Resenha O poder da energia




14 dezembro 2013










Bom, conseguir uma parceria com a NC é uma alegria para a maioria dos blogs literários, confesso que fico sempre ansiosa para receber meus preciosos para resenhas; visto que amo a minha parceria! Quando vi o título do livro: O poder da energia; de Brendon Burchard; 304 páginas; fiquei curiosa, pois se tratava de algo novo que até o momento eu havia visto na editora.  A curiosidade deu lugar a uma leve decepção...

O Poder da Energia, de Brendon Burchard, nos convida a pensar grande e a transcender as ideias a que nos acostumamos, enquanto, ao mesmo tempo, aprendemos a comandar nossa própria consciência. Convida-nos a uma existência muito mais planejada, onde o controle sobre o prazer e sobre a dor estará em nossas mãos. E como é possível apoderar-se assim da vida? Podemos escolher entre seguir nossos impulsos, ou dirigir a nossa atenção e atividade a um estado mais elevado de motivação. Podemos deixar que a vida nos leve, ou tomar as rédeas de nossa história até que possamos realmente desfrutá-la. Para encontrar um propósito na experiência humana e ultrapassar qualquer circunstância limitadora, O Poder da Energia o levará a se conectar a algo maior que as coisas do dia a dia; algo que vai conduzi-lo do mundano ao mágico, de uma vida inepta à plenitude.

Acho que a sinopse diz tudo, né?!?! A primeira coisa que não gostei, foi o marcador, um cara de terno, como cara de ‘eu sei de tudo’ com o dedão indicador apontado para o leitor, no caso: eu. Para mim, não passou de mais um livro de autoajuda comum, mais um livro no meio de tanto que acham que possuem a fórmula da felicidade com uma leitura Norte Americana do positivismo.
Amo a filosofia oriental no que concerne ao poder da mente, lei deveras sobre isso, gosto de neurolinguística, mas não acredito que o Norte americano tenha mesmo a receita dessa tal felicidade. O livro não me provocou e nem me fez refletir para sair da minha zona de conforto, quase não consegui chegar ao final, era tanta definição, tanto rótulo criado pelo autor.
Acho que dessa vez a Editora não foi feliz na escolha, existem autores nacionais que fazem isso muito melhor. Não tenho problema com o gênero autoajuda, mas tem que ser algo muito bom mesmo. Nesse caso, prefiro ler Osho, Jung, Buda etc.

Apesar de não ter gostado, eu recomendo, o fato de a leitura não ter me agradado, não dignifica que não agradará outras pessoas. Este livro será presente para uma aluna que se encantou logo nas primeiras páginas e eu fico feliz com isso; o livro acordou um leitor para o nosso mundo! 

5 comentários:

  1. não costumo ler esse tipo de livro, gostei da sinopse, mas não é o meu tipo de leitura...

    ResponderExcluir
  2. Eu nem gosto quando acontece isso, de criar altas expectativas com o livro e depois eu não gostar :/
    Não bateu vontade de ler o livro.

    ResponderExcluir
  3. Ixi, eu nem gosto de livros que são meio auto ajuda, acho que não pretendo ler este livro.

    ResponderExcluir
  4. um livro muito bom, eu ganhei de presente e me agradou bastante

    ResponderExcluir
  5. Realmente o que agrada a um pode não agradar a outro... mas eu não fiquei com vontade de ler esse livro rsrsrsrs

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma