Poesia na alma - Uma flor em cálice de dor




06 março 2015

Bom dia a todas e todos, atendendo ao convite que recebi de minha queridíssima Lilian Farias, inicio, hoje, um projeto de colaboração onde eu estarei derramando um pouco de mim neste espaço cedido com tanto carinho. Obrigada Lilian!

Como eu espero que nossa convivência perdure por muito tempo, vou me apresentar brevemente, pois tenho certeza que nos tornaremos velhas amigas ao longo dos anos.  Sou a colunista no Blog FLOR ROXA – Poemas & poesias e é basicamente isso que trarei para vocês: poemas, poesias, enfim textos poéticos, especialmente feitos por mulheres e que falem desse universo tão rico e aquilo que nos atravessa.

Sou capixaba, nasci em Vitória do Espirito Santo e moro em Vila Velha desde que me entendo por gente. Sou brincalhona e seria ao mesmo tempo, como boa libriana abomino a injustiça seja ela do tipo que for.

Ao final de 2014, fui licenciada no curso de pedagogia. Se pretendo atuar na área? Sim, em sala de aula, tenho um sonho de trabalhar com a modalidade EJA-Educação de Jovens e Adultos, dando ênfase a leitura e a escrita.

Amo livros de romance e cataloguei na adolescência, cerca de dois mil títulos que para mim eram meu único e mais caro tesouro, de lá para cá me transformei numa velha coruja devoradora de paginas inocentes.



E como apaixonada pela leitura que sou e amante da poesia, hoje, trago para este post uma das poesias de uma mulher que muito me comove com sua história de vida, sua dor, a forma visceral e latente com a qual ela escreve seus poemas, denotam uma angustia tamanha represada naquele ser, que a vontade que eu tenho é de, se pudesse sair correndo e dar um abraço nela bem apertado e declarar a ela todo meu amor.  

Falo da Poetisa Florbela Espanca, nascida em Portugal de 1894, no seio de uma família conturbada, viveu uma vida acometida por enfermidades e entremeada por relacionamentos turbulentos, tudo isso numa Lisboa castradora e machista.

Espanca foi uma mulher guerreira e como muitas de nós, uma sobrevivente. Ela sobreviveu à rejeição, a traição, ao aborto, a inúmeras perdas, as cobranças da sociedade, a incredulidade no trabalho até que finalmente ela sucumbiu aos braços da morte no dia 8 de dezembro de 1934, exatamente no dia de seu aniversário.

Para celebrar com vocês a vida e a luta desta mulher trago um de seus poemas que no ano de 1981, foi eternizado na voz do cantor cearense, Raimundo Fagner, FANATISMO.


Minh'alma, de sonhar-te, anda perdida.
Meus olhos andam cegos de te ver.
Não és sequer razão do meu viver
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida...
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No mist'rioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida! ...

"Tudo no mundo é frágil, tudo passa...
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, digo de rastros:
"Ah! podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!..."

Florbela Espanca, in "Livro de Sóror Saudade"

Ufa! Quanta delicia, não? Prometo trazer mais Espanca em outra oportunidade. Bem eu acho que eu poderia terminar por aqui, mas como a melhor forma de se conhecer alguém é por meio de sua alma, vou deixar um pedacinho da minha aqui com vocês. Beijos e até a próxima.
  

VINTAGE A MIM

Desci ao lagar estrelado
Abraça-me oh! Velha e leitosa videira
Vou de ti beber a noite inteira
Derreter-me em torpor, pois a ti assim sou fiel.

Deito contigo o meu doce fardo,
Consigo subir e plantar-me a ribeira
Tornando-me fada, senhora da mata e arguta sereia.
Em teu estandarte, fiz de mim teu Olimpo teu único céu.

Verte-se em mim quente e aveludado,
Querendo, eu dengosa, macia e faceira,
Comungue contigo no mosteiro ou na esteira
Em nota sutil sou a Madalena ou a mais doce Moscatel.

Ao suprir-me de ti, me és consagrado.
Transforma em ouro o que era só poeira
Tu não és mais gentil e eu tão pouco sou estrangeira.
Meu cálice a si transborda Dionísio, Vintage a mim Castiel.


Sobre a colunista:



Sou a Ruth Campos, tenho 46 anos, sou mãe, libriana, tenho uma cadela chamada Lady Maria da Penha, leio por que me disseram que eu conheceria o mundo inteiro nas páginas dos livros, escrevo para tirar de dentro as coisas que sinto, gosto de estar sozinha, mas não de me sentir solitária, gosto de mar mas não de praia. Curto series, filmes, música e fazer amizades.

25 comentários:

  1. Ótimo post Ruth, fico feliz pela parceria com a Lilian, só trazendo mais conteúdo para um blog íncrivel! Bem, falando sobre a postagem foi um bom modo de começar aqui com essa colaboração, não conhecia a poetisa e saber mais sobre a pessoa que ela é nessa semana tão importante para nós mulheres, é realmente tocante. Essas poesias apresentadas, são lindas e lindas e lindas. Parabéns pelo post.

    Beijos, Ahri.
    http://dois-players.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. adorei essa apresentação, é uma forma de conhecermos um pouco mais sobre o blogueiro hehe ^^
    Legal sua escolha com Florbela, é uma das minhas poetisas preferidas ♥

    ResponderExcluir
  3. Que legal Ruth, amo os livros mais poesia e sempre bom ter na vida...E espero mesmo que fique muito e muito tempo juntos :) Você e super simpática gostei da escrita. E essa poesia que você colocou que linda <3
    Beijossssss

    http://proximapagina-pp.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ruth, que dica maravilhosa de poetisa! Confesso que nunca fui muito de ler poesias, mas tenho visto várias pessoas postando sobre, e essa da Florbela foi amor demais hahaha Adorei! Quero ver mais posts seus *-*

    Beijoks;*
    Renata,
    psychoreader.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Olaa
    Que post lindo e bem escrito.
    Bom, não costumo ler poesias, apenas livros, mas quero acostumar ler, quem sabe não passo a gostar?

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  6. Primeiro que desejar sucesso na colaboração no blog. Que seja frutifica!
    Gosto muito da Florbela erótica, um dos poemas dela é "Frémito do meu corpo..." O erotismo, nesse poema, assume toda a cena. É incrível. Gosto mesmo desse lado de Florbela rsrsrs

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Bem-vinda ao blog,Ruth! Também colaboro em um e adorei a experiência e, como você já participa de outro, imagino que terá que se virar para conseguir manter todos esses trabalhos.
    Nunca fui muito chegada a poesia, então nem conhecia a Florbela, mas achei seu poema muito lindo e profundo.

    Leitores Forever

    ResponderExcluir
  8. Gratidão amadas pelo carinho, votos de sucesso e boas vindas, prometo zelar com o mesmo cuidado desta coluna e por hora deixo um bjo no coração de todas <3

    ResponderExcluir
  9. Adorei o seu post, eu adoro poesias e antes de me casar eu ficava horas na biblioteca lendo livros.
    Lindas as poesias que voçe postou beijos

    ResponderExcluir
  10. Ola Lilian! primeira vez por aqui e gostando muito, tudo lindo e organizado.
    Ola Ruth!!já acompanho seus trabalhos no blog Flor rocha e amo de paixão, antes poesia não me despertava nada,depois que passei a ler o blog sou apaixonada por poesia principalmente essas mais contemporâneas, sinto mais verdade nessas, sinto como se traduzissem o que eu sinto. Desejo a você todo sucesso que essa parceria seja duradoura e renda bons frutos.

    BEIJOSSsss...
    http://sonhosdeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Sucesso Ruth nessa sua nova etapa como colunista, adorei sua apresentação,
    Bjus

    ResponderExcluir
  12. Olá =)

    Seja bem vinda! Sou colaboradora de dois e adoro <3 Espero ver mais posts seus por aqui :} Não sou muito chegada em poesia, não aprendi a apreciar quando era mais nova, então não me identifico muito. Não conhecia a Florbela, mas achei a poesia muito bonita :)

    Beijos, Rob
    http://estantedarob.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Poemas :3
    Ando ficando apaixonada por poemas! Queria muito ter essa experiencia !
    O poema é lindo !
    cheireiumlivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Ruth,
    Seja bem vinda ao poesia, também faço parte com carinho dessa equipe linda.
    E acho que você veio em uma hora perfeita, para auxiliar a Lilian nesse encaminhar
    de poesia e cultura, nesse meio tão pseudo intelectual que é a blogosfera ultimamente.
    Que sua estadia perdure por muito tempo. Beijos
    ♫ Conversas de Alcova ♫

    ResponderExcluir
  15. Oi, Ruth!
    Antes de tudo, seja muito bem vinda ao blog. Espero que daqui você retire experiências positivas, sabendo que sempre será esperada por mim porque amei sua coluna. Não sou muito ligada em poesias, mas não tem como não se sensibilizar com a Florbela Espanca - um nome tão contrastante -, especialmente se levarmos em conta seu contexto histórico. Parabéns pelo post! Traga mais e nos enriqueça de cultura.
    Com carinho,
    Celly.

    Me Livrando

    ResponderExcluir
  16. Oii, tudo bem?
    Seja bem vinda Ruth!
    Como não curto muito poesia, não conhecia a Florbela e seu trabalho. Este primeiro poema achei muito bonito e a história de vida dela é bem triste...
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  17. Sempre gostei muito de poesia, apesar que tem um tempão que não leio nada do gênero. Bem vinda e sucesso na coluna.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  18. Adorei o projeto!!! Amo poesia e vemos tão pouco disto nos blogs né? Confesso que eu mesma nunca postei nada do gênero no meu blog (momento vergonha). Muito bom Ruth e seja bem vinda!!! =D Beijos!!!

    ResponderExcluir
  19. Olá Ruth,

    Seja bem vinda, demais o seu post, ótimas poesias e excelente texto....abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Hey, Ruth.
    Parabéns por esse novo projeto achei muito legal; espero que você aproveite a experiência.
    Não conhecia essa poetisa Espanca, mas adorei esse poema. Achei tão intenso. Realmente muito bom.

    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  21. Oii adorei o seu post e sua apresentação. A ideia das poesias em si é maravilhosa, adoro poesias *.*
    Nao conhecia a poetisa, mas achei as obras citadas lindas e intensas

    beijos
    http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Parabens Ruth.
    É tão bom ver pessoas que escreve com paixão que a gente acaba se contagiando, apesar de poesia não ser um gênero que eu domine e que não me atrai muito eu gostei da sua forma de escrever e espero ter o prazer de ler as poesias. Voce tem uma Cadela chamada Maria da Penha kkkkkk, não pude me conter, estou rindo até agora,kkkk. O meu cachorro se chama Jack em homenagem ao Jack do filme Titanic kkkkk. Estou seguindo o blog, se quiser conhecer o meu seja bem vinda.

    http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem?
    Seja bem-vinda, acho que sua coluna vai ser um sucesso *o* Eu confesso que não costumo ler poesias, mas ultimamente venho lendo umas tão bonitas que estão me fazendo gostar desse gênero. Enfim, gostei muito de saber um pouco mais sobre você e esses poemas escolhidos são lindos s2

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Poesia é sempre bem vinda e é algo que eu vejo bem pouco aqui pela blogosfera, uma pena. Meu Deus, 2 mil livros é muita coisa <3 adorei saber um pouco mais de vc

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  25. oi Ruth, tudo bem?
    Adorei te conhecer um pouco, e desejo que sua nova coluna aqui seja um sucesso
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma