Um dia de poesia - Metade




01 junho 2015

Junho é o mês da ASADHA - Tempo das Monções. Onde a borboleta, que representa a transformação, é consagrada em algumas comunidades tribais. Dizem os xamãs, que quem consegue ver uma borboleta por dia, durante um mês, terá sorte. Como não posso dar a vocês o presente da borboleta, resolvi iniciar o mês com o novo projetinho amor: um dia de poesia.
Uma vez por mês, para agradecer a todas e todos a presença neste espaço, colocarei uma poesia. Para a brincadeira fica legal, convido vocês, que estão lendo essa coluna, a comentarem retribuindo com outra poesia. Pode ser um poema, Haicai, aforismo, música, etc.
Vamos deixar a imaginação fluir e contemplar a todos que aqui chegarem com o poético. 


video



Por Oswaldo Montenegro

Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo em que acredito não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.
Que a música que ouço ao longe seja linda
Ainda que tristeza que a mulher que amo seja para sempre amada mesmo que distante
Porque metade de mim é partida, mas a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço
E que essa tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que penso, mas a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
Que o espelho reflita em meu rosto num doce sorriso que eu me lembro de ter dado na infância
Porque metade de mim é a lembrança do que fui a outra metade não sei.
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria para me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer
Porque metade de mim é plateia e a outra metade é canção.
E que a minha loucura seja perdoada

Porque metade de mim é amor e a outra metade também.

22 comentários:

  1. poxa, adorei a ideia do post. Pena que mal vejo uma borboleta, que dirá uma por dia TT_TT
    e olha que ando precisando de sorte...
    enfim... escolhi um haicai de Kerouac...

    "Desci da minha
    torre de marfim
    E não achei mundo nenhum..."

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem?
    Achei muito interessante essa nova coluna, pena que eu sou péssimo com poesia, rs
    mas enfim vou deixar uma pequeno poema aqui.

    A Vingança de Dayane

    Nenhuma lágrima mais.
    Sem grito, raiva ou inveja.
    Em vez disso, decide instilar ternura.

    M. Gramacho

    http://literaturaparaosaber.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Poesia = ♥

    Não conhecia esses versos. A gente às vezes passa na correria da vida e não pára para avaliar os pequenos poemas cotidianos encontrados por aí, em músicas, em livros, nos muros da cidade... É sempre bom fazer uma pausa para reflexão.

    Recentemente li a Antologia Poética do Drummond. Recomendo fortemente.

    Beijo ;*

    http://miasodre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oii, tudo bem?
    Bom, eu praticamente vejo várias borboletas por dia, apesar de não gostar muito, rsrs.
    Que linda poesia, eu sou uma negação para isso, rsrs.

    Deixo aqui um pedaço de Autopsicografia, de Fernando Pessoa.
    [...]
    E os que leem o que escreve,
    Na dor lida sentem bem,
    Não as duas que ele teve,
    Mas só a que eles não têm.
    [...]

    Beijos da Jéss ♥
    http://brilliantdiamond-bg.blogspot.com.br/2015/05/resenha-uma-cancao-para-libelula-parte.html

    ResponderExcluir
  5. Olá =)

    Ainda não conhecia esses versos, porque eu não sou muito perceptiva quando se trata de poesia. Patético eu sei. Estou tentando mudar isso. Meu pai me apresentou as músicas do Oswaldo Montenegro, gosto muito das letras.

    Beijos,
    www.estantedarob.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Lilian, bem que eu gostaria de responder com poesia, mas não conseguirei. Acho lindo este texto, principalmente as partes que falam "metade de mim é...", isso deixou tudo completo, como duas metades devem ser.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  7. Olá, adorei esse seu novo projeto <3 Não leio muito poesias, mas sempre tem aquelas que nos tocam e encantam <3

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  8. Ah, agora vou ficar na rua tentando encontrar borboletas todo o dia. hahahha
    É mais fácil achar no verão, no frio aqui do sul quase não vejo. :(
    Adorei a poesia! Queria responder com uma, mas nunca tentei escrever, então não quero passar vergonha. :P
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Lilian, adorei a sua escolha! Que poesia linda! Oswaldo é mesmo demais né? Amei!
    E já que você pediu, vou colocar um trecho que não é exatamente de uma poesia mas de uma música que eu acho bem poética, rs.

    Eu que já não sou assim
    Muito de ganhar
    Junto as mãos ao meu redor
    Faço o melhor que sou capaz
    Só pra viver em paz

    Beijos
    Carol
    www,sobrevicioselivros.com

    ResponderExcluir
  10. Eu conheço esse poema, nem acredito! Uma professora de literatura minha me mostrou em uma aula, e eu lembro de ter achado muito bonito. Nem acredito! Eu acho simplesmente lindo e maravilhoso, dá uma sensação tão calma ouvir os versos no vídeo!

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Conheço um pouco do trabalho do Oswaldo Montenegro, mas essa poesia não conhecia ainda! Adorei o post, muito legal sua iniciativa!

    "Só o que está morto não muda!
    Repito por pura alegria de viver:
    A salvação é pelo risco,
    Sem o qual a vida não vale a pena!"
    (Clarice Lispector)

    Beijão :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi Lilian, tudo bem?
    Projeto diferente e interessante para os amantes dessa arte. Me considero uma pessoa bem desligada quando o assunto é poesia, então ainda não conhecia esse do Oswaldo Montenegro. Não sou muito fã do gênero, já que é difícil conseguir me envolver com algum poema.
    Beijos!

    Rafaela, Eterna Leitora.
    www.eterna-leitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oláá
    Adorei o post e o projeto, muito interessante, eu não sou tão chegada em poesia mas realmente quero ler mais daqui para frente.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Eu gosto muito desse do bukowski por ser a mais pura verdade: "Então quer ser escritor?"
    se não sai de ti a explodir
    apesar de tudo,
    não o faças.
    a menos que saia sem perguntar do teu
    coração, da tua cabeça, da tua boca
    das tuas entranhas,
    não o faças."

    Gostei muito do projeto <3
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  15. Oie! Tudo bem?

    Adorei a ideia do post. Moro perto de um bosque e borboletas estão presentes em minha vida. Para contribuir com a ideia proposta, aqui vai o poema que deu título ao meu blog:

    Livros e flores

    Teus olhos são meus livros.
    Que livro há aí melhor,
    Em que melhor se leia
    A página do amor?

    Flores me são teus lábios.
    Onde há mais bela flor,
    Em que melhor se beba
    O bálsamo do amor?

    Machado de Assis

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  16. Oi Lilian, tudo bem?
    Comento esse post com lágrimas nos olhos e um sorriso nos lábios.
    Simplesmente lindo. (Adoro Oswaldo)
    E estou começando acreditar nos xamãs e meu pai sempre me falou que borboleta trás sorte.
    Em casa vejo pelo menos 10 por dia, gosto de vê-las apesar de ter medo, e apesar de algumas coisas ruins terem acontecido, as coisas boas estão aqui e são mais fortes que as ruins.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  17. Adorei e irei retribuir com a poesia!

    Dialética - Vinicius de Moraes

    É claro que a vida é boa
    E a alegria, a única indizível emoção
    É claro que te acho linda
    Em ti bendigo o amor das coisas simples
    É claro que te amo
    E tenho tudo para ser feliz
    Mas acontece que eu sou triste...

    Abraços e até!

    http://lendoferozmente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Que coisa mais linda!
    Lilian, adorei o projeto. Muito digno. Infelizmente, acho que em uma cidade como a minha, é impossível ver uma borboleta por dia durante um mês. Mas você encontrou um ótimo modo de remediar isso, trazendo poesia à vida.

    Adorei essa! Não conhecia. Desejo sucesso ao projeto.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Oi, tudo bem?

    Adorei ideia do projeto e a poesia que vc escolheu é encantadora!

    Não vou poder colaborar colocando uma aqui nos comentários pq de imediato, não me vem nenhuma a mente. Seu Blog é um encanto!

    Beijo!
    Livros & Tal [http://livrosetalgroup.blogspot.com.br]

    ResponderExcluir
  20. Oi querida ^^
    Que bela poesia, fazia um tempo que n lia nenhuma, rsrsrs, eu costumava escrever, mas n lembro pq parei :p
    www.muchdreamer.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Comentarei seu lindo poema com uma frase de Clarisse Lispector. " É quase impossível evitar o ecesso de amor que um bobo provoca. É só o bobo é capaz de acesso de amor. E só o amor faz o bobo."
    Beijinhos

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma