Header Ads

Alguns Poemas de Eunice de Souza





Em sua sutil passagem por Gaya, Eunice de Souza (1940 - 2017), escritora indiana, deixou uma poesia, por vezes, íntima, ácida, feminista e direta. Pouco conhecida, materializou o verbo poético em língua inglesa e cresceu sob a influência da cultura indiana e católica, o que marca seu texto em tom de crítica.  




CONSELHO ÀS MULHERES

Arranjai gatos
se quereis aprender a lidar com
a diferença dos amantes.
A diferença nem sempre é negligência –
Os gatos regressam às suas caixas de areia
quando precisam.
Não praguejam das janelas
para os seus inimigos.
Esse olhar de perpétua surpresa
nesses enormes olhos verdes
ensinar-vos-á
a morrer sozinhas.

MORTE

Morte, dizei-me
Dia, Hora, Local.
Tenho de procurar
As minhas cuecas pecaminosas,
Marcar uma consulta
Com um pedicuro.

RESTOS


Os ossos da minha mãe num nicho.
As cinzas da minha tia também.

Uma vida.
Uma vida.


APRENDAM COM A FOLHA DA AMENDOEIRA


Aprendam com a folha da amendoeira
que se incendeia ao cair.
O solo arde.
A terra arde.
O resplendor
é o mais importante.

PLANTEI UM CAROÇO DE ABACATE

Plantei um caroço de abacate
na minha cozinha
para a Ruth
e para o Alan, que morreram.
Amigos os dois, mais a Ruth —
A da voz de
aveia e mel.
Vou replantar o caroço
dar-lhe espaço para ser árvore
viver
enquanto a dor durar.



PEDAÇO DE CONVERSA

Um dia a minha tia educada à portuguesa
pegou num shivalingam de barro
e disse:
é um cinzeiro?
Não, disse o vendedor,
é o nosso deus.



Fontes:

8 comentários:

  1. Nossa, amei esses versos. Não conhecia e já vou correr atrás da obra dela. 😮 Mais uma indiana pra me deleitar em sua poética. 🖤

    ResponderExcluir
  2. Oiieee

    Ah que versos incriveis, não conhecia o trabalho de Eunice de Souza, qu influência curiosa ela teve - indiana e católica. Gostei bastante de conhecer alguns de seus versos.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia essa poetiza é bom ver que existem poetas indianas além de Rupi Kaur...Vou pesquisar mais sobre ela, gostei dos poemas singelos leves e eu já arranjei meu gato então estou bem rsrs.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto muito de poesias e é sempre uma delícia visitar o seu blog e encontrar algumas tão boas quanto essas. Eu não conhecia a Eunice de Souza ainda, mas gostei muito de você tê-la apresentado

    ResponderExcluir
  5. Eu amo poesias! Sempre parecem atingir uma parte tão íntima nossa, né? Como uma velha amiga que senta para conversar.
    Não conhecia a Eunice, mas adorei conhecer alguns versos. Coisa boa temos que dividir mesmo, né? Vou dividir com outros amigos que também gostam.

    Beijos!

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma