Resenha – Por toda a Eternidade




03 março 2014



Outro livro fofo; Por toda a eternidade de Kristin Hannah, Novo Conceito, 400 páginas, me cativou do início ao fim! Eu não li o primeiro livro (bem a minha cara), mas procurei resenhas para compreender todo o enredo!

O primeiro livro conta a história de Tully e Kate. Retrata a amizade das duas. E, lógico, se é uma continuação, elas continuam na história; mas com um agravante, Kate morre de câncer.

Tully Hart é uma mulher ambiciosa, movida por grandes sonhos que, na verdade, escondem as lembranças de um passado de abandono e dor. Ela acredita que pode superar qualquer coisa ao esconder bem fundo os sentimentos de rejeição que carrega desde a infância... Até que sua melhor amiga, Kate Ryan, morre. Então, tudo começa a mudar para Tully, que se vê escorregando em um precipício cheio de memórias melancólicas e remédios para dormir... Dorothy Hart — ou Cloud, como era conhecida nos anos 1970 — está no centro do trágico passado de Tully. Ela abandonou a filha repetidas vezes na infância. Até que as duas se separaram de uma vez por todas. Aos dezesseis anos, Marah Ryan ficou devastada pela morte da mãe, Kate. Embora seu pai e seus irmãos se esforcem para manter a família unida, Marah transformou-se numa adolescente rebelde e inacessível em sua dor. Tully tenta aproximar-se de Marah, mas sua incapacidade para lidar com os sentimentos da afilhada acaba empurrando a menina para um relacionamento infeliz com um rapaz problemático. A vida dessas mulheres está intimamente ligada, e a maneira como elas vão rever seus erros e acertos constrói um romance comovente sobre o amor, a maternidade, as perdas e o novo começo. Onde há amor, há perdão...

A morte também é capaz de fazer muitos renascerem; de trazer novas perspectivas de vida. E é justamente isso que vai acontecer com cada personagem desta história. Preparem-se para chorar...

"Abro os olhos e descubro que estou numa maca de hospital.Há um homem com um avental branco ao meu lado. Ele é alto e com a aparência um tanto desgranhada, com cabelos pretos grandes demais para esta época certinha."

Todos terão que aprender algo com a morte de Kate; por meio da saudade, várias sentimentos vão se desvelando e criando um ar emocionante a história. O enredo é psicológico e cheio de redenções, entre conflitos e mágoas; muito amor adentra para dá a pitada que a vida precisa. Vida e morte fazem um casamento perfeito num ritmo acelerado, como o próprio viver norteado por cronos; e nessa brincadeira, eu devorei o livro e me vi num rio de lágrimas.


O que a autora revela são histórias reais; fatos cotidianos das relações que vemos todos os dias. Sem máscaras, porém com poética e riqueza de emoções! 

2 comentários:

  1. Um otimo livro, gostei da capa, da narrativa que muito me agradou ... resenha muito boa

    ResponderExcluir
  2. a capa desse livro é perfeita, gostei muito da sinopse , bem envolvente

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma