A NVersos Editora está preparando a melhor Black Friday da história




24 novembro 2015

A Editora Nversos está se preparando para maior promoção do ano, e quem gosta de livros, não pode ficar de fora... são diversos títulos maravilhosos e mais que informativos ou a simples literatura de entretenimento, a Nversos se diferencia por trazer ao mercado literário obras que causam inquietações e serem verdadeiras ‘necessidades sociais’, em alguns casos. Amos Alcott diz que “O bom livro é aquele que se abre com interesse e se fecha com proveito”. Já, Elank Lever diz que: “Sem reflexão, a leitura aperfeiçoa nossa ignorância.


Pegando como gancho esses pensamentos, o leitor pode encontrar no catálogo da editora títulos de relevância social, capazes de aperfeiçoar nossa consciência crítica. Como não é possível colocar aqui todos os títulos da editora, deixarei algumas indicações de obras relevantes para quem, por exemplo, pretende fazer ENEM; compreender melhor a sociedade; relaxar; chorar, pesquisar e se divertir (a melhor parte) etc.  

Como toda obra cultural, o cinema também é uma construção que vai além de uma história. Embora pareça redundante falar que toda narrativa é, na verdade, uma metáfora que apresenta em seu segundo plano de leitura uma discussão sobre valores, ideologias e conceitos, a repetição dessa afirmação não a torna menos verdade. Embora subjetiva como toda avaliação de um produto cultural, o valor de uma produção cinematográfica pode ser avaliado, também, por quão bem ele discute os assuntos que traz em seu segundo plano e como eles são retratados na narrativa de primeiro plano. É sobre essa relação entre representação e significado que trata a coleção Cinema & Psicanálise, organizado por Christian Ingo Lenz Dunker, psicanalista e professor de psicologia do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP) e Ana Lucilia Rodrigues, psicanalista e membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA). Divida em cinco volumes: A formação do desejo; A realidade e o real; Filmes que curam; Montagem e interpretação; e História, gênero e sexualidade, a obra traz analogias históricas consagradas ao mesmo tempo em que apresenta contrapontos e questionamentos para enriquecer a discussão. Cada um dos volumes traz, dentro do assunto referenciado em seu título, referências entre obras, personagens e montagens de cinema e dilemas abordados na psicanálise, em uma das possíveis projeções que o espectador pode fazer ao observar uma narrativa, o que demonstra a vastidão de informações que é perdida quando o observador se preocupa em apenas nadar na superfície. Mais que um guia de sentidos ocultos na produção cinematográfica, a série é um catalisador que busca suscitar no leitor a atenção para analisar os filmes além de sua narrativa primária e encontrar neles significados profundos que façam sentido para si, afinal, como disse Anaïs Nin: “Nós não vemos as coisas como elas são. Nós as vemos como nós somos.”. saiba mais aqui 


Como podemos compreender o gênero no mundo contemporâneo? Que diferenças psicológicas existem hoje entre mulheres e homens? Como as masculinidades e feminilidades são produzidas? E qual a relação entre as questões de gênero e preocupações globalizadas como a mudança ambiental e a reestruturação econômica?
Raewyn Connell, uma das acadêmicas mais importantes do mundo nesse campo, aqui se junta com Rebecca Pearse para responder essas e outras questões. O livro oferece uma introdução acessível aos estudos modernos de gênero, cobrindo pesquisas empíricas de todas as partes do mundo, além de teoria e política. Assim como introduz o campo, as autoras fornecem um poderoso arcabouço contemporâneo para a análise do tema, com atenção especial forte às questões globais, destacando o caráter multidimensional das relações, as pontes entre a vida pessoal a estruturas organizacionais de larga escala, e apontam como as políticas de gênero se transformam em situações de mudança. Gênero é uma produção acadêmica engajada que se move da experiência pessoal em direção a problemas globais, oferecendo uma perspectiva única sobre as questões de gênero da atualidade.


Publicada originalmente em inglês, Animate Me é a obra de estreia de Ruth Clampett, filha de Bob Clampett, criador dos Looney Tunes, e é um romance contemporâneo.  Contada em uma linguagem divertida e irônica, a história fala sobre Nathan, um nerd de 20 e poucos anos, tímido, talentoso, fã de quadrinhos, apaixonado por sua colega de trabalho, Brooke, uma executiva de 30 anos. No melhor estilo dos colegiais americanos, Nathan alimenta sua paixão – até ali – platônica por Brooke, sem esperança de ser notado, fazendo uma história em quadrinhos sobre sua amada, a super heroína Garota-B. Mas quando um projeto em comum aproxima os dois, Nathan descobre que sua atenção não é a única capturada por Brooke, e que seu adversário nesse jogo de conquista é ninguém menos que o presidente da empresa, Arnaud. Mas, inspirado na super-heroína que criou, Nathan decide não desistir de Brooke. O impasse entre os dois e sua luta pela atenção de Brooke a colocará num impasse, será que a Garota-B escolherá ser guiada pela sua razão ou pela sua emoção?


"Eu não soube nascer, mãe.” Essa é possivelmente uma das frases mais fortes do livro Luís Antônio- Gabriela, do dramaturgo Nelson Baskerville. O livro, originalmente uma peça de teatro, é uma pedido de desculpas e ao mesmo tempo uma expiação da relação do autor com o irmão mais velho, o Luís Antônio do título, homossexual nascido em 1953 e que viveu com a família conservadora até os 30 anos, quando deixou a casa dos pais e desapareceu por três décadas.  A história narra em episódios a relação de Luís Antônio com a família, Baskerville e a irmã mais velha dos dois, Maria, desde acontecimentos da infância até o reencontro de Maria com Luís Antônio, que mudara de sexo e passara se chamar Gabriela, fazendo shows em boates na Espanha. Gabriela morreu em 2006, de Aids, sem que Baskerville nunca reatasse com sua irmã, o que o levou a escrever a peça. A singularidade da vida de Gabriela se reflete também no projeto gráfico do livro, que faz uso de cores fortes e contrastantes, fonte incomum, papel Kraft, verniz nas páginas e outros recursos que tornam a leitura única e exótica como essa trajetória merece. 
 A obra é ricamente ilustrada pelo artista visual Thiago Hattnher.


Em uma narrativa ficcional de ritmo rápido e envolvente, o livro Os Imortais de Meluha, primeiro romance da trilogia sobre o deus hindu Shiva, romance de estreia do autor indiano Amish, considerado o “Tolkien da Índia”. Misturando a milenar religião indiana e ficção, Os Imortais de Meluha apresenta um Shiva jovem, humanista e despretensioso, líder tribal tibetano que trava batalhas para defender seu povo dos ataques de rivais pela posse de território. Na história, depois de manter reféns (de maneira pacífica) um grupo de meluhianos, Shiva é convidado por um dos prisioneiros a conhecer o império de Meluha e aceita. Chegando lá, Shiva se depara com uma cidade cheia de confortos e beleza, diferente de sua pequena tribo da cordilheira do Himalaia, mas há ainda segredos a descobrir em Meluha: apesar da aparência jovem e vigorosa, a maioria dos meluhianos já é centenária. Além disso, o povo de Meluha se surpreende com a aparência física do visitante, que possui todas as características do prometido salvador do império, aquele cuja profecia diz que nasceu com a missão de pôr fim às guerras entre as tribos e fazer renascer a paz. Mas será que o jovem guerreiro tribal vai aceitar sua profecia e tomar seu lugar como defensor do povo? Além das empolgantes batalhas épicas e do bem amarrado casamento entre mitologia e ficção, Os Imortais de Meluha é a saga de um herói diante das escolhas de seu destino, num caminho para se tornar Deus.

Em uma narrativa ficcional de ritmo rápido e envolvente, O Segredo dos Nagas, é uma obra épica que retrata um jovem guerreiro, humanista e despretensioso, líder tribal tibetano que trava batalhas para defender seu povo dos ataques de rivais pela posse de território.Shiva, o imigrante tibetano profetizado como o destruidor do mal, não vai descansar até encontrar seu adversário demoníaco. A vingança irá levá-lo à porta dos Nagas, o povo da serpente. Disso ele tem certeza!Evidências da ascensão perversa do Mal estão por toda parte. Um reino está morrendo, refém de uma droga milagrosa. Um príncipe herdeiro é assassinado. Os Vasudevas – os guias filosóficos de Shiva – traem a fé inquestionável do Mahadeva, ao receberem auxílio do lado sombrio. Até mesmo o império perfeito de Meluha está arranhado por um terrível segredo em Maika, a cidade dos nascimentos. Sem que Shiva saiba, um mestre de fantoches está manipulando uma grandiosa jogada. Em uma jornada que irá levá-lo de ponta a ponta pela Índia Antiga, Shiva procura a verdade em uma terra de mistérios mortais – apenas para descobrir que nada é o que parece. Ferozes batalhas serão travadas. Alianças surpreendentes serão forjadas. Inacreditáveis segredos serão revelados nesta obra épica que levará o leitor a um turbilhão de emoções. 

O último volume da batalha épica indiana “Trilogia Shiva” encerra a fantástica história em torno da jornada do jovem imigrante tibetano Shiva. De guerreiro a Deus supremo do hinduísmo. “O Juramento de Vayuputras” completa a saga do nômade que salvou o povo da mítica Meluha. Com uma narrativa ágil e repleta de referências sobre a mitologia indiana, Amish enfoca nesse volume a astúcia de Shiva para costurar alianças e acordos para sua última batalha, além de fechar todas as interrogações que deixou na cabeça dos leitores nos dois primeiros volumes.


Uma pistola pendurada em um fio telefônico. Referências aos cartazes de clássicos filmes de suspense, como as fitas de Hitchcock. O romance-policial, escrito pelo paulistano Marcelo Almeida, convida o leitor a ser participante ativo da história e o coloca na narrativa de maneira interativa.
“O objetivo é criar uma história com elementos retirados de um livro importante da nossa literatura, de forma que o leitor possa dialogar com ambos os textos. A leitura desse livro não é um fim, mas um meio onde, com o apoio de recursos interativos e de imagem e som, leva-se o leitor a estabelecer ligações e comparações com determinada obra clássica, estimulando-o de forma proposital a comparar ambas.”, explica o autor.
O livro é narrado em primeira pessoa e conversa com quem está lendo em diversos momentos. Durante a investigação, o leitor é apresentado a todos os personagens do livro pelo próprio protagonista da história como seu assistente.
Desde o início o projeto já surgiu com a ideia de utilizar um livro para instigar o leitor a procurar uma obra clássica. Para atrair principalmente os jovens, a editora e o autor se dedicaram em criar uma forma de interatividade e integração das plataformas off-line com tecnologias online que atraem esses leitores ainda em formação.


O Evangelho Segundo Talião é um tratado científico ficcional. Ou seria um apanhado de contos sociológicos. Tão contraditórios quanto as duas descrições são os temas tratados na obra. Escrito por Flávio Ricardo Vassoler, o livro trata de temas contemporâneos e onipresentes como sexo, violência, desigualdade social, amor.



O autor aborda suas vertentes históricas, o desenvolvimento da identidade sexual segundo Freud e Stoller, a teoria do gênero de Butler e as questões que endereçam a psicanálise de cunho estrutural. Ele também discorre sobre o transtorno de identidade de gênero, relegado ao campo da patologia. Como forma de se contrapor a tal clínica, este livro lança mão de noções psicanalíticas, visando a esvaziar seu caráter patologizante e legitimar novas manifestações da sexualidade.

12 comentários:

  1. Aiiii meu coração está sangrando e chorando, a maioria dos livros já vi a resenha e amei!! Essa editora sempre me conquista, acho que vou dar uma passadinha e ficar pobre hahahaha
    Beijos
    http://segredosliterarios-oficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?
    Eu conheci a editora apenas esse ano. Mas, pelas divulgações, estou vendo que ela faz um trabalho incrível! Eu sempre quis ler Animate me. Espero poder comprar nessa black friday bombástica!!!
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  3. Vou aproveitar para comprar o último livro da trilogia do Shiva.
    A Nversos é um amor!

    ResponderExcluir
  4. A editora tem livros bem interessantes, todos os que você mostrou no post me interessaram de alguma forma, talvez nessa black friday eu finalmente tenha meu primeiro livro da Nversos.

    ResponderExcluir
  5. Oláá
    A editora é ótima, Animate me é bem fofo e quero muito ler 77 Páginas para ler, parece ser um uma ótima dica de leitura, espero que entre numa promoção boa

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. 77 Páginas para Morrer foi o que mais me interessou. Achei a premissa bem cativante e amo a capa. Não poderei comprar quase nada nessa black, e se puder será um ou dois livros que já estão na wish list há tempos.
    Adorei o post.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. oi ^^
    pow até me interessei por algumas coisas,m as não sou mt de comprar na black friday não xp.
    espero que seja um sucesso as vendas. Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  8. Eu quero muito comprar O Juramento de Vayuputras para terminar de ler a trilogia maravilhosa do Shiva.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Prometi não comprar nada nesse ano :x acredita! Tenho mais de 20 livros para ler, não posso comprar enquanto não diminuir pelo menos pela metade! hahahaha


    xx
    Mari
    www.batomdecereja.com

    ResponderExcluir
  10. Oii, tudo bem?
    Quantos livros para Black Friday, para quase todos os gostos não é? rsrsrs. Não comprei nada nessa black, mas é muito bom para quem se interessar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Ainda bem que não vi essa postagem na época da BF, queria alguns dos livros citados rsrs tenho optado por e-books, mas quero muito a saga Os Imortais de Meluha e acredito que o valor tenha ficado em conta.

    Beijos
    http://www.breakingfree.blog.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma