Assim nasce o conservador | Um poema brechtiano de Mauro Iasi




15 agosto 2015
by AbouKaiser


“Nada mais parecido com um fascista que um pequeno burguês assustado”– Brecht
Assim nasce o conservador
De todos os invernos
De todas as noites sangrentas
De todos os infernos
De todos os céus desterrados de perdão.
De toda obediência burra
Ao oficial, burocrata,
À coroa, ao cetro,
Ao papa, ao cura.
De todo medo
“Agora não, ainda é cedo”,
de todo gesto invertido para dentro,
de toda palavra que morre na boca.
Do obscurantismo, de todo preconceito,
de tudo que te cega, de tudo que te cala,
de tudo que lhe tolhe, de tudo que recolhes,
de tudo que abdicas, de tudo que te falta.
Um beijo o assusta,
um abraço o enfurece,
a dúvida o enlouquece,
a razão se esvanece no vácuo.
Germina, assim, uma impotência tão grande,
que deforma as feições e torna tenso o corpo,
o dedo em riste, a veia que salta no pescoço,
a boca transformada em latrina.
Assim nasce o conservador.
Ele teme tudo que é novo e se move.
É um ser frágil, arrogante, assustado…
e violento.
Fonte  - Bointempo 

12 comentários:

  1. adorei a poesia *-* queria ter esse dom lindo da escrita =/

    ResponderExcluir
  2. bem verdade isso, pena que muitos não percebem a crítica contida no poema...

    ResponderExcluir
  3. Muito legal!! E uma grande verdade dita no poema. " O conservador teme tudo que é novo e se move. É um ser frágil, arrogante, assustado…e violento."
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  4. ADOREI!

    O autor só disse verdade, pelo menos é como eu vejo um conservador!

    bjs

    ResponderExcluir
  5. Quem dera eu escrevesse desse jeito
    Adorei a poesia
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Não conhecia a poesia do Mauro Luis mas adorei o poema dele !!!

    ResponderExcluir
  7. Não sou fã de poemas, mas adorei esse!
    Escreve muito bem!

    ResponderExcluir
  8. A última estrofe expressa tudo.
    Belo poema e a crítica que ele traz.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  9. Adorei a poesia! "Ele teme tudo que é novo e se move".
    Definiu bem a realidade.
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  10. Olá, não sou muito fã de poemas, mas achei esse bem legal *--*

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  11. Olá; ótimo poema. Então, que não sejamos conservadores.

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma