Resenha – Infinito Reflexo: Um palácio para Hamid




22 junho 2016



O livro Infinito Reflexo: Um palácio para Hamid, de Cris de Ávila, com ilustrações de Leonardo Guidugli, 55 páginas, Editora Empíreo, é o tipo de obra que nos faz viajar de maneira poética e transcendental.

Hamid, um vendedor de canetas artesanais, é uma criança que vive na Índia, ‘país onde a vaca é sagrada’, e que todos os dias, num ritual quase sagrado, vai ao encontro dos turistas curiosos e ávidos pela misteriosa Índia.

“Havia chegado a grande hora do dia! Hamid saca da mochila sua caneta e seu caderno de ‘orelhas’, com folhas manchadas pelas mãos sujas. Dono de uma escrita caprichosa e desenhos coloridos, ele caminha em direção a um dos turistas. Desta vez a escolhida era uma mulher alemã, de pele muito clara, loira, cabelo curto e olhos claros. Bombardeada de perguntas entusiasmadas, Magda retribuía com sorrisos e respostas sinceras (...)”

Ao que parece, Hamid é um encantador de pessoas, e entre perguntas e encantamentos, ele se transporta ultrapassando as fronteiras da imaginação, conhece povos e línguas distintas. Anota tudo em seu caderno. Cada pessoa, ou turista, uma experiência única, mágica, intransferível.

“Dia após dia, passo após passo, diários após diários, Hamid estava prestes a dar a volta ao mundo. Sua mente e seu diário já haviam passado por lugares como Moscou, Londres, Berlim, Istambul, Hong Kong, Los Angeles, Chicago, Marrakech, Milão, Cairo, Xangai, Caracas, Cidade do México, fantasiando imagens e experimentando diversas línguas aprendidas, mas ele não imaginava a surpresa que estava por vir. ”

Hamid representa aquilo que, às vezes, penso que a humanidade está perdendo, a afetividade pela linguagem, o simples dom de ouvir e falar, transmitindo conhecimentos, trocando conhecimentos.  E é justamente pela afetividade que ele terá uma bela surpresa ao conhecer uma menininha de cinco anos.

O enredo juntamente com as ilustrações revela o sensorial da obra. Que desvela o quanto o leitor também pode ser Hamid.


Nas últimas páginas, a autora revela como foi o encontro dela com Hamid, porém, o impacto da leitura ao me transportar para mundos além do horizonte, fez com que eu lesse esse relato no dia anterior. Eu queria ficar, por algumas horas, com o meu próprio Hamid, com a minha experiência intransferível. Quase um segredo. 

A literatura é infantil, mas não tenho dúvidas que os adultos mais sensíveis poderão ser contemplados por cada palavra e ilustração desse que foi, para mim, um livro mágico. 

Por Lilian Farias

13 comentários:

  1. Olá lindona,
    amei esse livro, não conhecia mas já quero um exemplar. Mesmo sendo infantil eu gostei muito da história. Acho que é bem legal e trás uma mensagem muito bacana.
    beijocas.

    meumundosecreto

    ResponderExcluir
  2. ouuuwn, deve ser um livro poético, sensível e encantador... pelo que tu tava falando dele, certamente eu iria gostar de fazer a leitura... a edição está muito linda :D

    ResponderExcluir
  3. Oi, como vai?

    Me apaixonei pelo Hamid, e assim como ele existe muitos vendedores de balas, chicletes e canetas como ele, não somente na Índia, dura e triste realidade. Não conhecia, mas, depois de ler sua resenha, me encantei com o livro, quero ler com toda certeza. Obrigada pela dica!

    http://www.cristinadeutsch.org/
    Saudações literárias.

    Beijos no ♥http://www.cristinadeutsch.org/
    Saudações literárias.
    Beijos no ♥

    ResponderExcluir
  4. Oiii Lilia, tudo bem?
    Creio que seja um livrinho lindo de se ver e sentir o que o personagem passa. Olhando por um lado real mesmo, é o que tu falou as pessoas deixaram de valorizar o ouvir e falar, isso é algo que me deixa bastante abalada. A edição está lindinha e fofa.
    Bejinhos

    ResponderExcluir
  5. Gente! Sua resenha está sensacional! Acho que o livro te tocou de alguma forma e você conseguiu transportar isso para a resenha, porque tudo parece ser tão encantador na história de Hamid <3
    Eu curso Jornalismo e assim como ele, gosto muito de conhecer a história das pessoas. Tenho que ler esse livro logo!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Lilian!
    Eu ainda não conhecia o livro e esse foi meu primeiro contato com ele. Simplesmente tô encantada!
    Achei a premissa incrível e o fato do personagem passar por essa troca de experiências com os turistas, com outras culturas e do livro tocar nesse ponto sobre a linguagem já me fazem querer lê-lo. Sabendo que tem ilustrações então, sem dúvidas irei ler!
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oioi! Tudo bem?
    Adoro conhecer novas obras e sua resenha está mto bem feita.
    Nao é meu tipo de livro, acho que nao sei aprenciar esse tipo de obra e por isso vou deixar passar a dica.
    Otimo.
    Beijos

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  8. Olá Liliam, o livro e a resenha são belíssimos, gostei muito da parte sensível do livro e de como ele lida com sentimentos. Dica anotada.

    ResponderExcluir
  9. Oii,
    Adorei sua resenha e a historia, já quero ler! Mesmo sendo o tipo de leitura que eu não estou acostumado.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Lilian, sua linda, tudo bem?
    Achei seu texto tão tocante, você usou de uma sensibilidade que é impossível resistir. Um daqueles livros que fazem diferença, que nos fazem acordar com um ensinamento precioso. Não vejo a hora de ler. Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oie
    muito legal sua dica e inda não conhecia a obra, parece ser um livro bem diferente do que leio mas o tema chamou minha atenção

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Me pareceu mesmo um livro mágico! Que coisa mais curiosa o garoto ter esses diários e anotar tudo o que acontece em seus encontros com as pessoas, parece mesmo que ele as encanta! Fiquei curiosa pela surpresa que ele tem com a menininha.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  13. Me pareceu uma leitura interessante. Foge muito do que eu to acostumada a ler, mas acho que encararia essa leitura de peito aberto. Enredos assim tem um toque especial, eu acho.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma