Resenha – A Filha do Sangue de Anne Bishop




10 julho 2014

A filha do sangue, de Anne Bishop, Saída de Emergência Brasil, 432 páginas, é um livro muito esperado por mim, parecia que não chegava, mesmo estando no tempo normal de entrega... finalmente chegou e temos até sorteio. A capa também foi um forte atrativo. E já vou avisando que é uma trilogia.
Na verdade, essa não é uma resenha simples. A história é longa, com muitas tramas, personagens, excesso de informações para minha cabeça, mas que só deixa o livro melhor... logo de início, encontramos um pequeno resumo, quase um mapa para compreensão do livro. Mas só se debruçando em cada página é que o leitor conseguirá juntar os fios. Terminei a leitura esgotada! Quero mais!

O Reino Distorcido se prepara para o cumprimento de uma antiga profecia: a chegada de uma nova Rainha, a Feiticeira que tem mais poder que o próprio Senhor do Inferno. Mas ela ainda é jovem, e por isso pode ser influencidade e corrompida. Quem a controlar terá domínio sobre o mundo. Três homens poderosos, inimigos viscerais - sabem disso. Saetan, Lucivar e Daemon logo percebem o poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. Assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, no qual as armas são o ódio e o amor. E cujo preço pode ser terrível e inimaginável.”

O que ficou muito claro para mim é que quando há desequilíbrio entre o bem e o mal que habita o humano, todos padecem! No reino Distorcido, pelo nome já dá para se ter uma ideia do que se trata, existem outros três sub-reinos: Terreille, Inferno e Kaeleer. Nesses reinos, possuídos pelas trevas e sombras, as raças, pois são várias, são dominadas pelos ‘Sangue’. E a fêmea dos ‘Sangue’ manda em todos e em tudo.
O reino é matriarcal, o que me deixou triste com a leitura, pois em muitos momentos, senti que a autora alfineta o feminismo, lastimável. Esse fato quase me fez parar a leitura!
Os ‘Sangue’ segue uma linha hierárquica onde a Rainha está no topo, depois ‘Fêmea de Sangue”; “Príncipes dos Senhores de Guerra” e ”Machos de Sangue”. Os homens não mandam em nada, são objetos de uso dos desejos das Fêmeas e Rainha. Mas isso não significa que os homens não sejam poderosos, eles são. Depois, com o aprofundar da leitura Bishop nos desvela o quão é doloroso a batalha pelo poder. Quanto mais homens e mulheres lutam pelo poder, mas escravos desse poder se tornam.
No meio disso tudo, surge Jaenelle, a Feiticeira, a verdadeira Filha do Sangue. Mas a saga dessa menina não será fácil, num mundo cruel e perverso. A pureza de Jaenelle será um prato cheio para seus inimigos e mais uma ferramenta para seus admiradores.
Anne Bishop não faz um livro ‘bonzinho’; ela escreve uma história com uma trama forte e envolvente, muitas vezes cruel e desesperadora. Não espere água com açúcar. Espere muita confusão... você se sentirá confusa, o enredo é confuso, como um jogo de xadrez. Somente com o prolongo da leitura conseguimos movimentar as peças e avançar e é quando a Bishop nos surpreende mais e nos retira da zona de conforto!
Em certos momentos, senti enjoou, raiva, ódio. Em outros queria largar o livro, jogar fora, mas, de repente, eu o olhava e me sentia fascinada, chamada pela magia que nele habita!
Ainda não falei de todos os personagens que estão a volta de Jaenelle: os guardiões, homens poderosos, Lucivar e Daemon e Saetan. Todos debelados por Dorothea, rainha louca, que transforma quem não é plebeu em escravo sexual. A feiticeira é o fio de esperança que todos guardavam, mesmo sendo uma criança, as energias se revigoram.
Agora, quero a continuação!
E não esquece que tem promoção do livro aqui

5 comentários:

  1. Olá, Lilian! Ainda não conhecia esse livro mas amei sua resenha!! Parece que o livro causa emoções fortes no leitor né? Vou colocá-lo na minha listinha!!
    Beijos

    http://versosenotas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá :)
    Gostei muito da sua resenha, você escreve muito bem. :3
    Esse livro aparenta ser muito bom, pois o assunto é muito interessante, acredito que também poderá ser meio confuso para mim se por acaso um dia eu fizer a leitura. A sua resenha me fez querer ler.
    bjus...

    http://my-stories-wonderful-books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nossa, quando escutei falar deste livro não passou pela minha cabeça que fosse assim tão cheio de emoções!! Fiquei curiosa agora!! =) Gostei muito da resenha!! Mexeu com minha curiosidade!! =D
    bjão!! ^^

    http://www.estantedanana.com.br/category/home/

    ResponderExcluir
  4. Olá, ainda nao tinha lido nada sobre essa obra mas muito me agradou, bem interessante!

    ResponderExcluir
  5. um livro intenso e incrivel, gostei demais da sua resenha ficou muito convidativa e super interessante .. parabéns

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma