Header Ads

Resenha O espírito Ayurveda na cozinha - Culinária Ayurvédica para o seu dia a dia, de Kate O’Donnell




Cozinha é alquimia, alma e espiritualidade e não há quem me convença do contrário, é possível que exista quem faça o contrário, neste caso, não há o espírito que nos conecta ao todo. Na cultura nativa da Índia, o Ayurveda é a ciência da saúde que compreende o equilíbrio e desiquilíbrio do organismo.

“Na visão Ayurveda, manter-se saudável depende muito da boa nutrição e da boa digestão”

Alimentação e cozinhar é um ato político que quanto mais alienado, mais nos adoece e nos mantem reféns de planos de ‘saúde’. Trazer consciência para nossos hábitos alimentares, pode ser simples e divertido e embora o Ayurveda seja ciência, ela nos permite brincar com nossa intuição e sensibilidade.

No Ayurveda, a anatomia humana começa com os cinco elementos: espaço (também chamado de ‘éter’), ar, fogo, água e terra. Os elementos criam três compostos que regem funções e energias corporais específicas: movimento, transformação e coesão (manter as coisas unidas). Quando esses compostos, conhecidos como doshas, estão em equilíbrio e funcionando harmoniosamente, a pessoa desfruta de movimentos tranquilos (digestão, circulação etc.), sentidos límpidos, eliminação adequada dos resíduos e felicidade (satisfação, realização). (O’Donnell, 2019)

No livro Culinária Ayurvédica para o seu dia a dia, de Kate O’Donnell, fotografias de Cara Brostrom, Grupo Editorial Pensamento, 2019, leitores encontram os princípios fundamentais da alimentação Ayurveda; como as estações do ano influenciam o organismo e apetite; receitas fáceis e baratas de fazer, além de noções de planejamento para um estilo de vida mais consciente e consequentemente saudável. 






“(...) o Caraka Samhita, um dos mais respeitados e antigos textos clássicos de Ayurveda, define vida (ayus) como “a perfeita conjunção entre o corpo, os órgãos dos sentidos, a mente e a consciência” (p.6). Assim, o homem só pode ser totalmente compreendido e considerado na plenitude de sua vida se estiverem em harmonia a sua dimensão física (corpo físico), mental (corpo sensorial e mental) e espiritual (corpo do intelecto e da Consciência). A palavra espiritualidade é extremamente perigosa por enfeixar uma larga gama de sentidos semânticos que podem não corresponder exatamente às possibilidades de compreensão pretendida pelos textos do Ayurveda. Espiritualidade aqui deve ser compreendida como uma capacidade inerente ao homem de abstração e afastamento do mundo concreto, percebido pelos cinco sentidos, e a introspecção e busca de novas experiências percebidas nas inúmeras possibilidades de manifestações do psiquismo” (*DEVEZA. 2013)

A minha experiência pessoal com as receitas foi importante, obviamente, não consegui fazer mais de cem receitas, então escolhi aquelas que estavam dentro de minhas possibilidades e não me arrependi porque como a Ayurveda nos permite contextualizar, a princípio segui o passo a passo do livro e depois adaptei com outros ingredientes. Por exemplo, minha primeira tentativa foi com Wraps de Couve-manteiga, que tem um sabor magnífico e causa sensação de bem estar e saciedade, depois, substitui o arroz por quinoa germinada e para mim continuou extraordinário.

Depois fiz as trufas de manteiga de girassol, eu não sabia a existência da manteiga de girassol e amo conhecer novos ingredientes e possibilidades. E pela primeira vez, consegui fazer brotos de feijão, fiz do feijão-mungo que comi na salada do almoço. Agora vou experimentar as sopas...

Outro aspecto relevante do livro é falar sobre a sinestesia dos alimentos, combinação, alguns ingredientes para que tenha sua propriedade nutricional ativada ou potencializada, necessitam da combinação certa, por exemplo, o nosso tão conhecido arroz e feijão.




Este não é um mero livro de receitas fáceis, é um livro sobre alquimia, alma e espiritualidade que nos conecta com o todo e faz querer saber mais. Ninguém precisa ser cozinheirx, chef de cozinha, mas é preciso compreender o que comemos e o motivo de determinadas escolhas alimentares, logo, mesmo que não experimente materializar as receitas, Culinária Ayurvédica para o seu dia a dia proporciona uma boa reflexão sobre quem somos durante nossas refeições...


*Fonte: DEVEZA ACRS. Ayurveda – A medicina clássica indiana / Ayurveda – the classical indian medicine. Rev Med (São Paulo). 2013 jul.- set.,92(3):156-65. (ProSER – Programa de Saúde, Espiritualidade e Religiosidade. Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo)

12 comentários:

  1. eu sempre achei que cozinhar era uma coisa muito fora de mim, acho que por causa da conexão ou algo assim, deve ser por isso que eu nuca aprendi.
    Achei legal isso da India, essa conexão toda com a culinaria, muito legal! essa espiritualidade toda é algo que sempre me encantou na cultura indiana!

    ResponderExcluir
  2. Adoro cozinhar e conhecer ingredientes e sabores novos. Onde moro é difícil encontrar ingredientes muito diferentes, mas adorei conhecer o livro.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oiieeee

    Não sou exatamente uma chef de cozinha, mas me interessa bastante essas dicas de culinária, gosto de inovar de vez em quando e provar novos pratos. Gostei da dica, até por apresentar um cardápio com opções baratas pra quem não tem tanta condição de ir fazendo tudo.

    Beijos, Alice

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Eu sou péssima na cozinha quando o assunto são as comidas normais, mas sou ótima nas sobremesas. Parece ser uma opção boa para quem quer sair da mesmice.

    Beijos,
    Blog Diversamente

    ResponderExcluir
  5. Sou terrível na cozinha e livros da temática ajudam e dão até uma forcinha para tentar, mas nem sempre dá certo. Mas para novas aventuras e conhecimento é uma boa.

    ResponderExcluir
  6. Olá tem um bom tempo que não vejo dicas de leitura do gênero adorei e já anotei para experiências futuras.

    ResponderExcluir
  7. gente nunca li nada sobre o assunto, deve ser uma ótima leitura e cheia de conhecimento

    ResponderExcluir
  8. Eu na cozinha = desastre total hahaha. Mas acho bem bacana aprimorar essas práticas e principalmente conhecer novas receitas, ainda mais de outra cultura. Gostei!

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  9. Que interessante.
    Recentemente li uma ficção em que a protagonista era hindu e ela falava muito sobre a culinária local. A autora descreveu os pratos com tantos detalhes, que fiquei com água na boca. Gostei da proposta desse livro <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  10. Olá

    Tudo que comemos é um ato cultural. Somos ensinados a comer aquilo ou outro por um ato de coletividade que muitas vezes não tem uma reflexão anterior que pode contribuir para uma alimentação distante da saudável e rica no que necessitamos de verdade e acabamos nos tornando reféns de fast food e carne vermelha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Eu amo cozinha e cozinhar é uma arte, adorei conhecer esse livro e fiquei muito curiosa com a leitura e também com as receitas

    ResponderExcluir
  12. Oie, tudo bem? Que indicação mais interessante. Gosto muito de receitas apesar de não me arriscar muito. Já meu namorado sempre inventa alguns pratos com ingredientes diferentes. O mais legal é que podemos adaptar à nossa realidade. Além de melhorar nossa saúde. Não conhecia mas já anotei para procurar. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma