A artista do corpo, Don DeLillo




18 agosto 2013

(A artista do corpo, Don DeLillon. Companhia das Letras, 2001. 122 p.)


Lauren Hartke é uma artista do corpo. Ela acabou de perder o marido Rey Robles, um cineasta independente. O sofrimento a isola do mundo e na casa a beira-mar vive uma desconcertante experiência. Ali, Lauren encontra um ser que parece saber tudo sobre sua relação com o falecido. Ele é capaz de reproduzir as falas tão recorrentes ao casal.

DeLillo inicia seu livro com uma cena rotineira do casal. O café da manhã de Lauren e Rey parece algo ensaiado e no mais demostra o quanto uma relação tornar-se repetições diárias com o tempo. Logo em seguida o suicídio do cineasta é anunciado por uma notícia de jornal. Poderíamos dividir o livro em dois períodos e esses são enunciados por reportagens a respeito de ambos.

O luto de Hartke prolonga-se no restante do livro e os diálogos com o ser desconhecido e sem nome no casarão de praia levam o leitor a uma narrativa desestabilizadora. Aos poucos, essa artista do corpo cria performances impossíveis e retorna com suas apresentações. Aqui teríamos uma segunda parte do livro também noticiada.

O livro é curto e suas 122 páginas permitem ao leitor uma nova experiência literária. A narrativa de DeLillo construída em um mundo desestruturado remete ao mais intimo do ser humano. Leva-nos a enxergar as possibilidades do irreal. 



Por R.S.Merces

5 comentários:

  1. Parece ser bem interessante! Fiquei curiosa com o "que" pode ser esse ser...

    ResponderExcluir
  2. diferente do que costumo ler, parece ser muito bom, gostei

    ResponderExcluir
  3. Um livro curtinho mesmo. Mas fiquei curiosa para conhecer essas possibilidades do irreal.
    Gostaria de conhecer a história da Lauren.

    ResponderExcluir
  4. Não é o tipo de livro que costumo ler, então nem me chamou tanta atenção assim. E a capa... eu não entendi o que é direito na capa...

    ResponderExcluir
  5. meio diferente , mas acho que me atreveria a ler só por curiosidade

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma