Resenha – Primavera Eterna




12 novembro 2014




Primavera Eterna, Paula Abreu, Editora Arqueiro, 124 páginas, é um livro fofo para quem quer ter uma tarde relaxante com chocolate. Sim, leituras e gostosuras. Maia, a protagonista, é divertida e inocente. Conta sua saga desde que conheceu Diogo.

Maia é uma jovem publicitária bem-sucedida. Tem um emprego estável, um namoro estável, uma vidinha estável. Até demais. Certo dia, tentando imaginar como seria sua vida no futuro, o casamento, os filhos, visualiza duas crianças loirinhas correndo... Loirinhas? Então ela se dá conta de onde vem aquela cor de cabelos: Diogo, o menino por quem se apaixonou à primeira vista aos 12 anos, numa cidadezinha do interior, onde costumava passar os fins de semana com a família. Acontece que ele se mudou para os Estados Unidos há mais de dez anos, e a essa altura da vida, já nem deve se lembrar mais dela. Mesmo assim, num impulso, Maia pede férias na agência, inventa uma viagem de trabalho como desculpa para o namorado e vai para Nova York, atrás do seu primeiro amor. Primavera Eterna é a história de uma jovem cheia de sonhos esquecidos, que ousa arriscar tudo o que tem e acaba encontrando a si mesma.

Entre encontros e desencontros, a autora tece um romance engraçado e leve que nos faz virar as páginas sem ver o tempo passar. Maia conheceu Diogo ainda criança. Ele se mudou para os Estados unidos e ela ficou no Rio de Janeiro sofrendo de paixão. Mandava cartas para ele, que nunca respondia, então, resolveu esquecê-lo.

“E voltei correndo para casa, o céu chovendo em mim e eu chovendo na estrada de terra batida.”

Anos depois, Diogo liga pra ela e marca um encontro, mas não aparece. Maia fica decepcionada e se culpando. Mas resolve seguir a vida de maneira tão insossa. Teve vários namorados, se envolveu em muitas confusões, até que um dia, resolve largar tudo e ir para New York atrás do seu primeiro amor.
Maia tem uma criança interior; uma adolescente apaixona presa. Na vida adulta, resolve soltar tudo e arriscar. Adoro isso! As pessoas mudam, ou talvez não mudem, mas a verdade era que Maia não conhecia seu primeiro amor o suficiente para tal loucura. Mesmo assim, ela arriscou sem medo de ser feliz...
Gostei do livro, primeiro, pela capa e título. Sim, eu degusto cada parte de uma obra. Depois contextualizo. Depois, saber que a autora era nacional e eu não conhecia, então pensei: “A Arqueiro, editora grande, está dando espaço para autoras desconhecidas?”
Mas o fato de eu não conhece-la, não significa que seja uma desconhecida, só que sou desinformada.
O terceiro, e mais importante, fato para eu gostar do livro é a história. É um livro carismático. Eu o li em uma hora; num daqueles dias que estamos tão estressados que parece que nossa cabeça vai explodir. Pois é, então relaxei. Lembrei do meu primeiro beijo. Também não lembro mais do rosto do rapaz, mas sei o nome... hehehehehhehe

Para saber mais, recomendo que leia. Talvez você goste mais que eu; talvez, tanto quanto eu. Ou simplesmente você repudie a obra. Mas, acredito que devemos sempre ler. Beijo para todas e todos!

8 comentários:

  1. Em primeiro lugar, como designer e desenhista eu achei super fofo a ilustração do livro <3
    Parece muito com os da Malipi. Outra, "Maia tem uma criança interior; uma adolescente apaixonada presa." muito eu isso.
    Fiquei curiosa para ler agora *-*

    Um beijo
    Pretty Things!

    ResponderExcluir
  2. Oi flor !!! Não sou de comprar livros tão pequenininhos mas já me surpreendi diversas
    vezes com livros assim . O fato de não se colocar muitas expectativas também ajuda ...
    você não citou mas esse livro parece ser um ótimo chick-lit :)

    Abraços e parabéns pela resenha...

    ResponderExcluir
  3. Deve ser um livro gostosim de ler comendo bolo e tomando chocolate. Hauhauahuahua. Às vezes eu gosto de pegar um chick-lit beem bobinho e só ler, sem ter que ficar pensando muito e tentando desvendar mistérios. Esse parece ser ótimo para dias de saco cheio e paciência vazia....

    ResponderExcluir
  4. ah, me pareceu ser uma leitura leve e poética... eis o que venho necessitando de uns dias pra cá rsrsrs
    gostei da capa dele tbm, combina com o título do livro... Eu tb fico empolgada com a harmonia do livro, não só pela história em si, mas pela composição dele... xD
    bjs, flor <3

    ResponderExcluir
  5. Eu curto livros nessa vibezinha gostosa que nos fazem relaxar, sorrir relembrar coisas boas...
    Já quero, esse tipo de leitura para mim é sempre um imenso prazer.
    Beijos Lili <3
    ♫ Conversas de Alcova ♫

    ResponderExcluir
  6. Resenha incrivel, um livro interessante e maravilhoso..personagens envolventes. Muito bom

    ResponderExcluir
  7. Olá Lilian,

    Essa é a primeira resenha que leio desse livro e gostei muito de saber a sua opinião, me animou ainda mais, espero ler futuramente.....abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Que livro fabulosa, um tema que muito chama minha atenção alem de ter uma capa linda

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma