Resenha - Pra que ter razão se eu posso ser feliz?




25 março 2016



Ainda estou respirando fundo. Achei que era um simples  livro de autoajuda, mas não é bem assim que a banda toca! O que encontrei foi um livro humorado, para quem procura diariamente desaprender para aprender que nada sabe. Pra que ter razão se eu posso ser feliz?, de Isabel Losada, Editora Alaúde, 212 foi uma leitura interessante em 2012.


Acho que a palavra ideal para resumir o livro é Curiosidade. Pois é, dizem que a curiosidade matou o gato. A curiosidade mata a infelicidade, ditadura, preconceito, tristeza, amargura, solidão. Até pode matar o gato, mas não o homem. E foi a curiosidade de Isabel pela própria existência que a levou a uma jornada, longa e inacabável, de autoconhecimento.

Descasada, sem dinheiro e sem trabalho, Isabel sentia que a vida patinava. Sem coragem para mais nada, decide seguir o conselho de uma amiga e se inscreve em um “curso para reorientar a vida”. Ao contrário do que imaginava, sai de lá transformada e disposta a mergulhar na busca de uma existência mais satisfatória.

Pra que ter razão se eu posso ser feliz? é o divertido relato da jornada de uma cética à procura de iluminação. Com seu humor britânico, Isabel descreve com sensibilidade os apuros pelos quais passa e as mudanças que acontecem em sua vida. De cada experiência, tira um ensinamento. Como este: “A vida é excitante. Há muita coisa para fazer e aprender. Na verdade, vocês não precisam de muito dinheiro. Joguem fora a tevê e sejam criativos. E se não for tarde demais para fazer todas as coisas que sempre desejamos fazer?

O livro é dividido em quatorze fases. A primeira fase é num seminário de percepção, que Isabel vai sem muita vontade. Contudo a primeira e mais importante lição vai até o fim do livro “Use tudo para seu aprendizado, sua elevação e seu crescimento”. Confesso que tive frouxos de risos com a fase oito: Pelos fundos.

Foi incrível o efeito de um simples telefonema sobre a consciência que eu tinha do funcionamento de meus intestinos. De repente, meu corpo, em geral totalmente ignorado, sentiu que tinha alguma relevância para meu bem-estar. Cheguei à clínica mais do que nervosa. Mais do que o procedimento, era o interrogatório da Gestapo que me deixava ansiosa. Será que a frequência dos meus movimentos intestinais era a correta?

Perceberam que ela não brincou quando resolveu mudar de vida? Isabel, além de se tornar uma viciada em Work shop, também se manteve aberta ao conhecimento. Experimentou de tudo, ficou irritada muitas vezes, foi cínica e debochada, mas em nenhum momento foi estúpida a ponto de deixar as oportunidades passarem. Isabel fecha o livro com chave de ouro, mas não vou contar o segredinho a vocês.


Lilian Farias

19 comentários:

  1. Às vezes ignoramos a importância que determinadas leitura podem nos ajudar.


    Atenciosamente,
    R.S.Merces

    ResponderExcluir
  2. O livro parece ser muito bom. è sempre bom parar pra refletir e ver como uma leitura como essa pode nos benificiar.

    ResponderExcluir
  3. Ah, que resenha legal Lilian! Há livros que nos são gratas surpresas, não é? Adorei!
    Apesar de não ser muito fã de livros reflexivos (aqueles puramente reflexivos) curto estórias que nos fazem refletir ^^
    Obrigada pela indicação!
    Beijos, tenha um lindo final de semana =*

    @morenalilica
    Doce Insensatez

    ResponderExcluir
  4. Muito boa a resenha! Fiquei com vontade de ler o livro! Acho que vai me ajudar muito! Obrigada! Abraço

    ResponderExcluir
  5. Às vezes é bom dar uma chacoalhada na vida e se livrar daquilo que não te serve mais. Aprender sempre, desaprender velhos hábitos que na verdade são nocivos sempre vale a pena.

    ResponderExcluir
  6. Olha esse livro deve ser um tapa para as pessoas sairem do mundinho e conhecer melhor o mundo que vive....Adorei sua resenha,como sempre perfeita!!!
    beijokas....

    ResponderExcluir
  7. Sua resenha me deixou curiosa.Quero ler,ainda por agora estar lendo o Mundo de Sofia.
    O livro é aquele tipo que te faz ''parir'' pra vida.Vou lê-lo assim que puder,quando foi propicia a hora.
    Adorei sua resenha,e acredito que foi A leitura,e a minha também será dessa forma.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Ainda não conhecia este livro mas, depois da sua resenha, fiquei curiosa! Parece um livro ao mesmo tempo profundo e divertido, muito bom de ler!
    Bjus!!
    Paty Algayer - http://www.magicaliteraria.com/

    ResponderExcluir
  9. Eu amei sua resenha! Eu gosto de ler livro de autoajuda e não escondo isso de ninguém, por isso quando vi a capa pensei que se tratasse de um, mas lendo sua resenha é uma divertida jornada no autoconhecimento que eu gostaria muito de me aventurar. Eu provavelmente daria muitas risadas de Isabel. Vai pra a lista quem sabe mais dia menos dia eu d~e boas risadas. Uma abraço.

    Amanda Ramos

    ResponderExcluir
  10. Puxa, achei a sua resenha extremamente instigante. Deu muita vontade de ler esse livro. Quando nos defrontamos com A leitura e não com apenas uma leitura, é bom demais da conta, não? Vou adicionar à minha lista de desejados e pesquisá-lo melhor. E fiquei ainda mais feliz em saber que você concluiu a leitura feliz!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Apesar de parecer ser um livro bem curioso, acho que não faz meu estilo.

    Beijinhos,
    Thais Priscilla
    http://thaypriscilla.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Olá, não conhecia esse livro, adorei sua resenha Lilian, a capa é bem legal, a premissa interessante, parece ser um livro instigante, que nos deixa curioso e faz querer ler sem parar. Gostei da sua publicação, e vou colocar esse livro na minha wishlist. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  13. Que livro mais amorzinho, já quero pra ontem.
    Muito legal ver a autora trabalhando temas assim de maneira discontraida e que toque as pessoas.

    beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oiii Lilian, tudo bem?
    Eu amei este livrinho, confesso que sempre quando posso estou lendo livros de autoajuda, gosto muito mesmo <3 Este que citou eu me encantei completamente pelo simples de ter um humor hahaha conte-me o segredinho :p
    Beijão

    ResponderExcluir
  15. Liliana, adorei o livro só pelo fato de você dizer que tem o humor britânico nele.
    Gostei da ideia das fases e fiquei interessada em ler.
    Lógico que quero saber o segredinho...

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  16. Não duvido nada que seja mesmo uma leitura interessante, mas não acho que seja livro para mim, mesmo com o bom humor e com a curiosidade tão marcante da autora. Me identifiquei com o "jogue fora a TV"... não cheguei a esse ponto, mas faz anos que não ligo a TV em casa, a não ser que tenha visita de muitos dias e a pessoa queira ver... mas por enquanto não vou ler mesmo.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  17. Oie, tudo bem? A curiosidade é uma das coisas que move as engrenagens da minha vida rsrs. Mas não sei se leria o livro. Não é bem o estilo de leitura que me prenda o suficiente para abrir as páginas e começar. Mas vai que né? Sempre encontro livros diferentes no seu blog. Muito legal para abrir horizontes :)
    Beijos
    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  18. Estou dividida com esse livro que amei o título.
    Não é o tipo de livro que costumo ler, mas mesmo assim ele me chamou atenção.
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Oi!
    Adorei sua resenha, está muito bem escrita. Mas o livro não faz muito meu estilo, vou passar a dica dessa vez :)

    Bjs!

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma