Resenha – Azul da cor do mar




23 fevereiro 2014



Não tem como não pensar no saudoso e maravilhoso Tim Maia; com sua fabulosa música: Azul da cor do mar “Ah!/ Se o mundo inteiro/ Me pudesse ouvir/ Tenho muito pra contar/Dizer que aprendi...” O que por coincidência é o mesmo nome do livro da talentosíssima Marina Carvalho, pela Editora Novo Conceito,  334 páginas. E se a música emociona o livro não fica atrás. Deixo claro que fiz esta leitura ao som de Tim Maia; inevitável!

ACASO, DESTINO ou LOUCURA? No caso de Rafaela, Pode ser tudo isso junto. Para alguém como ela, nada é impossível. Rafaela sonha desde a adolescência com o garoto que viu uma vez, perto do mar, carregando uma mochila xadrez... A idéia fixa não a impediu, porém, de ser uma menina alegre e muito decidida. Ela quer ser jornalista, e seu sonho está se concretizando: Rafaela Vilas Boas (um nome tão imponente para alguém tão desajeitado) conseguiu um estágio no melhor jornal de Minas Gerais. Mas, como estamos falando de Rafa, alguma coisa tinha que dar errado. O jornal é mesmo incrível, mas seu colega de trabalho, Bernardo, não é a pessoa mais simpática do Mundo. Em meio a reportagens arriscadas – e alguns tropeços -, Bernardo acaba percebendo, contra a sua vontade, que Rafaela leva jeito para a coisa... E que eles formam uma dupla de tirar o fôlego. Mas e a mochila? E o garoto, o envelope, as cartas? Um dia a estabanada Rafaela vai ter que se libertar dessa obsessão.

Quero deixar bem claro que eu acredito no acaso; no destino e na loucura! E por brincadeira do destino, Rafaela aos 11 anos se apaixona por um rapaz de olhos azuis. Ela não sabia nada sobre a vida dele; mas seus olhos marcaram sua alma e seu coração de menina!
A grande questão é que essa paixão foi se arrastando por longos anos; e uma década depois, sem esquecer os olhos da cor do mar, na faculdade, Rafaela vai trabalhar como jornalista.
E lá, ela conhece Bernardo, um mega-gato-lindo-tudo-de-bom, que é a pessoa a quem ela deve se reportar para aprender na prática a profissão que deseja exercer! Contudo, ele é muito chato, não deixa nada passar, pega no pé da garota, coitada! Mas, Rafaela não é de levar desaforos para casa e sempre rebate as grosserias do Bernardo; ela é uma mulher que sempre cai e levante, literalmente... (risos)
A Marina consegue pegar o óbvio e transforma em amável e sucesso. É uma linda história de amor; uma narrativa leve e que nos envolve em sentimentos diversos! Já havia lido Simplesmente Ana e elogiei bastante na resenha que fiz para o blog literatura de cabeça; confesso que Azul da cor do mar é tão genial quanto!

A novo conceito acertou com a autora que se faz leve; livre e solta na sutileza das palavras que derrama em sua obra literária! O livro está mega indicado para aqueles dias chuvosos com chocolate quente; ou, quem sabe, para ler na praia e sonhar,  até mesmo, no ônibus; contanto que leia... 

2 comentários:

  1. Que delicia de livro, já gostei pela sujestão de ser um livro para os dias mais gostosos, friozinho e acompanhado de um bom livro, capa uma perfeiçao

    ResponderExcluir
  2. leitura otima, eu amei, sua resenha ficou perfeita..parabéns

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma