Resenha – O verão das bonecas mortas




27 julho 2014

Preciso confidenciar que a capa de O verão das bonecas mortas, de Toni Hill, Editora Tordesilhas, 372 páginas, causa-me medo. Pronto falei! E foi tão sério, que evitava ler à noite, vai que tinha pesadelos (risos)... De contra partida, me senti fascinada pela sinopse! #coisadelouca!
Algo peculiar na leitura é o fato de o livro ser acelerado. Ainda não havia lido algo tão frenético da Alaúde, eu gostei. É um ritmo literário mais Norte Americano e que ficou muito bom. A história é bem construída.

Um romance policial que acerta em cheio ao construir uma trama instigante, com personagens complexos, atmosfera envolvente e muitas reviravoltas. Com um protagonista forte e bem construído, a trama conta também com personagens secundários que pouco a pouco ganham luz e ajudam a iluminar dois mundos diferentes na mesma cidade: um mundo de gente rica e privilegiada em contraste com o universo do tráfico de mulheres e de contraventores de pequeno porte.

Héctor é um policial que sempre fez um trabalho de excelência, até o dia em que perdeu a razão e espancou um suspeito por tráfico de mulheres. Dada as circunstâncias, ele é forçado a tirar férias. Mas quando retorna, seu superior passa-lhe um caso extraoficial: suspeita de suicídio. Afinal, ainda não se sabe ao certo se ele caiu ou foi empurrado da janela.
E o morto em questão é Marc de 18 anos, que aparece no início do livro, com apenas 6 anos, procurando por sua amiga Íris. Num súbito Insight, ele a procura na piscina e a encontra morta.  
Mesmo em uma nova investigação, Héctor ainda tem em mente o Omar, aquele camarada que ele espancou por suspeita de tráfico de mulheres. O Héctor é esquentado, mas é um cara legal. Em alguns momentos, por incrível que pareça, lembrei-me de Tropa de Elite. A capa fez-me lembrar do boneco assassino...
A trama é como uma teia que no continuar das páginas vai encaixando tudo. O livro já começa na adrenalina, uma menininha morta numa piscina com um monte de bonecas. A capa ainda me deixa um pouco confusa, ainda a considero macabra, mesmo, depois de ter lido, saber que ela tem ligação com as histórias. Porém o medo não passou!
Quando mostrei a capa para alguns amigos, todos a classificaram como macabra e disseram que pela capa não compraria o livro, no entanto, quando eu contei a história, mudaram de opinião. No geral, a leitura é mais que recomendada! Simplesmente, adorei!

9 comentários:

  1. Oi!
    Gente, achei que era só eu que tinha medo daquela capa, rsrs. Sou medrosa mesmo :/ Mas então li a sinopse e fiquei com muita vontade de ler o livro! Fiquei curiosa com o fato de a piscina estar cheia de bonecas... tem a ver com o assasinato ou coisa assim?
    Beijo!

    http://lucyintheskywithbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro compensa! A história é fantástica!

      Excluir
  2. Olá Lilian,

    Realmente essa capa é horrível e por isso não compraria, mesmo me interessando pela história que parece bem legal....abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Fiquei feliz de ter lido essa Resenha!! Eu não pensava em comprar o livro (Essa capa dá medo) O.o hahaha Mas agora lendo sua resenha fiquei super interessada pela história!! Ótima dica e Ótima resenha!! ^^ Só tenho tido dicas boas neste Blog!! =D

    http://www.estantedanana.com.br/

    ResponderExcluir
  4. nossa esse livro parece ser bem intenso , essa capa muito forte e me deixou intrigada.. sua resenha ficou impecavei ....parabéns

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Que nada, eu adorei a capa haha
    Eu lia livros do Stephen King à noite e achava que não ia conseguir dormir, mas sempre dormi bem =D
    Enfim... Adorei a história, muito legal. Estou com vontade de ler.
    Beijo

    http://vicioseliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahhahahahahahaha
      Sou medrosa mesmo! <3

      Excluir
  6. vi a capa e fiquei com um medinho... a sinopse me surpreendeu e fiquei com mais medo hehe

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma