Lançamento - O Sincronicídio, de Fabio Shiva




13 março 2016

Haverá um desígnio oculto por trás da horrenda série de assassinatos que abala a cidade de Rio Santo? Apenas um homem em toda a força policial poderia reconhecer as conexões entre os diversos crimes e elucidar o mistério do Sincronicídio. Por esse motivo é que o inspetor Alberto Teixeira, da Delegacia de Homicídios, está marcado para morrer.


“Era para sermos centelhas divinas. Mas escolhemos abraçar a escuridão.”

Suspense, erotismo e filosofia em uma trama instigante que desafia o leitor a cada passo. Uma história contada de forma extremamente inovadora, como um Passeio do Cavalo (clássico problema de xadrez) pelos 64 hexagramas do I Ching, o Livro das Mutações.

Um romance de muitas possibilidades.





Esta é uma história que vai desafiando o leitor aos poucos, matreiramente, conquistando primeiro sua confiança antes de conduzi-lo a voos cada vez mais altos da imaginação. O SINCRONICÍDIO é um romance policial à sua maneira, que consiste em misturar todas as outras: as refinadas charadas do whodunit são apresentadas em meio a truculentas cenas noir, e o clássico mistério do quarto fechado é servido de modo a atender ao gosto moderno pela escatologia. Ocorre que esta é uma obra de muitas camadas, múltiplas possibilidades de interpretação. Não é exagero afirmar que nunca antes uma história policial foi contada dessa maneira.

Quanto ao estilo, a narrativa segue o padrão essencial do folhetim, finalizando cada segmento do texto em suspense, de forma a instigar o leitor a prosseguir com a leitura. Quanto à estrutura, este é um livro que escapa aos padrões, ao se propor como interseção literária entre dois ricos universos semânticos: o xadrez e o I Ching. O SINCRONICÍDIO é dividido em 64 capítulos apresentados fora da sequência numérica, cada qual representado pelo correspondente hexagrama do I Ching, o Livro das Mutações, milenar oráculo chinês. O hexagrama é apresentado ao início do capítulo em uma engenhosa adaptação para o xadrez, que substitui as linhas yang e yin pelas casas brancas e negras do tabuleiro, sinalizando as linhas móveis através de peças que ocupam as respectivas casas.
O resultado são verdadeiros “poemas enxadrísticos”, uma curiosidade a mais para o leitor comum e um deleite para os entusiastas do Jogo dos Reis.

O livro estruturado dessa forma, ao mesmo tempo em que propicia ao leitor uma apresentação original e atraente para a sua história, revela também afinidade com um alto anseio literário: expressar, através do romance, a totalidade da vida em sua complexidade. Pelo mesmo motivo, à semelhança de obras como Ulisses de James Joyce e Mrs Dalloway de Virginia Woolf, a história toda acontece em um único dia, o dia do Sincronicídio.



Extratos de resenhas de  O SINCRONICÍDIO:

Fábio Shiva captura a nossa atenção com uma narrativa simples, enxuta, precisa, instigante, carregada de um suspense crescente e contínuo. Nada de palavreados rebuscados, clichês ou divagações fora de contexto. Gostei muito de seu estilo e ficarei imensamente feliz se Shiva não parar por aí. Recomendado a todos os que procuram algo a mais no gênero policial. Ótimo ritmo, ótimos personagens e um desenrolar que vai deixar você preso até o final. Leiam e se surpreendam!

"O Sincronicídio" é, antes de tudo, uma obra extremamente inovadora (...). E a cada capítulo encerrado, temos logo vontade de começar o seguinte sem pausa. (...) "O Sincronicídio" nasceu para ser grande, e é uma obra tão boa que fará com que o leitor sinta-se em um misto entre Umberto Eco e Arthur Conan Doyle, mas com requintes de Edgar Alan Poe.

Já na primeira página podemos sentir que a obra vai se compondo por vários diferenciais... Citações humanistas iluminam as páginas. Dostô, Shakespeare, Goethe e Bach se misturam no mistério da obra.... que lindooo!!! (...) Fábio ‘quase escondido’ sob o manto dos personagens vai aos poucos desvendando capítulo após capítulo, além do mistério, uma vasta cultura para o leitor. Por muitas passagens eu encontrei a alma do autor, que abusava do direito ao entrelaçamento de assuntos filosóficos, personagens memoráveis, citações magníficas, críticas, música, sexo, vasta cultura e conhecimentos, religião, misticismo, ficção, lirismo e rock and roll... tudo isso envolto em pura poesia e amor.


O Transcendental e o Carnal juntos num ótimo policial - Excelente obra de estreia de um escritor talentoso e criativo. Se você quer se prender totalmente a uma história, este é o livro certo. Se, além disso, você deseja conhecer e refletir sobre temas e conceitos pouco conhecidos (ao menos pelo mundo ocidental), este livro torna-se ainda mais indicado. A escrita é simples e extremamente envolvente, sendo cada capítulo uma pequena peça necessária a montagem do quebra-cabeça. (...) Não há pontas soltas na história, apenas lacunas propositais criadas para serem preenchidas pela imaginação do leitor. E, acredite, esse livro realmente dá asas à imaginação! Recomendo e muito a obra, acho quase impossível que alguém saia indiferente da leitura da mesma.

Sobre o autor:

Fabio Shiva nasceu em Salvador, Bahia. Aos 8 anos começou a apresentar o programa Chão e Paz na TV Itapoan / TV Aratu. Três anos depois, com a ida da família para o Rio de Janeiro, aposentou-se da carreira de apresentador infantil.

No ano seguinte teve sua iniciação literária com a publicação do poema “Terra” em uma antologia. De lá para cá participou de outras coletâneas de contos e poemas. Aos 16 anos tornou-se professor na Escola de Música Santa Cecília e com a mesma idade ingressou na Faculdade de Comunicação da UERJ, onde se formou, tendo cursado também Ciências Sociais na UFRJ e Psicologia na UERJ.

Trabalhou como ghost-writer em livros de astrologia e como revisor em diversas publicações. Como alguns de seus escritores favoritos, exerceu diversas outras profissões: camelô, body piercer, analista de RH, corretor imobiliário, diagramador, produtor cultural, secretário social, radialista, compositor de jingles políticos.

Essas atividades ocorreram em paralelo à carreira musical, iniciada com a banda Imago Mortis em obras como o aclamado VIDA – The Play of Change, disco que foi considerado um dos melhores lançamentos do rock pesado nacional. Hoje toca baixo nos Mensageiros do Vento, em fase de produção de ANUNNAKI, a primeira ópera-rock em animação brasileira.

Fundou a Comunidade Resenhas Literárias, que já fez circular mais de 1.500 livros pelo país. É facilitador da Oficina deViolão na Casa da Música, APABB e Instituto Daniel Comboni. Já ministrou também a oficina de Meditação paraCrianças, e as duas oficinas estão sendo transformados em livros. Em parceria com Fabricio Barretto escreveu o livro de literatura/filosofia MANIFESTO – Mensageiros do Vento. Tem pronto um livro de contos: ISSO TUDO É MUITO RARO.

8 comentários:

  1. Olá, eu não conhecia essa trama, mas fiquei bem curiosa para saber mais informações sobre. O título me chamou muito a atenção, assim como o gênero escolhido, a capa e sua temática. Também achei essencial falar sobre o autor, Fábio Shiva, e divulgar alguns trechos de algumas resenhas, que como pude perceber, estão muito bem desenvolvidas e destacam características importantes. Vou procurar outros dados, muito obrigada pela dica. Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oi Lilian, gosto de ler suas postagens, você tem uma linguagem única ao descrever os livros.
    Já conhecia o autor, e estou bem curiosa para ler seu lançamento, livros que se passam em um dia me chamam, particularmente, a atenção.
    Bjs,

    Juliana
    claqueteliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Fiquei bem curioso pela livro, principalmente por ser um gênero que gosto tanto que é romance policial. Porém nunca li essa mistura com filosofia e erotismo, mas deve ser algo bem legal e deve deixar a leitura uma experiência única.
    https://nerdbookblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Achei legal a sua maneira de divulgar livros, normalmente as pessoas apenas colocam uma sinopse,bio do autor e é isso ai. Mas você falou de vários aspectos do livro, colocou booktrailer e trechos de resenhas que as pessoas fizeram do livro.
    Adoro essa temática policial cheia de suspense, acho que eu leria este livro. Espero que você faça uma resenha logo para conhecer melhor o livro.

    Beijinhos!
    Cantinho Cult

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?

    Gostei muito da capa e do enredo. Parece aquele tipo de suspense bem envolvente e com muitas cenas fortes. Gosto de ser impactada e este promete. Dica anotada. Adorei. :)

    ResponderExcluir
  6. Olá! Achei bem interessante o livro, gosto bastante de livros com trailer policial, cheios de mistérios e dramas. Bem legal, beijos!
    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Lilian, o estilo do livro não é muito o meu, mas adorei a capa.
    Pelas opiniões dos trechos de resenha que você colocou ele parece ser bom, deu até uma curiosidade.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  8. Oie
    não conhecia o livro mas parece realmente uma leitura tensa e interessante, não leio muito esse gênero mas com certeza fiquei curiosa depois da sua resenha e adorei a capa

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma