Releituras – Profissões Para Mulheres e Outros Artigos Feministas




03 junho 2015

Virginia Woolf, em Profissões Para Mulheres e Outros Artigos Feministas, 104 páginas, L&PM Editora, descontrói. O livro é curto, porém cheio de ressignificados, dividido em sete artigos, onde a autora rebate alguns ‘críticos’ que afirmavam (ainda afirmam) que mulheres não escreviam livros de qualidade. Considerando, segundo eles, que as mulheres são intelectualmente inferiores aos homens.


Em Profissões para mulheres, primeiro artigo, lido em 21 de janeiro de 1931, além da autora descontruir o conceito de mulher criado socialmente como ‘anjo do lar’, que significa a mulher correta para os padrões sociais do patriarcado. Matar o ‘anjo do lar’ para compreender-se como mulher, foi seu primeiro passo para se tornar escritora e exercer isso como profissão.

“[…] vocês, que são de uma geração mais jovem e mais feliz, talvez não tenham ouvido falar dela – talvez não saibam o que quero dizer com o Anjo do Lar. Vou tentar resumir. Ela era extremamente simpática. Imensamente encantadora. Totalmente altruísta. Excelente nas difíceis artes do convívio familiar. Sacrificava-se todos os dias. Se o almoço era frango, ela ficava com o pé; se havia ar encanado, era ali que ia se sentar – em suma, seu feitio era nunca ter opinião ou vontade própria, e preferia sempre concordar com as opiniões e vontades dos outros. E acima de tudo – nem preciso dizer – ela era pura.”

Virginia não conhece a minha geração, pois não chegou a viver para isso, então, infelizmente, devo informar: os ‘anjos de lar’ ainda existem, no Brasil e no mundo. Mas, o legado da autora é que precisamos matar o ‘anjo do lar’ todos os dias; precisamos desconstruir aquilo que é imposto como certo e normatizado. O ‘anjo do lar’ sussurra em nossa memória celular, bem como sussurrava na mente da Woolf:

Querida, você é uma moça. Está escrevendo sobre um livro que foi escrito por um homem. Seja afável; seja meiga; lisonjeie; engane; use todas as manhãs de nosso sexo. Nunca deixe ninguém perceber que você tem opinião própria. E principalmente seja pura.”

Outro destaque significativo da obra, além do discurso de gênero, é a visão sobre as questões de classe. Virgínia sabia que ocupava, socialmente, um lugar de privilégio. Ela cita que seu primeiro salário como escritora não foi para pagar contas, mas comprar um gatinho, depois um carro. Bem distante da realidade de muitas outras mulheres. Portanto, ela não se fez de rogada para se apropriar do discurso da meritocracia; ao contrário, ela também descontrói o discurso meritocrático. Infelizmente, esse tipo de discurso é deveras aclamado pela mídia nacional e algumas religiões.


Não é possível discorrer sobre todos os artigos, seria um texto enorme, quase outro livro. Pois, como citei acima, apesar de o livro ser muito pequeno, ele é imenso em conteúdo. Rico em simbologia. É uma obra subversiva, que todas e todos deveriam ler. A escrita é fluída, simples e gostosa. Essa é a oitava vez que leio a obra e o devorei em pouco mais de uma hora.

16 comentários:

  1. Nossa, Lili. Fiquei chocada. Lendo os excertos que você colocou na sua resenha, é imediato o choque de ver o quanto o "anjo do lar" ainda existe, não só nos outros, mas em nós. Quanto tempo leva pra desconstruir o machismo impregnado em nós mesmas????

    ResponderExcluir
  2. Nossa :) essas frases que você escolheu foram Uau, deve ser um livro perfeito para se refletir, principalmente para as mulheres...Tipo eu com certeza devia ler um livro assim ( Vou começar a ler mais resenhas sobre livros parecidos ).
    A resenha está super interessante, porque é um assunto que vivemos até hoje.

    Beijosss
    http://proximapagina-pp.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. eis um dos livros dela que sou super a fim de ler e ainda não tive oportunidade. Por ser curtinho, por ser da LPM e por ser Woolf rsrsrs
    é... posso dizer que conheço algumas que se encaixam na categoria 'anjo do lar'. :(

    ResponderExcluir
  4. Eu li apenas contos da Virginia Woolf, mas amo a escrita dessa mulher.
    Com certeza essa leitura será enriquecedora na minha vida.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  5. Li um livro dela e gostei bastante, tenho muita vontade de ler outras obras dela. Não conhecia esses artigos, mas vou procurar para ler!
    A escrita dela me envolveu bastante, achei que não ia curtir, mas me surpreendi.
    http://www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  6. Oii, tudo bem?
    Acredito que já ouvi falar nela, mas nunca li nada da mesma, mas pelo que você falou, ela deve ser uma escritora ótima.

    Beijos da Jéss ♥
    Brilliant Diamond | Fan Page

    ResponderExcluir
  7. Oláá
    Nossa, adorei o post e o tema, tudo bem interessante e para repensar né?

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Lilian!
    Nunca li nada na Virginia, mas pela sua resenha esse livro deve ser mesmo incrível. Além disso este é um tema que ainda hoje precisa ser refletido e debatido.
    Beijos
    Carol
    www.sobrevicioselivros.com

    ResponderExcluir
  9. Me encanto por livros/artigos/matérias que tragam o feminismo de uma forma tão sensível. Maravilhosa resenha, estava querendo fazer esse livro faz um tempinho e agora você me animou ainda mais a lê-lo.
    Bjs, Isabella
    http://pausaparaconversa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Nunca li nada de Virginia, mas pelo que leio sobre ela e escuto algumas pessoas falando, eu a considero uma referência para mim. Ela foi uma mulher à frente do seu tempo. Vou procurar esse livro para ler.

    Beijos
    http://www.breakingfree.blog.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá, não conhecia este livro e nem a autora, mas fiquei curiosa para ler seus artigos que atacam as criticas contras as mulheres que haviam na época e que algumas ainda persistem até hoje...

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  12. Uau... Faz tempo que eu tenho vontade de ler algo escrito pela Virginia Woolf sua resenha só fez minha vontade crescer ainda mais, muito interessante o tema retratado no livro.

    http://umreinomuitodistante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Nunca li nada da Virginia e confesso que quero muito ler seus livros, e agora principalmente este, que parece possuir textos fantásticos. Fico indignada com os pensamentos e atitudes machistas contra escritoras, e que infelizmente perduram até hoje...
    Bjs
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Nunca li nada da Virginia, mas eu já li algumas publicações em relação a ela. A questão do anjo do lar é impressionante. Minha mãe mesma pode ser considerada um anjo do lar, mas eu não quero nunca me encaixar nessa categoria. Acho que o feminismo tem ganhado o seu espaço, tudo bem que, as vezes de uma forma meio errada, mas ainda assim. Os pontos levantados na resenha são muito interessantes. Você sabe onde eu consigo encontrar esse livro?

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Não li nada da autora, mas pelo visto mesmo sendo com poucas páginas o livro tem um grande conteúdo, o título em si já chama atenção. Afinal ser escritora naquela época era uma grande conquista. Dica anotada . beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  16. Realmente um conteúdo que foi bem aproveitado em suas poucas páginas.Não li o livro, mas gostei dos pontos abordados e principalmente de saber que mesmo sendo de uma classe privilegiada, ela sabia como funcionava a realidade da maioria.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma