Resenha - Dez coisas que aprendi sobre o amor




12 dezembro 2015


Daniel e Alice nunca se encontraram antes, mas a vida de ambos possui uma ligação muito forte... Tendo como cenário de fundo a bela cidade londrina, Daniel não tem porto seguro, ele é um sem-teto, e lista algumas coisas em uma folha de papel; coisas que ele diria à sua filha, que nunca conheceu...


Alice está voltando para casa, pois os seu pai se encontra prestes a morrer. Suas irmãs, com quem não tem um relacionamento muito profundo, a aguardam em casa com a notícia... Apesar de seu pai estar morrendo, o momento não foi propício para uma despedida adequada, e Alice se sente perdida. Pensa na mãe, na relação difícil que sempre teve com o pai após a morte da mãe, em Kal, com quem teve um relacionamento por 3 anos e não deu certo. E ela lista várias coisas: o que gostaria de dizer pra alguém, o que não deveria ter feito, o que deveria ter feito...

Ela tem 30 anos e passa mais tempo longe de casa, mas agora que está morando na casa que em breve será vendida, ela revisita sua infância, seu passado distante e as memórias do acidente que vitimou a sua mãe. Alice não se encaixa na família que lhe restou, e só voltou para dar um último adeus a seu pai...

O que Alice e Daniel tem em comum? E como eles se encontram? A paixão pelo céu estrelado, o hábito de listar coisas que os deixam felizes, infelizes ou reflexivos, que transbordem lembranças longínquas e melancólicas...


Daniel consegue revelar sentimentos apenas com objetos que pega no lixo, transformando-os em enigmáticas mensagens. Depois de ver um amigo de rua tentar entrar em contato com sua filha, que está na Polônia, ele repensa sobre a decisão de abrir a história de sua vida, ou se esse fato pode desencadear mais tristeza e desalento às pessoas envolvidas... "Às vezes, é melhor deixar as coisas como estão..."

Alice é uma mulher madura, apesar de se mostrar insegura em vários momentos, e senti alguma identificação com as coisas que ela listava e na maneira como ela se sentia com relação ao mundo è as pessoas ao seu redor... A premissa do livro me fez escolher um bloquinho para fazer minhas pequenas listas, e logo outras mais serão acrescentadas ao que já escrevi...

Publicado recentemente pela Editora Novo Conceito, Dez coisas que aprendi sobre o amor é sobre onde podemos encontrar o amor, nas minúcias, nos [des]encontros, no admirar de estrelas sob uma ponte... É sobre tentar compreender os 'acidentes' da vida, os trilhos que percorremos para chegar ao desconhecido... Sarah Butler possui uma escrita que remete ao nostálgico e poético, e apesar de ter demorado um pouco para me conectar à trama, devido à narrativa, que se mesclava ora em Daniel, ora em Alice, terminei a leitura absorta em seus entremeios...

O desfecho não amarra as coisas num final feliz e previsível, tampouco traz o clichê de tragédia... fica em aberto, e as possibilidades, só o leitor poderá conjecturar a respeito... Eis uma boa pedida... 


6 comentários:

  1. Eu amei esse livro,li a prova e me senti extremamente envolvida com a história,que é singela e profunda ao mesmo tempo e o final que foge dos clichês me conquistou.

    Adorei a resenha,me deu vontade de reler o livro.

    bjsss

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  2. Não li esse livro, mas me pareceu ser diferente e bastante interessante...
    Acho que toda mulher de 30, mesmo sendo madura, tem seus momentos de insegurança (história de minha vida kkkk), isso é do ser humano...
    E esse final me deu vontade de conhecer esta história... Adoro quando o final fica em aberto, e a gente pode criar ainda mais livremente...

    Bjo

    ResponderExcluir
  3. Nossa, sua resenha me deixou intrigada, um livro que deixa um final em aberto é sempre uma boa pedida para mim, eu geralmente adoro, muito boa a resenha, adorei!
    Estou seguindo e amando o blog <3
    Ps: VOCÊ É ESCRITORA, FALA SOBRE TEMAS IMPORTANTÍSSIMOS E JÁ TEM 3 LIVROS ESCRITOS!!! (que eu fiquei interessadíssima em saber um pouco mais)
    Beijos.
    Tenho um blog sobre filmes, series e cultura no geral. Se puder dar uma conferida eu ficarei muito grata: http://cineleva.blogspot.com.br/ :)

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho esse livro e ainda não li, na realidade li os primeiros capítulos e foi pra pilha. Não que não tenha gostado, muito pelo contrário, adorei o começo, mas estava envolvida com outras coisas e acabei deixando pra depois. Lendo o que escreveu a respeito, me fez lembrar dele e querer terminar a leitura, eu adoro finais aberto, que deixam a cargo do leitor "decidir" o final.

    ;D
    Profissão: Leitora

    ResponderExcluir
  5. Oie!!!
    já tinha visto o livro entre os lançamentos da N.C mas não sabia sobre o que se tratava precisamente. parasse ser um daqueles livros com histórias bem despretensiosas, mas que no final ganha o leitor completamente. Gostei muito da resenha.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Oiiie
    Quando lançou o livro eu fiquei louca para ler mas ainda não o fiz porém já comprei e espero adorar apesar de ver várias resenhas criticando e tal, quem sabe né? ótima resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma