Resenha: Os Segredos de Colin Bridgerton – Julia Quinn




28 abril 2015


Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade. Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum. Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente. No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz.
Olá, aqui estou novamente trazendo mais uma resenha da série os Bridgertons, da Júlia Quinn, editora Arqueiro. O Livro dessa vez é os segredos de Colin Bridgerton e é o 4° livro da série.
Eu já tinha falado em outras resenhas que Colin era meu Bridgerton preferido e por isso eu fui com muita sede ao pote, ou melhor, ao livro. Porém diferente dos outros livros da autora, achei o livro menos intenso, mas pode ser porque o livro anterior tenha sido intenso demais e eu tenha ficado mal acostumada. Então, deixa eu contar um pouco da história pra vocês poderem tirar as suas conclusões.
Em Os segredos de Colin Bridgerton, já era de se esperar, e vocês podem deduzir pelo título, o personagem principal é o Colin e ele já tem 33 anos e é o Bridgerton solteiro mais velho e assim consequentemente o “peixão” da temporada. E havendo voltado recentemente ele acaba criando certa intimidade com Penelope Featherington (eu também já havia falado que gostava dela em outras resenhas), a melhor amiga de sua irmã Eloise e que junto com ela vem se consolidando ao status de solteirona da corte, aos 28 anos.
Penelope, desde o primeiro livro, é mostrada como a moça menos popular, a qual ninguém dá muita atenção e está sempre as margens dos acontecimentos. Apesar que, desde o primeiro livro, é notável a sua sagacidade. Ela nutre um amor platônico por Colin desde os 12 anos, sem nunca ter esperança que ele um dia torne-se real. Enquanto Colin é completamente o oposto. Ele pode ser chamado de o mais popular entre os Bridgertons, estrelando um sorriso avassalador e uma lábia capaz de vender água gelada a um esquimó. É um aventureiro, que adora viajar e passa pouquíssimo tempo em casa. Ambos se conhecem a muito tempo, praticamente se viram crescer, na maneira que isso era possível no século XIX, e agora depois de adultos acabam criando certa cumplicidade, depois Penélope por acaso descobre o segredo de Colin (que nem é nada demais).
Ao longo da história os dois vão interagindo e se conhecendo melhor, enquanto Penélope vai descobrindo em Colin defeitos e inseguranças que ela nunca imaginou que ele teria. Pois em sua paixão, ela o imaginava perfeito. Ele vai percebendo em Penélope, atrativos e qualidades que nunca havia percebido. E começa a se apaixonar por ela e ao mesmo tempo se confunde em relação a esses sentimentos.
E a diferença principal no enredo desse livro é justamente essa, que enquanto em todos os outros os sentimentos surgem avassaladores entre dois desconhecidos, nesse vemos ele desabrochar de uma amizade e surpreender a todos. No início da leitura, eu fiquei meio decepcionada, devido à falta de alguma coisa, que eu não sabia o que era na história. Até que Penélope começa a tomar as rédeas da sua vida e mostrar quem ela realmente é. 
Desde o primeiro livro, eu me identifiquei completamente com essa personagem. Acho que toda menina que cresceu sendo o patinho feio, ao ler esse livro irá se vislumbrar. E o prazer maior é vê-la aos poucos florescer e virar um belo cisne, não por Colin e nem por amor, mas por decidir ser definitivamente quem ela era, sem se esconder mais atrás do silêncio ou da omissão.
O enfoque desse livro é completamente o casal, acho que foi dos quatro, o livro em que o restante da família apareceu menos. Também não existe os vários bailes, festas, jantares que aconteceram nos outros livros da série. Outra coisa que eu não posso deixar de dizer é que durante a narrativa, existe outro segredo que é revelado, e esse é um segredo mais importante que o de Colin e também tem mais influência nos acontecimentos que vêm trazer uma maior dinâmica e intensidade a história. Que pela primeira vez, na saga dos Bridgertons, apresenta um vilão, ou melhor uma vilã. E assim toda a intensidade que não esteve presente no começo da narrativa é transportada para o fim.
Por isso, que eu não posso deixar de dizer o quão sensacional a Júlia é, e se reinventa a cada novo livro. No final, eu amei a maneira que ela brincou com os personagens e como os uniu, de uma forma natural, ao mesmo tempo que passava para nós leitores a sensação de o quanto os seus personagens, são humanizados. Ela faz questão de mostrar ao longo da trama que eles têm nossos mesmos desejos, temores, ilusão, que assim como nós eles erram e podem se arrepender. Para mim Colin e Penélope são o casal perfeito, eu já Shippava eles, desde o duque e eu.
Como sempre o livro traz a sua receita de narrativa a la Julia Quinn, com diálogos interessantes e bem escritos, As “cenas quentes” do livro são intensas, sem se tornarem vulgares ou apelativas e a leitura é totalmente fluída, regada a muitas e boas risadas e vários gritinhos de animação.
Infelizmente, o livro não superou toda a expectativa que eu havia criado em torno dele, mas não deixa de ser uma maravilhosa história. Só não foi pra mim o melhor da série (que era o que eu esperava). É lógico que eu recomendo a leitura e, ele também entrou no meu hall de favoritos, pois sou apaixonada pelos dois personagens principais, tão cativantes e perfeitamente estruturados.

Ah, não poderia deixar de dizer que eu acertei na minha dedução em relação ao tal segredo, como sempre vocês sabem né? Só lendo para descobrir.


Beijos, até a próxima. Espero que vocês tenham curtido a resenha e não deixem de deixar sua opinião nos comentários.


15 comentários:

  1. eu sempre fico curiosa com esses mistérios que Kris coloca nas resenhas hahahahah
    Fico só na vontade de leitura, tentando imaginar o que danado é que ela segura e não deixa a gt adivinhar com ela kkkkkkkkkkk
    Eu preciso ler algo de Julia, pelamor... xd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Val, tem que deixar o mestério pra dar tesão em vcs lerem, kkk
      Acho que se tu ler vai gostar e principalmente das partes engraçadas.
      beijo

      Excluir
  2. Kris, tu sabe que não é muito a minha praia esses livros, né? Mas sempre que eu te vejo com algum livro dessa série dos Bridgertons, vc tá tão empolgada que eu tenho vontade de ler também. Huahuahauhau. E, como a Val, tô curiosa com esse danado desse mistério q vc descobriu e não quer contar! Huhauhauhauahu.

    ResponderExcluir
  3. Olá Kris!
    Confesso que ainda não li nenhuma obra da Julia Quinn. Já li algumas boas resenhas, incluindo a sua, que me aguçaram a vontade ler. Parabéns pela resenha, gostei muito.
    Um grande beijo!
    Blog Cheiro de Livro Nacional

    ResponderExcluir
  4. Resenha ótima!!
    Não é um estilo que eu aprecie mas confesso que bateu uma vontade de mergulhar mais adentro da história...
    bjs
    WWW.PAINELPARACONGRESSO.COM

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu ganhei um livro desta série e ainda não li, na verdade, é com ele que vou entrar neste mundo de romances de época, espero gostar.
    Adorei sua resenha, só me deixou mais animada para iniciar a série e conhecer este casais e seus segredos. Os livros parecem ser tão encantadores. As capas são tão lindas, e ver que tem opiniões positivas me deixa feliz. Agora só falta abrir o livro. haha, Vou atrás das outras resenhas da série.

    beijos

    http://livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Kris, tudo bem?
    Sei bem como é ir com muita sede ao pote e não superar as expectativas, aconteceu recentemente com 2 livros da Irmandade da Adaga Negra, li um muito bom e o outro que era bom também perdeu um pouco o brilho.
    Nem preciso dizer que quero ler os livro da Julia né?
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oláá
    Poxa, que legal, espero ainda me sentir atraida por esse livro e a série em geral depois de ler milhares de resenha, ainda não aconteceu, mas vai saber daqui um tempo né? ;)

    http://realityofbooks.blogspot.com.br/
    Catharina
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Esse é o meu livro favorito da Julia Quinn. Primeiro porque a construção de personagem que ela teve com a Penelope foi simplesmente maravilhosa. Ela trabalhou sua personalidade desde o primeiro livro e evoluiu até o quarto. A única coisa que eu achei é que este quarto livro deveria ser o último por motivos que você já deve imaginar.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Débora eu concordo nisso de que deveria ser o ultimo, porque essa parte deixará saudades, mas tbm entendo que pela idade dos personagens não daria mesmo pra acontecer o que é uma pena.

      Excluir
  9. Eu sou um patinho feio ( só que na verdade cresci e descobri que sou um ornitorrinco e não um cisne, coisas da vida). Gente, resenhas de romance estão acabando com meu já ferido coraçãozinho. Gostei muito da capa, pra ser bem exato me lembra aquela ladra personagem dos filmes do Sherlock Holmes, uma arte de capa realmente atraente. Gostei da trama também, especialmente por ela tomar as rédeas das situações, a parte da amizade também é interessante para se desenvolver nesses romances.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Augusto a arqueiro tirou onda com as capas da série.
      Olha a questão da Amizade é abordada na série de maneira primorosa
      Não só amizade com pessoas do sexo oposto como a amizade em si dentro da família que é uma delícia. beijos

      Excluir
  10. Olá, Kris!
    Já está sendo uma tortura ver tantas resenhas positivas dessa série e ainda não tive oportunidade de ler.
    Apesar de eu ter lido pouquíssimos romances históricos, eu admiro bastante esse gênero.
    Com certeza vou adorar a Penelope!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  11. Li o primeiro livro há tanto tempo que nem lembro direito quem é o Colin kkk . Estou tentando encontrar um espaço na minha lista de leitura e ânimo também pra retomar a série. Boa resenha!

    Bjuus!

    ResponderExcluir
  12. Oi Kris, sua linda, tudo bem?
    Adorei sua resenha!!! O que mais chamou minha atenção foi o fato da autora ter feito ela desabrochar para a vida, lhe dando segurança, por ela mesma, e não por um homem. Acho que deve ser lindo ver o amor crescendo dentro dele, por uma pessoa que não lhe interessava antes. Não vejo a hora de ler.
    Beijinhos.
    Cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma