Resenha - O Manuscrito




17 março 2016


O Manuscrito, de Chris Pavone Editora Arqueiro, 336 páginas é uma obra interessante.
Cheio de ferramentas estilísticas próprias do gênero, o livro é difícil de engrenar, mas mesmo assim consegue prender, muito mais em razão da habilidade do autor em fazê-lo, utilizando-se de todas as ferramentas possíveis na condução do “mistério”, do que pelo andar da história, meio lenta e difícil.

Apesar de lenta, a trama se desenrola em apenas 24 horas, acompanhando diferentes personagens com diferentes interesses pelo manuscrito “O acidente”, livro deixado por um autor misterioso nas mãos da agente literária Isabel.
Este manuscrito é uma bomba de escândalo, envolvendo o poderoso dono da Wolfe Worldwide Media.
A partir daí, haverá um jogo de interesses incessante, que corrompe e envolve até mesmo a Cia, bem como dúvidas sobre quem de fato é “mocinho” e quem é “bandido” nesta história, e até mesmo sobre a veracidade do Manuscrito.
Ler O Manuscrito é como jogar Detetive, aquele velho jogo de tabuleiro, mas com a diferença de que, além de descobrir quem é criminoso, você também não sabe exatamente quem é a vítima. Todos podem ter interesses escusos, e pode ser que ninguém seja o mocinho.
Embora essa aura de mistério seja bastante interessante, ela também é um pouco exagerada. Em dado momento, o leitor já tem todas as cartas necessárias nas mãos, mas o “segredo” se estende na leitura. É um tanto quanto incômoda essa insistência no mistério, em manter o nome do autor em segredo, em colocar as conexões dele como um mistério, mas de modo geral a história é bastante interessante.
Ah, mais um ponto: Para quem se interessa pelo mercado editorial, diminua-se a escala das intrigas e você terá ali um ótimo modelo de como funciona, todo o jogo de interesses e “etecétera”, é bastante interessante de se observar, sob esse prisma de representar algo real que está bem próximo do leitor.

Talvez tenha sido uma crítica do autor, talvez não. Mas foi divertido enxergar sob esta ótica.


10 comentários:

  1. Fiquei muito interessada por essa parte do mercado editorial, o livro parece ser interessante.
    Legal sua resenha!
    gap-gaphae.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá Amanda! Eu estava intriga com este livro, a capa já havia chamado a minha atenção, mas infelizmente não gosto muito de extremos exageros em livros de mistérios. Acompanharei mais algumas resenhas para decidir se irei ler O Manuscrito. Muito boa a sua resenha!

    umreinomuitodistante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    achei interessante a obra, adorei a resenha, confesso que não conhecia o livro e achei legal a trama se desenvolver em um período de 24hs. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Amanda
    A premissa do livro realmente é interessante e eu leria se tivesse oportunidade. Uma pena que seja uma narrativa um pouco lenta e difícil, o livro tem essa cara mesmo. Adoro um bom mistério, e mesmo que ele demorasse para aparecer eu ia gostar, mas só lendo para saber né.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oie
    que bom que gostou do livro apesar de certos pontos chatos, parece ser uma bela leitura e eu fiquei bem curiosa, já tinha ouvido falar algumas vezes antes mas não sabia bem do que se tratava, muito boa a resenha e dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Amanda! Tudo bom?
    Gostei muito da resenha. Fico triste em saber que o autor não desenvolveu essa narrativa tão bem quanto poderia e acabou estendendo um pouco as coisas, mas só por ser um suspense e eu ser fã do gênero já fiquei curiosa. Legal isso de se passar em apenas 24 horas! Não lembro se já li algo nesse estilo...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Leitura densa e contando as últimas 24 horAS. Me lembrou um pouco "Mrs. Dalloway" que acabei de ler. Interessante,mas não sei se o encararia agora.
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu gostei de saber que há essa questão da 'intriga' do mundo editorial, mas a insistência no mistério meio que me desanimou.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá Amanda, só por todo mistério que a trama carrega já fiquei morrendo de vontade de lê-lo mesmo sendo uma leitura lenta *-*

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  10. Gostei, esse jogo de interesses é intrigante. E também adoro mistérios. Parece ser o tipo de livro que surpreende. Apesar do mistério exagerado, como você disse, e de ele se extender muito. Acho que seria uma ótima leitura para mim.

    Beeijos, Erica Regina
    Blog Parado na Estante / Fanpage Parado na Estante

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma