

6 comentários:

  1. Nossa, a ilustração ficou perfeita com o contexto. Gosto da intensidade do que você escreve.

    Beijos
    @LeitoraIncomum

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, querida!
    Fico feliz que goste do q escrevo!

    ResponderExcluir
  3. Adoro tudo que você escreve...
    Fascinante...
    Parabéns..

    ResponderExcluir
  4. Adorei tudinho aqui! Estou seguindo...se puder me segue tbm!Bju!
    http://palomaviricio.blogspot.com

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma