Resenha - O Álbum




09 setembro 2015

O Álbum foi escrito por Timothy Lewis e publicado recentemente pela Editora Novo Conceito. A primeira coisa que me chamou a atenção para a obra foi a capa, harmoniosa e com detalhes agradáveis aos meus olhos, e ao ler a sinopse, pensei se tratar de um romance envolvente, de características peculiares e uma bela viagem ao passado por meio de postais trocados entre um casal protagonista... 


O livro é dividido em três linhas de tempo, possui escrita fluída, e foi minha sorte não ser diferente.... Ao longo de suas 240 páginas. me deparei com uma história morna, sem reviravoltas, com personagens que não me cativaram em momento algum e permeado de mensagens fazendo alusão à religiosidade, fé e esperança... E definitivamente, essas caraterísticas não me deleitam... Mas vamos ao enredo...

Adam é um negociante de objetos usados e encontra na casa que pertencera ao casal Alexander, um álbum antigo repleto de postais enviados ao longo de sessenta anos. Ele não resiste à curiosidade e acaba lendo o conteúdo, poemas apaixonados [eu achei bregas, perdão aos românticos de plantão], que Gabe Alexander enviava para sua amada, Huck, até a sua morte, anos atrás... Adam ainda não se conforma com o fim de seu próprio relacionamento e busca respostas que o façam entender como um amor poderia ser eterno e feliz. E é nos postais do casal Alexander que ele poderá encontrar algumas dessas respostas...

Logo ele consegue entrar em contato com uma quase parente do casal, que ao longo de uns poucos encontros, vai destrinchando para Adam o que os postais não contavam de todo... E ele vai ligando os pontos e se aprofundando cada vez mais no cotidiano apaixonado de Gabe e Huck, bem como nos fatos 'milagrosos' que ocorreram com eles, ao longo de seis décadas...

Em certo momento da trama, um ex de Huck ressurge e protagoniza uma situação que tenta soar tensa para talvez impulsionar a narrativa que já está ficando enfadonha, na tentativa de dar um 'up' na leitura... Comigo não funcionou... É como se o autor tentasse alavancar a história sem sucesso, para logo voltar à mesmice dos fatos... Em outra situação mais para o fim do livro, ocorre algo semelhante, mas a forma como o casal se livra de ambas as situações ruins acaba soando forçada, plástica...

Gabe é um homem perfeito. Do tipo que acorda antes da mulher para esquentar a água do café para ela, deixando-a dormir por alguns minutos a mais. Do tipo que se delicia em escolher um vestido para a amada, mais do que se estivesse comprando um 'carro' para ele mesmo... Gabe é apaixonado, gentil, amoroso, perdoa a mais grave falha de sua encantadora esposa como se fosse apenas por ela ter esquecido de fazer uns sanduíches para seu lanche da tarde e é corajoso, que enfrenta todos os males do mundo pela mulher, sem esquecer - claro - dos postais toda sexta-feira...

Em suma, Gabe não existe. Não é aceitável um personagem assim nem em contos de fadas. Ele é tão perfeito, o casamento e amor dos dois é tão imaculado que chega a irritar.... Não tem sofrimento, não tem sabor, não possui ousadia... Insosso.... Sinceramente? Eu não queria um amor desses, ainda mais por 60 anos.... Morreria nos primeiros meses, de puro tédio... 

Gostaria de ressaltar algo positivo na trama, mas me perdoem... A sinceridade não permite... E mentir não é de meu feitio.... Com relação à diagramação, a editora fez um trabalho impecável, pois não encontrei erros na revisão, a capa está linda. Mas isso não foi o suficiente para me fazer gostar da leitura... 

Àqueles que amam romances 'água-com-açúcar' em que nada de ruim acontece, ou para aqueles que buscam uma leitura sem exigências, podem até curtir o livro. O álbum deve ser um livro para sonhadores, não sei..., mas não do tipo de sonhos que eu costumo ter....


Ah, não poderia deixar de mencionar algo digno de nota: o álbum é inspirado nos tios-avôs de Timothy Lewis, que por sessenta anos, trocaram postais com poemas apaixonados [que não foram utilizados na obra fictícia, em que o autor criou os próprios poemas para o livro]... 


15 comentários:

  1. Apesar de não curtir muito livros publicados pela novo conceito. ele livro tem uma identidade própria e já tiver a oportunidade de lê-lo.

    www.saotantas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Realmente, Gabe não existe. A história em si parece ser um amorzinho mesmo. Não sei se reclamaria de uma vida assim, nunca experimentei para saber. E acho que nunca acontecerá, também. haha.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Segundo sua resenha, eu achei o livro bem contextualizado. Os relacionamentos de antigamente - quando o amor era verdadeiro - tinham mais romantismo, palavras agradáveis, o carinho era visível. Hoje, as coisas mudaram bastante e o encanto se perdeu. Confesso que não sou do tipo romântica, mas sinto falta de palavras agradáveis num relacionamento. Acho que vou gostar dessa leitura. Vou anotar a dica para procurar o livro na bienal :) pena que não curtiu a leitura, Maria.

    Beijos
    http://www.breakingfree.blog.br/

    ResponderExcluir
  4. Estranho! Nunca tinha ouvido falar nesse livro, mas é uma boa dica... Vamos ver se um dia eu não adquira e claro, desfrute.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  5. Olá
    eu já vi varias resenhas de O Álbum e quase não tem nada a reclamar sobre ele, kkk ,a capa e sua diagramação é uma coisa muito fofa, queria poder lê-lo, mas com certeza vai demorar um pouco kkk
    Bjks
    Passa Lá - http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu li este livro e você tem razão nas suas ponderações. É um livro com teor religioso, que passa a ideia de alma gêmea, anjos da guarda. Quando eu percebi isso, tentei relevar. Mesmo o livro não sendo vendido como tal.

    O Álbum não é uma história de amor arrebatadora. Isto é muito verdade.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Que pena que, de tão romântico, acabou ficando chato. D: Tá aí algo que não esperava sobre esse livro. Enfim, não pretendo ler esse livro. Parece que não vai me agradar e realmente preciso ser mais seletiva, senão morrerei antes de ler tudo o que acho válido para a minha vida (rs).

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Valéria, tudo bem?
    Li resenhas super positivas desse livro e estava super curiosa para ler, mas agora que li sua resenha, não sei mais o que pensar!
    Eu detesto esse tipo de personagem perfeito que não existe na vida real e esse excesso de perfeição me irrita profundamente, então não sei se devo ler esse livro.
    Vou deixar para mais para frente quem sabe...

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  9. Oláá
    Já vi várias resenhas positivas e tenho bastante curiosidade pela leitura que parece ser bem interessante e diferente.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. OIe, tudo bem!?
    Poxa, é uma das minhas próximas leituras e fico bem chateada em saber que é uma história toda insossa!! E agora?! Vontade zero de ler! Odeio amor perfeito, porque não existe, então vou ficar com o pé atrás com esse livro!
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  11. Ora...historias totalmente fora da realidade também não me atrai, mas me arriscaria ainda lê-lo!!!
    Obrigada pela sua resenha, se algum dia eu teimar e nao gostar, me lembrarei de você!!
    Beijos

    http://devoreumlivroeoufilme.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá, eu li esse livro recentemente e nossa como me apaixonei por essa história, para mim foi muito envolvente e não tive nenhum tipo de dificuldades com a leitura, amei tudo, principalmente o casal principal!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  13. Esse livro nunca me chamou atenção,não me atraia e olha que já gente falando bem, mas a maioria sem foi dizendo que o livro é morno, quase frio. Se não vou ler, não por enquanto.
    Quanto a sua resenha, parabéns, super sincera, continue assim.
    http://marifriend.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Valéria, eu gosto de romance água com açúcar, mas também gosto de histórias com reviravolta.
    Histórias mornas me dão sono, logo esse não fez meu estilo pelo que você contou.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  15. Oii!

    Não gosto muito de romance água com açúcar hahaha acho um pouco chato. Acho a acapa bem bonita e deve valer a pena ler né?
    Parabéns pela resenha!

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma