Resenha – Refém da obsessão




25 março 2014




Certo, certo, certo; eu não consegui me livra da obsessão de ler sérias do fim ou meio. E, lógico, com Refém da obsessão, Alma Katsu, Novo Conceito, 350 páginas; não poderia ser diferente!

Ao tomar consciência de sua verdadeira situação, Adair sentiu-se como se tivesse uma âncora amarrada à cintura e fosse puxado ao fundo do mar. [...] Adair deixou que o desespero passasse por ele como uma doença selvagem, porém discreta; era melhor incorporar aquele ódio, lembrar-se da impotência humilhante que sentia e guardar sua raiva para o dia em que estivesse cara a cara com Lanore. Esse ódio o alimentaria na dura caminhada que tinha pela frente, e esta era mais difícil do que imaginava. [...]  Levantou-se da cadeira, e uma força começou a crescer dentro dele. - Sim, recuperarei o que perdi e será mais rápido do que você imagina. Disso eu não tenho dúvida. E então voltaremos nossa atenção a Lanore, e a encontraremos, e lhe daremos a punição que merece.

Considerei os primeiros capítulos mega misteriosos e melancólicos. Adair, depois de 200 anos enterrado vivo e tendo que se adaptar ao novo mundo – imagina o choque cultural? – alimenta um desejo de vingança visceral por Lanore. Esta, que por sua vez, foi capaz de sentir de imediato, quando ele se livro da prisão que ela impôs!

“Na manhã seguinte, Adair levantou-se cedo depois de uma noite agitada. A escuridão da noite não chegava nem perto do negrume e do silêncio de sua tumba. Por isso, não acordar ao menor sinal de luz no céu e ao menor barulho na rua. Por outro lado, depois de passar a noite em uma cama decente, já desenvolvera um apreço pela genialidade dos colchões e suportes de cama modernos”

Alucinada pela certeza de vingança de Adair; Lanore foge e tenta encontrar apoio em pessoas que nem sempre estão dispostas a ajudar... Com o tempo compreendemos melhor o sentido do título do livro e como Adair e Lanore se assemelham numa doença mortal para dois imortais!

Apesar de não ter lido o primeiro livro, não fui impedida de compreender a história. A autora narra intercalando fatos passados e presente, então o leitor consegue sacar bem o que aconteceu. Contudo, para que não leu, fica o desejo louco de ler o primeiro livro; ao menos foi o que aconteceu comigo!


Quanto ao que cabe a editora, neste caso, Novo Conceito, eles foram felizes em tudo: diagramação; capa; revisão o trato estético com o livro é nota 10. Confesso que fico ansiosa para receber os livros e saber qual a surpresa agradável da vez. Nunca me arrependi! 


4 comentários:

  1. Olá Lilian,

    O primeiro livro e esse estão na minha lista de espera de leitura e confesso que sua resenha me animou bastante....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Livro perfeito, sinopse envolvente e capa escandalosamente linda

    ResponderExcluir
  3. um livro lindo demais, gostei da sinopse e a capa perfeita

    ResponderExcluir
  4. Olá :)
    A capa desse livro é linda *--* aparenta ser um livro muito bom, quero ler um dia. :)
    bjus...

    http://my-stories-wonderful-books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma