Resenha - O retorno d'O Alquimista




01 março 2017



Há exatos 15 anos, tive, pela primeira vez, contato com a obra de Paulo Coelho.  Entre o fervoroso discurso acadêmico sobre a qualidade da obra e de seus leitores apaixonados, li O Alquimista. Lembro-me, que sempre lia deitada na cama, então, após algumas páginas, caia no sono. E sonhava...

Recentemente, e isso é sério, aconteceu mesmo, ao esperar uma amiga na rodoviária de Aracaju-SE, fui abordada por dois homens de idade avançada, um senhor negro, vestido com roupas escuras, usando colares de contas, um eketé, uma pasta, sentou-se de meu lado esquerdo. E de meu lado direito, um senhor branco, com roupas claras, também usando um eketé.

Os dois chegaram em momentos diferentes e não sei de onde saíram, mas sentaram e cada um disse algo. O senhor de branco, que demonstrava um visível transtorno, queria que eu encontrasse seu ônibus.

Já o outro, começou a falar de diversos assuntos, até que finalmente, chegou em espiritualidade, no meio do assunto, ele perguntou se já havia lido Paulo coelho, respondi que sim. Ele sorriu e disse que precisava ler novamente, que era urgente, que eu lesse e começasse por O Alquimista. Me fez prometer que leria e eu respondi que sim. Além do livro O Alquimista, ele indicou outros quatro que também prometi que leria. Em seguida, a amiga chegou e fui abraça-la, coisa MUITO rápida, e da mesma forma que os senhores apareceram, desaparecem, o que é no mínimo curioso, visto que a rodoviária é plana e pequena e dois senhores de meia idade não caminham como The Flash para simplesmente saírem desapercebidos num curto espaço de tempo.

Enfim, não é todos os dias que brotam idosos e te mandam ler O Alquimista exatamente quando se completa 15 anos que você leu o livro.

O caso é, ele estava certo, eu precisava ler... mas, as relações íntimas com a leitura não vêm ao caso, vamos ao que interessa, a resenha.

Em O Alquimista, Paulo Coelho, Editora Sextante, 176 páginas, Santiago, pastor de ovelhas, decide mudar o curso de sua vida. Ele sempre tem sonhos pautados de muita simbologia, o que o deixa curioso. Após o prenúncio, por uma cigana e logo depois de um rei sábio sobre um tesouro na África. Ele se convence a vender o que tem e partir.

“– Você veio saber de sonhos –  disse a velha. – e os sonhos são a linguagem de Deus. Quando ele fala a linguagem do mundo, eu posso interpretar. Mas ele fala a linguagem de sua alma, só você pode entender. E vou cobrara a consulta de qualquer maneira.”

Santiago embarca até o Egito em busca de ‘entender’ e encontrar o tesouro. Durante a viagem, ele não tem controle sobre o destino e muitas coisas acontecem.
Realmente, bem como eu precisava ler o livro, Santiago encontra muita coisa, gente, temor e tesouros. O tesouro que se remete a transcendência, aquela elevação espiritual e de consciência que nem a todxs acomete. O Alquimista não é sobre institucionalização de religiões, é sobre espiritualidade, conhecer a nós, conhecer em volta, entrar em contato com o ancestral (afinal, é para África que Santiago viaja), atingir um grau de consciência capaz de encontrar o self.

Acho que agora compreendi o motivo do senhor que sentou de meu lado direito insistir tanto no ônibus. O ônibus transporta, é um caminho a ser seguido. Há muita simbologia entre o que aconteceu naquele dia na rodoviária, a leitura de O Alquimista e o que eu precisava ver/sentir.

Como disse, minha vivência durante a leitura é algo íntimo, pessoal e intransferível, não cabe numa resenha. Mas, conforme prometido naquele curto diálogo, lerei todas as obras do autor indicadas, o próximo é Brida, que também faz 15 anos desde a última e primeira leitura.

34 comentários:

  1. Eu ainda não li esse livro mas preciso fazer isso pra ontem! Sei que a obra possui muitos ensinamentos e palavras inspiradoras e até mesmo que nos proporcionem momentos de reflexão. Achei muito curiosa o seu contato com os dois idosos que falaram para você ler o livro novamente.

    ResponderExcluir
  2. Já li muito Paulo Coelho, mas faz alguns anos e não reli nenhum dos livros dele. Gosto muito da escrita dele, os livros são super envolventes. Outro autor que lembra Paulo Coelho é Carlos Castaneda, ele também tem essa coisa do mistico... enfim, li tem mais de 15 anos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também li bem jovem, é a primeira vez que faço releitura. Como eu prometi ao senhor que conversou comigo, então...

      Excluir
  3. Realmente, dá para perceber a simbologia no ocorrido. Achei muito interessando, tanto o que aconteceu quando a resenha. Conhecia o livro, mas apenas por capa e nome. Achei a premissa dele bem bacana isso de entrar em contato com o ancestral. Dica anotada!
    Beijoos! <3

    ResponderExcluir
  4. Oiii, tudo bem?
    Eu apenas tive a oportunidade de ler o livro O Zahir do autor e até que gostei bastante e por ser meu primeiro contato, sei que muita gente odeia ele, mas sempre é bom darmos novas oportunidades a tantos autores.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu li esse livro na época escolar, tive bastante dificuldade para terminar.
    Apesar das duas considerações não consigo me identificar com a escrita de Paulo Coelho.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  6. A escrita do Paulo Coelho consegue trazer diversas reflexões e colocar as engrenagens das nossas cabeças para funcionar, não é? Assim como essa sua "resenha" que é quase um poema de tão bem escrita e deliciosa de se ler. Meus parabéns!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Ainda, não li o livro, está na minha listinha, só leio maravilhas sobre ele! adorei a resenha!
    Beijooos

    ResponderExcluir
  8. Amo Paulo Coelho, mas esse é um dos livros que eu ainda não li. Já tenho aqui, lerei assim que puder.
    Mas fiquei bem mais animada agora, depois desse post. :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Nossa! Que história, hein!
    Eu nunca li nada do Paulo Coelho, mas realmente quando eu era adolescente ouvi muitos comentários desqualificando a obra dele, acho que isso influenciou minha falta de vontade de ler algum de seus livros. Já tinha visto essa edição caprichada da Arqueiro, mas não sabia do que falava a história. Pelas suas considerações, parece ser uma leitura reflexiva e carregada de mensagens.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, realmente as pessoas desqualificam o autor do ponto de vista estético, a literatura como arte.

      Excluir
  10. Olá Lilian, tudo bem?
    Não me orgulho em dizer que ainda não li essa obra.
    Já ouvi falar muito dela, mas ainda não fiz a leitura, apesar da curiosidade e do interesse no livro.
    Sua resenha só me deixou ainda mais animada, espero poder ler em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Fiquei arrepiada com o que te aconteceu na rodoviária!!
    Nunca li o livro, mas tenho muita vontade, gosto da premissa!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estou sem acreditar até agora, foi tudo tão louco, sei lá... mas prometi a leitura e estou firme ^^

      Excluir
  12. Oi, tudo bem?

    Só li um livro do Paulo até hoje (Veronika decide morrer) e não tenho interesse em ler outros, por enquanto. O Alquimista é super cotado mundo afora, mas esse misticismo não me convence taaanto assim. Gosto do fato de o livro ser sobre espiritualidade, mas acho que não tô na vibe agora. Quem sabe, um dia, eu fique interessada :)

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Poxa, que coisa curiosa!
    Releituras em diferente fases da vida sempre são ótimas; conseguimos enxergar prismas que antes não víamos.
    Não sou mesmo fã de Paulo Coelho, mas também li algumas obras na adolescência e caia no sono. Talvez seja minha próxima releitura. Estou curiosa com o que eu possa encontrar dessa vez.

    E concordo com você: nossas experiências e impressões de leitura são pessoais e íntimas, difíceis de resumir.

    ResponderExcluir
  14. Que loucura esta história da rodoviária! Nem sei o que dizer além disso...
    O alquimista eu li quando tinha 15 anos e fiquei pensando nele por dias, anotei várias passagens. Estou querendo reler, mas não comprei esta versão comemorativa ainda. Penso que cada um sente os livros do autor a seu modo, conforme sua vida está no momento, é mesmo difícil passar isso para uma resenha. Já li Brida, e também gostei, nem sabia que ia fazer 15 anos também. Aliás, já li a maioria dos livros dele.
    Bjs, rose.

    ResponderExcluir
  15. Oi.

    Tá aí um livro que eu não tenho interesse em ler. Não sei porquê, mas não não me interesso pelos livros do Paulo Coelho. Mesmo que ela seja bem famoso e que as pessoas falem dele, não faz muito meu estilo.

    ResponderExcluir
  16. Oi
    Deve fazer uns 15 anos que li esse livro também. Desde que saiu essa nova edição to querendo reler. Fico feliz que a leitura tenha sido especial para você. Espero que quando eu reler seja para mim também.
    Bjus

    ResponderExcluir
  17. Oie
    eu já li um livro do autor e quero ler outros mas esse não se inclui na lista, pois foge mais dos gêenro que aprecio, mesmo assim parabéns pela resenha

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Menina, que história! Eu li esse livro na minha adolescência e fiquei com ele por dias na minha cabeça. Depois li Veronika decide morrer. O dois me trouxeram muito questões de auto-ajuda. Mas não tenho vontade de rele-los não. A menos que um senhor estranho me mande.

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem? Nossa que vontade de ler esse livro. Sempre me interesse por Alquimista do Paulo Coelho, mas ainda não tive nenhuma oportunidade de lê-lo. Sei que ele vai além de uma simples leitura e quero muito desfrutar. Seu post me lembrou os motivos que quero realizar a leitura. Adorei <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Eu nunca li nada do Paulo Coelho para dizer se gosto, mas já li várias reflexões sobre e ainda não sei de fato porque eu não li rs. O Alquimista, por exemplo, já li várias resenhas. E parabéns pela sua, ficou bem explicada.

    ResponderExcluir
  21. Garota do céu! Nunca tive vontade de ler Paulo Coelho apesar de todo meu respeito e admiração por seu trabalho como escritor. Mas hoje, lendo essa resenha e a sua experiência fiquei completamente interessada! Parabéns por escrever tão bem. Amei mesmo! Amei muito!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  22. Oie,
    Achei sua história muito curiosa e ao mesmo tempo misteriosa. Tenho orgulho em dizer que O Alquimista é um dos meus livros favoritos de todos os tempos. Amo a forma como Paulo Coelho aborda a espiritualidade em seus livros, a religião, etc. O Alquimista é, acima de tudo, um livro sobre nunca desistir dos seus sonhos. A leitura me ajudou muito quando eu precisei acreditar mais em mim mesma, acho que é esse o objetivo.
    Leia Brida, pois tenho certeza de que você se lembrará como ele é ótimo <3.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  23. Okey eu fiquei meio assustada com a história dos senhorzinhos Lilie '-' trem louco '--' mas enfim, nunca li o alquimista sabia? quando novinha, com uns 10 anos tentei, mas foi tão confuso que deixei de lado kkkk.

    ResponderExcluir
  24. Olá!

    Me conta quais as outras leituras sugeridas?!
    Seu texto é expendido, se é real ou não, sem gostaria de saber! A forma como contou ficou perfeito!
    Não li esse titulo, pretendo ler assim que puder. Li O Demônio e a Srta. Prym e Veronika Decide Morrer, já faz uns dez anos e na época eu não apreciava leitura como hoje, então seria ideal reler, mas por enquanto fico com a opinião que me lembro, que os amei! Já li outros três do autor que não me passou nada muito profundo, mas gosto e admiro muito o autor!

    Bjus

    ResponderExcluir
  25. Oi, Lilian ^^
    O Paulo Coelho traz um misto de sentimentos em mim. Já li 4 obras deles e em todas aprendi lições valorosas mesmo com os momentos em que achava didático demais a escrita ao ponto de não querer recomendar para ninguém os livros.
    O Alquimista é uma das obras dele que tenho mais vontade de ler por conta do seu sucesso no meio dos seus leitores. Espero um dia conseguir e compreender a fundo a mensagem do enredo.
    Bem intrigante esse encontro que você teve na estação de trem. Eu com certeza ficaria um pouco amedrontado com essa percepção de que deveria ler uma obra por conta de duas pessoas que me abordaram.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  26. Olá Lilian,

    Gostei demais da história da rodoviária e é muito doido essa ligação, mas para falar a verdade não gosto de Paulo Coelho e não tenho vontade de ler suas obras, mas reconheço que tem qualidade....bjs.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Olá! Achei a premissa e a resenha bem interessante, apresenta ter um contato com o ancestral e o simbologismos do ocorrido. Ainda não li nada desse autor, tenho curiosidade. Dica anotada! Beijos'

    ResponderExcluir
  28. Olá!
    Nunca li nada do Paulo Coelho, mas não entendo porque todo mundo fala tão mal dele assim. Tenho bastante curiosidade em ler essa obra em especial, e adorei poder conferir a sua resenha, tão profunda que ela foi.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Concordo totalmente sobre a individualidade da leitura, são as suas experiência, sua vivência e seu ser que definem o que aquela leitura representa pra você. Além do momento em que você está, acho que é muito importante.
    Estou achando o máximo essa releitura, e aguardo ansiosa por Brida, que é no meu ver uma das leituras mais divertidas dele.
    E sobre a ligação com o senhor... acho que as coisas acontecem como tem que ser! ^^ Ele veio no momento certo.

    ResponderExcluir
  30. Oiie!

    Eu li também a um tempo (poe anos nisso) e fiquei bem intrigada a ler depois do que a motivou a ler. Sou espírita, então já pensei em mil coisas haha Vou aproveitar os descontos nos livros do Paulo Coelho e ler novamente

    beijos

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma