Resenha – O menino da mala – livro 01




04 abril 2014




Como estava ansiosa por esta leitura: O menino da mala, de Lane Kaaberbol e Agnete Friis, Arqueiro, 252 páginas. Algo me dizia que um livro diferente e uma narrativa audaciosa me esperariam.

“Você adora salvar as pessoas, não é? Bem, aqui está a sua chance.” Mesmo sem entender o que sua amiga Karin quer dizer com isso, Nina atende seu pedido e vai até a estação ferroviária de Copenhague buscar uma mala no guarda-volumes. Dentro, encontra um menino de 3 anos nu e dopado, mas vivo.Chocada, Nina mal tem tempo de pensar no que fazer, pois um brutamontes furioso aparece atrás do garoto. Será que ela está diante de um caso de tráfico de crianças? Sem saber se deve confiar na polícia, ela foge com o menino e vai à procura de Karin, a única que pode esclarecer aquele absurdo.Quando descobre que a amiga foi brutalmente assassinada, Nina se dá conta de que sua vida está ameaçada e que o garoto também precisa ser salvo. Mas, para isso, é necessário descobrir quem ele é, de onde veio e por que está sendo caçado.Neste primeiro livro da série da enfermeira Nina Borg, vendido para 27 países, as autoras Lene Kaaberbøl e Agnete Friis apresentam uma heroína que luta contra seus demônios e busca fazer justiça em meio à crueldade e à indiferença do mundo.

Nina Borg não é uma personagem parada. Não é uma mocinha boba que se derrete em indecisões. Ela é enfermeira da Cruz Vermelha e está sempre disposta a ajudar. E a sua pré-disposição para fazer o bem, fará com que sua amiga, Karin, peça um ‘pequeno’ favor: pegar uma mala na estação de Copenhague.
Se a vida de Nina já era agitada na Cruz Vermelha, tenham certeza que agora vai ficar mais agitada. Conseguir pegar a mala não foi tarefa das mais fáceis, contudo, descobrir o conteúdo da mala, foi um baita susto.
Uma criança nua e dopada numa mala. E agora? O quê fazer? E se a polícia a descobrisse? Como iria explicar aquela situação?
Estava tudo tão confuso, uma mala perseguida por um louco fortão disposto a matar; o conteúdo da mala: uma criança.
Mikas, o nome do garoto da mala, tem mãe e pai. Mãe que por sinal está acordando no hospital de uma concussão cerebral, por ter bebido demais; algo muito estranho para quem não bebe. Mas o pior está por vir, sempre pode piorar, quando vai a procura do seu filho, descobre que ele está desaparecido.
E Nina, que entrou na história de gaiata, precisa de respostas. Quem é aquele garoto? Qual a razão de ele estar numa mala? E aquele louco violento que queria a mala? Sua amiga poderia ter as respostas, mas fora assassinada.
Uma trama emocionante, violenta, agitada e forte. Achei o título poético; a capa também, porém a história não é tão bonitinha, realmente era algo diferente, sem mocinhas chatas; algo envolvente e emocionante.
A editora está de parabéns pela excelência no trabalho e as autoras também. Mereceu as cinco estrelas no skoob e está mega recomendado! 


1 comentários:

  1. Olá Lilian,

    Li e resenhei esse livro no blog, gostei bastante, apesar que achei a leitura um pouco amarrada, mas quero ler os demais livros delas.....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma