Resenha – A menina que media as palavras




02 março 2014



Ai, gente: para tudo! Cada livro infantil que recebo da Quatro Cantos Editora é mais perfeito que o outro. Dá vontade de voltar a ser criança; a relação sensorial das leituras dos livros infantis da Quatro Cantos é nostálgica; amorosa. Muito bom, isso!

Em A menina que media as palavras, o poeta Luis Dolhnikoff constrói com poemas-diálogos uma cativante conversa entre a menina Elvira e seu amigo “coloridão, bonachão e grandalhão”. Com grande beleza sonora e instigantes jogos de sentido, leva os pequenos leitores a descobrir a razão do nome das coisas, partindo da discrepância entre o tamanho delas e o tamanho das palavras que as designam – além de apresentar um olhar peculiar sobre os aspectos biológicos da turminha que habita este livro singular. Para as ilustrações, contou com o extraordinário trabalho do premiado ilustrador Guilherme Zamoner, que materializa Elvira e seu amigo, além de todo um mundo habitado por seres e coisas que são, ao mesmo tempo, conhecidas e inusitadas. Para isso, abusa de detalhes e constrói cenas divertidas e curiosíssimas, repletas de intrincadas traquitanas. A menina que media as palavras proporciona às crianças um contato maravilhoso – e verdadeiramente raro – com a linguagem poética.

A menina que media as palavras, de Luis Dolhnikokk e ilustração de Guilherme Zamoner, é uma doce mistura de poesia com brincadeira. O Luis transformou algodão doce (eu gostava muito quando criança) em palavras; a riqueza da ilustração trouxe um ar de traquinagem de menino; de curiosidade; de brincadeiras na rua com amigos. É cheiro de infância mesmo!

Os conceitos trazidos em cada verso retratam as pureza e curiosidade nata das crianças. As interrogações podem ser compreendidas como as interrogações que elas sempre proferem aos adultos.

No meio de perguntas e filosofia, a brincadeira linguística é quase uma regra indispensável para vida do livro, formando assim, uma dança sem rótulos e cheia de graça.

As cores das ilustrações e os moldes materializados; nos faz adentrar no mundo infantil ou simplesmente trazer a crianças que por vezes deixamos adormecida!  E vais além, é O livro recomendado para todas as escolas e para os cursos de Pedagogia; retrata a realidade das crianças da Educação infantil e pode ser muito bem aproveitado até o 5º ano do Ensino fundamental.


Mas se você não é professor; não tem filhos; não tem sobrinhos ou contato com crianças, não se preocupe, o mundo não está perdido: leia A menina que media as palavras e dê vida a sua criança! 

2 comentários:

  1. É um livro que estou a muito tempo querendo ler .. é muito interessante

    ResponderExcluir
  2. não faz muito meu gênero de leitura, mas achei o post muito bom

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma