Releituras – O Lustre, de Clarice Lispector




29 abril 2015

O significado de uma obra pode variar devido a subjetividade do ser humano. Muita coisa depende de nossa percepção. Essa percepção pode mudar ao longo de nossa existência. E a nossa existência, os dias vividos, trazem maturidade, que traz ressignificação. Mas isso não é uma regra geral.
Clarissa Pinkola Estés, em seu mais celebre livro, Mulheres que correm com os lobos, afirma: “Desde o instante em que nascemos, há dentro de nós um impulso selvagem que deseja que nossa alma conduza nossa vida, pois o ego é limitado na sua capacidade de compreensão. Imaginemos o ego preso a uma rédea permanente e relativamente curta; ele só consegue penetrar até certo ponto nos mistérios da vida e do espírito”. Pode-se dizer que o mesmo ocorre com o processo de leitura, ela se materializa até onde os nossos limites alcançam, considerando que leitura é um ato cognitivo político. Mas isso também não é uma regra geral.
Logo, quando minha alma estabelece conexão com o que leio, um processo dialógico surge, mesmo, por vezes, sendo confundida pelo ego.  Portanto, discorrer sobre qualquer obra de Clarice é abrir os meandros de minha alma, até onde minha maturidade alcançar. Talvez, agora, os motivos de tantas releituras façam sentido...

De Granja Quieta até a cidade, Virgínia recria seu mundo. A sofrida trajetória da menina-mulher e suas descobertas ora ampliam, ora reduzem o significado dos gestos, detalhes, nuances, palavras. Clarice Lispector, com este romance, vem delinear a existência dentro do conflito humano. A atualidade da história salta aos olhos através das constâncias e inconstâncias da vida.

Há duas semanas tento iniciar esse texto, um livro que nos faz olhar pra dentro e reler nossa própria história. É relativamente uma vivência curta, somente trinta anos, mas com algumas histórias para contar, algumas felizes, outras, nem tanto. E aquelas que preferia esquecer e enterrar num lugar onde nem eu tivesse acesso. Mas, como anular as cicatrizes?
Virginia, personagem central de O Lustre, sempre desejou um lugar que fosse seu. O sonho de infância era deixar a Granja Quieta, onde nasceu, mas, precisamos ter cuidado com o que desejamos. A construção da personagem Virgínia entre criança e sua vida na cidade marca a solidão de uma menina-mulher que não pode ser definida com estereótipos. Virgínia poderia ser qualquer um de nós e para compreender essa relação, é importante ter resiliência.
Alguns objetos, ou símbolos, perambulam pela obra, indo e vindo; proporcionando ao leitor a sensação de caos e cosmo. O Lustre, por exemplo, aos meus olhos, funcionou como o cosmo, a paz e felicidade que ela tanto almejava. O Trem, por sua vez, o objeto de transição, ou mesmo o portal, entre o passado e presente. Entre sua vida no interior e sua vida na cidade grande. Não vou me estender numa análise, inclusive por acreditar que cada um deve entender a sua maneira. Afinal, ler O Lustre, leva ao leitor participar do enredo e sentir muitas vozes.


Para quem nunca leu Clarice, sugiro que inicie com os contos, crônicas e os livros infantis: Como nasceram as estrelas; Do Rio de Janeiro e seus personagens - Crônicas para jovens; O mistério do coelho pensante e outros contos; Aprendendo a viver - Crônicas, etc.


19 comentários:

  1. Já vi elogios a ela, mas eu não consigo me interessar em le-lo, sabe quando voce sabe que o livro ate poderia ser bom, mas voce sabe que para voce não ira ser, infelizmente é assim que eu me sinto com esse livro :(
    Talvez algum dia eu mude de ideia, mas por enquanto eu não leria.

    ResponderExcluir
  2. Clarice é DIVA!
    Nunca lí este livro em questão, mas já li alguns contos e inclusive Como nasceram as estrelas, como vc citou acima. Ler Clarice é complexo e ao mesmo tempo sensacional e apaixonante!
    Beijos!
    Blog Cheiro de Livro Nacional

    ResponderExcluir
  3. Apenas encantada com você, mais uma vez! acho o jeito que você escreve tão poético e inspirador. Já li Como nasceram as estrelas dela, a única coisa que li também, atéacho que em algum momento da minha vida lerei outra coisa porém, agora ainda não é o momento.
    beijos*...*
    http://notinhasderodape.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Lilian, seu blog é sempre uma maravilha. Olha, você deveria ler a biografia da Clarice Lispector escrita pelo Benjamin Moser. Tem resenha no meu blog sobre ela. Você iria amar! A Clarice é mesmo muito encantadora, e os livros que ela escreveu... Nossa! Nunca li O Lustre, mas tive a impressão que sentirei as mesmas coisas que você.
    Um abraço, e continue com esse seu belíssimo trabalho! Adoro o seu blog :)
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim você acaba comigo! Estou louca para ler a Biografia dela, nossa! Mais livro para comprar...

      Excluir
  5. Sua resenha foi espetacular, você conseguiu transmitir todos os sentimentos nela, e Clarice é muito perfeito amo os livros dela...
    bjus

    ResponderExcluir
  6. Oi lindona... ai eu cheguei a começar a ler esse livro mas não consegui terminar, a leitura não me convenceu, mas talvez tenha sido pq peguei pra ler assim aleatoriamente e desse jeito as leituras nao funcionam comigo. Eu preciso pegar com vontade sabe... talvez eu volte a ler afinal é Clarice :)
    Muito boa sua resenha, mostre uma idéia bacana do livro em si.
    Bjooo

    ResponderExcluir
  7. Oi Lilian, que post mais poético, típico do Poesia na Alma! *-*
    Acho que todo mundo conhece a Clarice, pelo menos de nome, afinal, em algum momento do Ensino Médio foi preciso estudá-la né? Hehe.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oláá
    A unica obra que já li da autora foi A hora da estrela mas era muito novinha e acabei perdendo a essência do livro mas pretendo reler, e esse parece muito interessante, sua resenha ficou ótimo, é sempre bom ler essa autora, é muito importante.

    http://realityofbooks.blogspot.com.br/
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi, Lilian...Então agora entendo porque não terminei o livro, não sei se era "o meu momento", mas não consegui achar interessante, não me prendeu, talvez ter começado pelos contos, como você sugeriu pudesse ter me preparado para esta leitura na época. Li a biografia para a escola (Ensino Médio) e sempre que fazia este tipo de trabalho, escolhia um ou dois livros do autor para ler, mas neste caso não fiquei muito motivada. Sua resenha me trouxe um novo olhar sobre 'O Lustre',achei mais interessante , parabéns pelo dom com as palavras.

    Alessandra | http://ale-dreams.net

    ResponderExcluir
  10. Não conheço esse livro, mas gosto muito da Clarice, acho ela uma estrela no mundo literário,
    primeiro contato foi na escola, ótima resenha. Passou muita credibilidade ao livro, pode ser que futuramente eu leia, por enquanto nem cogito por falta de tempo e outras leituras em andamento. bjoks

    ResponderExcluir
  11. Oii Lilian tudo bem?
    Nunca li nada da Clarice nem mesmo na escola, só lia as frases que o povo posta no facebook falando que é dela kkk. Parabéns pela resenha ficou perfeitamente perfeita <3

    Beijos!!!!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Tenho muita vontade de ler Clarice. Porém, não sei com que livro começar :( Queria alguma dica :x
    Esse parece ser bem interessante, mas não sei se começaria por ele. www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia o texto até o final, talvez, encontre as dicas... talvez...

      Excluir
  13. Oi Lilian, tudo bem?
    Como sempre me deliciei com sua resenha. Nunca li Clarice, mas preciso mudar esse fato.
    Vou seguir suas dicas quando for comprar ou pegar algo dela na biblioteca.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  14. Olá! Que belo texto! Preciso ler Clarice, e vou seguir a sua dica. Mais uma vez, obrigado por compartilhar algo conosco. Beijos!

    ResponderExcluir
  15. O que falar dessa resenha me diz? INCRIVEL!
    Menina você manda muito bem com a sua resenha, sempre mandou e a cada dia me surpreende mais.
    Não conhecia esse livro da Clarice, o único que eu li foi A Hora da Estrela por causa do vestibular e por ler meio na obrigação não o aproveitei como deveria.
    Vou seguir as suas dicas e começar pelos contos como sugeriu

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  16. Hey, tudo bem?

    Infelizmente não tenho nenhum livro da Clarice que seja de contos ou crônicas. Uma pena, porque após sia resenha fiquei com muita vontade de ler algo dela, ver qual seria as perspectivas que a leitura me faria assumir, mas agora com certeza vou correr atrás para ler algo dela.

    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  17. Lilian-linda,
    Adorei sua resenha – e isso não é novidade. Acho que um autor capaz de criar uma história que nos faz olhar para nós mesmos certamente atingiu o ápice do que a literatura pode fazer na vida de alguém. E a Clarice, ah, ela parece que ultrapassou esse ápice há muito tempo.
    Confesso que ainda desconhecia O Lustre, mas com certeza o lerei com boas expectativas.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma