Header Ads

Livro Ser mulher indígena é...Narrativas de mulheres indígenas brasileiras





As mulheres indígenas sofrem as mesmas violências que as mulheres não indígenas. No entanto, enfrentam ainda mais dificuldades, por verem seu povo em situação de vulnerabilidade, marginalizado e discriminado, e por sofrerem como mulheres não apenas física e psicologicamente, mas também socialmente, já que não são reconhecidas nas leis e políticas voltadas à mulher. Mesmo assim, as mulheres indígenas enfrentam, a sua maneira, o mundo que as rodeia.

Iniciando o #AbrilIndígena, ao mesmo tempo em que se encerra o mês dedicado às mulheres e sua luta, o COMIN lança o livro “Ser mulher indígena é...Narrativas de mulheres indígenas brasileiras”.

A obra é fruto da campanha “O que é ser mulher indígena”, postada nas redes sociais do COMIN em março de 2018, e tem o objetivo de mostrar a diversidade de compreensões sobre o que é ser mulher entre os povos indígenas. Na publicação, é possível conhecer mulheres que resistem na luta por direitos, outras que venceram dificuldades para estudarem, as que já foram cacicas de suas comunidades, mulheres que migraram de seu povo e tantas outras que compartilharam suas histórias e façanhas na busca pelo bem viver.

O livro está disponível para download AQUI  

Fonte: Conselho de Missão entre Povos Indígenas - COMIN

10 comentários:

  1. UAU que proposta maravilhosa!
    Fiquei com vontade de ler esses relatos. Sei que vou me incomodar, pois elas fortes e determinadas. Mas como vc mesma disse, sofrem muito pela vulnerabilidade do seu povo e falta de leis =/

    Sem dúvidas, quero dar uma chance pra essa leitura e já vou atrás. Obrigada pela indicação de leitura

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  2. Caraca, até baixei aqui! Fiquei muito curiosa pra ler, é uma iniciativa super legal isso de mostrar a realidade das mulheres indigenas, gostei muito! Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Caramba, não conhecia esse livro ainda, e acredito que nunca tinha visto nenhum outro com essa proposta. Parece ser uma leitura bem interessante, irei baixar aqui. Ótima dica!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Que interessante! Já li contos escritos por indígenas, porém não me lembro se eram por mulheres. Gosto de aprender mais sobre algo tão distante da minha realidade, ótima dica.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  5. Olá

    Gostei de sua proposta.
    Moro no Maranhão e sei bem a realidade das mulheres indígenas e como sua saúde e as políticas públicas voltadas para as mulheres não abrangem a realidade das mesmas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá, muito obrigada por me apresentar a essa publicação, já vou baixar o meu, acho super importante e muito interessante dar voz à população indígena, especialmente às mulheres.

    ResponderExcluir
  7. Eu não conhecia o livro, mas simplesmente amei a proposta de dar voz a um povo que nem se quer é lembrado por nós. Vou baixar agora mesmo e pelo que vi é bem curtinho, 67 páginas, mas que precisam ser lidas. Obrigada pela dica.

    abraços.

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito da premissa e acho que deve ser uma obra exemplar! Muito bom saber sobre o download, vou baixar o meu e quero ler com calma, assim que tiver um tempinho. Ótima dica!

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem? Nossa, que postagem sensacional! Não conhecia o livro, mas vejo sua relevância e importância. Adorei trazer a tona o assunto, e com certeza lerei. Realmente temos que conhecer a realidade das mulheres nos povos indígenas.
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem? Que iniciativa mais interessante. Não tenho muito conhecimento sobre a vida dos indígenas mas acho legal projetos que reforcem sua cultura e conscientize as pessoas sobre como devemos tratá-los. É uma pena as mulheres índias não serem reconhecidas como pessoas "normais". Fiquei curiosa para ler. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma