Sociedade e Literatura - Escritores improváveis, por Leonardo Nóbrega




22 maio 2015

O pôr do sol alongava a sombra do curtido homem que, com uma enxada às costas, dava por encerrado mais um dia de trabalho árduo no cemitério central da grande cidade indiferente à morte e à vida. O coveiro se despedia das vielas do Campo Santo e se recolhia ao cubículo que chamava de lar, ali, após um banho e uma frugal refeição, começava uma nova jornada, dessa feita não era trabalho, mas puro prazer. Naquele momento o homem que passava a maior parte do dia enterrando cadáveres desenterrava personagens. O coveiro virava escritor.



Esse poderia ser um primeiro parágrafo de algum livro, mas é a vida real. Quantos escritores improváveis existem por aí? Quantos anônimos sentados ao seu lado no ônibus já se aventuraram na arte das letras? Quantos poetas, romancistas, contistas e cronistas se escondem nas gavetas das cidades e dos campos? Acredito que praticamente todo artista, seja ator, cantor ou escritor, fez algo antes de conseguir sobreviver da sua arte e, em muitos casos, concomitantemente. Então o aparente árido terreno social parece ser, na verdade, fértil em mentes literárias criativas.


Parafraseando uma expressão que esteve em evidência até pouco tempo, somos todos escritores. Para ser escritor não precisa ter cursado qualquer faculdade, entretanto, às vezes, precisa, sim, sofrer um pouco das faculdades mentais, por isso acho que quem escreve pode ser chamado de “esCrizofrênico”. Quem escreve é graduado pela vida; para ser escritor não precisa cursar mestrado, mas precisa ser mestre, precisa saber dizer emoções e sensações, precisa ter vivido e saber contar o que viveu; não precisa ser doutor, mas sem dúvida precisa ser douto. Não estou dizendo que é fácil ser escritor, mas que é algo que não podemos controlar e os muros das cidades estão aí para provar o que eu digo. Camisetas artesanais pintadas com poemas que nunca estarão em livros nas vitrines das livrarias corroboram comigo. Certa vez, vi em um velho prédio abandonado uma escada onde cada degrau tinha uma palavra no espelho, àquela parte da frente dos degraus, e ao terminar a subida formava uma pequena história que não tinha sentido até ler o que havia escrito nos degraus na descida. Quem escreveu naquela escada? Não sei. Mas certamente foi um escritor improvável.


Esse escritor desconhecido se junta a muitos outros. Presidiários, garis, meninos e meninas que viveram (ou ainda vivem) em situação de rua, e quantos mais não sabemos. Porém são muitos os literatas anônimos. A maioria apenas escreve por sentir necessidade; necessidade que quem escreve sente de registrar ideias que estão desgarradas pela mente, uma forma de coloca-las em ordem e conseguir entender o próprio e tumultuado mundo subterrâneo.  Mas alguns (poucos, é verdade) desses ganham destaque pela genialidade ou pela história de vida, é o caso de Antônio Gonçalves da Silva, o genial Patativa de Assaré que por volta dos doze anos começou a rabiscar seus poemas ou do histórico profeta Gentileza com sua poesia concreta inscrita no cinza concreto de um viaduto. 
Fica então a questão colocada linda e apropriadamente pela cantora e compositora Marisa Monte: 


Por isso eu pergunto
A você no mundo
Se é mais inteligente
O livro ou a sabedoria
O mundo é uma escola
A vida é um circo
"Amor: palavra que liberta"
Já dizia o profeta

Sobre o colunista:
Leonardo Nóbrega é autor dos livros: Outro Tempos e Crimes do Tarô. Clique na imagem e entre em contato com o autor


19 comentários:

  1. Gente que post amor, adoro essas pequenas coisas que tornam nosso dia melhor, não conhecia o leornado e nem tinha ouvido falar mas gostei, parabéns pelo post.

    http://mylittlegardenofideas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que texto mais lindo, adorei a maneira como fala sobre os escritores da vida.

    " Presidiários, garis, meninos e meninas que viveram (ou ainda vivem) em situação de rua, e quantos mais não sabemos"

    Desconhecidos que também tem algo a dizer (escrever). Somos todos escritores! <3

    ResponderExcluir
  3. Tudo relacionado a poesia me toca, aliás, faço poemas também e adoro esse mundo da arte. Seu texto me fez chorar ao lembrar dos poetas e escritores anônimos, principalmente aqueles que moram nas ruas e a gente nem imagina o talento que eles tem. Como eu mesma costumo dizer "é muito amor envolvido". Bom, continue fazendo textos como este, porque pode ter certeza, eu sempre vou passar aqui para ler :D super beijo!

    Mutações Faíscantes da Porto

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Poxa, que post mais incrível! Um dos melhores textos que li ultimamente!
    Acho que no fundo todos temos um pouco de escritores dentro de nós! Escrever nós ajuda a libertar os nosso sentimentos mais profundos e nós da uma sensação de alivio incrível, pelo menos é assim que me sinto quando escrevo sobre algo.

    Beijo :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  5. "Escrever liberta a nossa alma, nos leva a mundos distantes e felizes que nem nós mesmos saberíamos que existiam no nosso mundo normal." Esse é meu lema, pena que ultimamente não estou conseguindo escrever nenhum texto, mas não desistirei, em breve a mente fica suave e leve e aí voltarei a escrever.

    Muito bonito seu texto,me fez pensar muito e refletir sobre muitos aspectos da vida.

    bjs

    ResponderExcluir
  6. Olha eu simplesmente adorei o texto desenvolvido na postagem.
    Acho que a escrita ajuda muito, porque nos faz colocar os sentimentos para fora e também é uma maneira da gente se abrir quando não conseguimos nos expressar. Eu sinceramente acho muito bacana. Acho que tudo que você colocou no seu texto chamou atenção de muita gente por conta disso, porque tem muito carinho e amor nele =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/05/resenha-estudo-independente.html

    ResponderExcluir
  7. Escrever. não importa o quê, seja um livro, um diário, uma resenha quem sabe? Acho que essa é a melhor forma de nos comunicarmos. Através da escrita passamos tantas mensagens. Adorei seu texto!
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  8. Achei o post muito lindo, senti sentimentos no que foi escrito, e concordo com essas linhas que li, não precisa faculdade para ser escritor, mas o ensino da vida, é, sem dúvidas, algo fundamental! Parabéns pelo texto!!

    Abraços e até!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oláá
    Adorei seu post, está muuito bem escrito e os sentimentos são visíveis, sem contar as verdades apresentadas né haha muito bom expor isso tudo por aqui ;)

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, como vai?
    Amei esse post, ficou muito rico em detalhes!
    Concordo com tudo, temos muitos escritos bons em anônimo, ou que vivem uma vida em que nunca terão a oportunidade de apresentar suas obras em grande escala, mas que mesmo com poucos estudos são formados pela vida!
    Adoro andar e ler nos muros as coisas que muitos desses escritores deixam, aqui perto de casa tem vários muros com escritos bem legais, inclusive algumas das citações do Gentileza!
    Enfim, amei a postagem, beijão!

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?
    Sem dúvidas belas palavras e o melhor post que li hoje.
    Já vi muitos escritores improváveis por aí, acredito que até eu tenha sido durante um tempo, quando a necessidade de colocar os sentimentos para fora falava mais alto. Infelizmente perdi tudo junto com o caderno onde escrevia.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  12. Engraçado, sempre que passo de condução indo para o centro do Rio de Janeiro e vejo muros, pilastras e casas com frases instigantes e inteligentes, fico pensando quantas mentes não estamos perdendo. Infelizmente, as drogas ao menos por aqui estão tomando conta da nossa juventude e não é só nas ruas :(
    Sinceramente, penso que espaços como o Afroreggae, as casas de educação da Rocinha e do Morro Santa Marta que fazem artistas ( muitos hoje da Globo) deveriam se propagar mais. Sair do morro e ir para ruas, afinal nas ruas também temos taletos.
    Amei a reflexão.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?

    Linda postagem, que sensibilidade ao abordar este tema. Uma grande e inegável verdade: Quantos desses autores temos por aí?
    Parabéns pela visão e sensibilidades que tens e por tê-la expressado tão bem.

    Beijo!
    Livros & Tal [ http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/ ]

    ResponderExcluir
  14. Oi Leonardo, tudo bem?
    Nossa, você além de escritor é um poeta!!!!!!Seu texto ficou lindo e me tocou. A citação da Marisa que eu adoro é perfeita. Essa história escrita em nos degraus de uma escada, além de escritor, o autor improvável é um artista, que ideia criativa e com certeza, em minha opinião, deve existir um significado para ele ter feito dessa forma. Tudo é questão de perspectiva, não é mesmo? Eu sempre achei que história é vida, então, escritor é aquele que põe vida no papel.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Primeiro, você coloca uma das minhas músicas favoritas no início. Depois, escreve um texto com uma delicadeza e maestria imensurável. Existe alguma palavra para definir a perfeição desse post?
    Leonardo, você é incrível!
    Beijos,
    www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
  16. Lindo post, Leonardo!
    Acho que você conseguiu fazer com que os vários escritores anônimos por aí se sentissem representados pelas suas palavras. De fato, não é preciso ter estudado Letras para se tornar um escritor, mas é necessário alta dose de sensibilidade e habilidade para tornar palpáveis e encantadores os mistérios humanos e inumanos! É preciso ser mestre na arte de convencer.

    Adorei seu post! Parabéns!

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Aqui na minha cidade a gente tem um projeto para alguns escritores pintarem suas frases num mural. Todo mês esse mural é refeito e qualquer um pode passar ali e deixar uma mensagem pra quem estiver passando. É simplesmente incrível. Eu mesma sou uma autora anonima, escrevo quase o tempo todo, mas guardo tudo pra mim.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oii!

    Escrever é a melhor maneira de se expressar, não imposta se é um livro, um diário, uma reportagem, uma resenha ou talvez até um trabalho, o que importa é a mensagem que você que passar ^^
    Parabéns pela post!

    Beijos, Kamila
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  19. Escrever liberta a alma, liberta os nossos sentimentos e é por isso que amo escrever. E, sim! acho que todos nós temos um pouco de escritor dentro de sí. Já vi varias poesias mensagens desses "autores fantasmas" na cidade onde moro, presente nos portões e muros e escadas e devo admitir que algumas dessas mensagens e poesias são muito bem escritas e lindas. Adorei o texto!

    Abraço;

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma