Header Ads

Gostaria ainda de me avistar - Milton Nascimento - Maria, Maria




Maria, Maria
É um dom, uma certa magia
Uma força que nos alerta
Uma mulher que merece
Viver e amar
Como outra qualquer
Do planeta

Maria, Maria
É o som, é a cor, é o suor
É a dose mais forte e lenta
De uma gente que ri
Quando deve chorar

E não vive, apenas aguenta







Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria
Mistura a dor e a alegria

Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida

Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria
Mistura a dor e a alegria


 Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida

3 comentários:

  1. Oi tudo bem? Adoro essa música toca no fundo de minha alma, porque qualquer uma de nós pode ser Maria, e por ser Nilton Nascimento quem a compôs, a melodia é maravilhosa e nos passa vários tipos de Maria que somos no decorrer de nossas vidas. Parabéns pelo post e por ter compartilhado comigo, bjs!

    ResponderExcluir
  2. Oi Lilian, sua linda, tudo bem?
    Eu sou fã de Milton Nascimento, fico arrepiada com as letras das músicas dele. E essa é uma daquelas que só alguém como ele teria a sensibilidade e o coração para escrever. Amei!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  3. Oi Lilian,
    Eu já conhecia a música, mas li a letra assim mesmo e fiquei emocionada. Quer dizer tanta coisa, sobre nossa senhora, e sobre todas as mulheres. Traga mais dicas como essa. Estou gostando muito das postagens do seu blog, parabéns.
    Bjs.
    Pri.

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma