Resenha – A mão que me acariciou primeiro




05 junho 2015


A mão que me acariciou primeiro, Maggie O’Farrell, 321 páginas, Editora Record, foi uma escolha pela sutileza do título. A singularidade da obra, não necessariamente encontra-se no enredo, mas no mundo de emoções despejado em cada palavra. Confesso que não me arrependi, pois desde que me oportunizei à leitura, uma agradável sensação de prazer me acariciou.

Maggie O’Farrell está de volta com um premiado romance que disseca a alma feminina. Neste fascinante romance, Maggie O’Farrell nos apresenta a incrível história de duas mulheres separadas no tempo, mas com o mesmo destino marcado pela arte, pela maternidade e por inúmeros segredos. A mão que me acariciou primeiro é uma assombrosa investigação sobre como conduzimos nossas vidas, quem somos de verdade e como podemos estar profundamente conectados pelos mais prosaicos acontecimentos.


Lexie é uma mulher que rompe as barreiras sociais de seu tempo. Ousada e transgressora, contrariando o conceito que mulheres nasceram para servir aos homens, ela desmitifica a ideia da ‘mulher certa’; se muda para Londres e vive um romance com Innes Kant. Ele é jornalista e Lexie passa a trabalhar com ele numa revista. Disposta ao novo e a todas as possibilidades que a vida poderia oferecer. Sem medo.

A mãe de Lexie deu-lhe dois conselhos quando ela partiu para Londres: 1. Consiga um emprego como secretária em uma firma grande e de sucesso, ‘porque isso a colocará no caminho do tipo certo de homem’. 2. Nunca fique sozinha em um quarto onde houver um homem e uma cama.
Seu pai disse: não desperdice seu tempo com mais estudos, porque isso só torna as mulheres desagradáveis.
Seus irmãos mais novos disseram: não deixe de visitar a Rainha. (...)
É desnecessário dizer que ela os desconsiderou.

Mas, como toda história tem seu drama, Innes tem uma ex-companheira, Glória, legalmente ainda são casados, e está disposta a atormentar sua vida... eles tiveram uma filha e Glória, cega pelo ciúme, ensina a menina a odiar Lexie e o pai, alienação parental, a garota cresce nutrindo o sentimento de vingança por aqueles que ‘destruíram sua família’.
Elina, que tem sua história contada anos depois na mesma Londres, teve complicações na hora do parto, a ponto de esquecer quem era e o que passou nos últimos dias. Depois do parto, nasce então uma nova mulher. Uma mulher apática, angustiada e cheia de conflitos internos pós-parto. O processo de assimilação das ideias com as experiências da maternidade, dão materialização ao discurso da autora. Foi impossível não me emocionar e implorar para que o livro não acabasse.


Eu senti a dor e aflição de Elina. Chorava por sua realidade. Não foi diferente com Lexie, seu desejo de liberdade, a descrição de sua alma livre. Como a obra alterna entre Lexie, no passado, e Elina, presente, a ruptura numa possível linearidade de sentimentos se firma como o fim de cada capítulo. Colocando o leitor num balanço do mar, acunhado por palavras que formam uma visão do horizonte, numa mescla de consciente e inconsciente, misturando passado e presente. Sem saber o que é realidade.
Não é um livro que traz conceitos normatizados sobre corpos perfeitos tão repetidos na literatura. É uma história sobre almas, em que desejo e realidade desencadeiam momentos de profundidade em consonância com a ordem de fatores externos, que não podemos controlar e a desordem do que tudo isso pode materializar. Esses mistérios, que na íntegra são óbvios, despertam nos leitores o deleite da investigação minuciosa de cada significado implícito.

23 comentários:

  1. Olá!
    A história me pareceu meu sufocante com todas essas questões familiares e depois de perda de memória. Adorei a premissa, mas não sei se estou no clima certo para ler esse livro. Muito boa sua resenha.

    Beijos
    http://www.breakingfree.blog.br/

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por não ter mandado esse livro pra mim. Uma hora dessas eu já estaria enforcada no pé de couve. HUAHUAHUAHHAU.
    Lili, eu nem li esse livro, e já me deu raiva dessa Glória. Como eu tenho raiva de gente que usa filho pra atingir parceiro ou ex parceiro.

    ResponderExcluir
  3. Deve ser um livro fantástico. Senti certa tensão na resenha, como se a leitura dele fosse até angustiante... pela temática pesada, creio que foi, né???
    espero poder ler em alguma oportunidade...
    ^^

    ResponderExcluir
  4. Olá
    adorei essa sua resenha, ainda não sabia desse livro, mas gostei muito, mês falar
    dessa capa que esta incrivel,
    Bjks
    Passa Lá No Meu Blog - http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. O título, realmente, é muito instigante. É um belo título. Eu havia lido outra resenha e fiquei tocada com a narrativa. Parece que as histórias de vida da duas mulheres é bastante significativas para todas as mulheres. Principalmente, a vida da Lexie, que é uma personagem a frente do seu tempo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oláá
    Confesso que fiquei ultra curiosa pela história, a premissa é ótima, gostei da capa e tudo mais, sua resenha ficou ótima, que bom que gostou.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Algo na sinopse me deu um aspecto de que é uma leitura densa, mas apesar disso, sua resenha me deu uma vontade de lê-lo.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  8. Eu vi o lançamento na hora de solicitar, e confesso que não fiz isso porque não tinha chamado atenção. Agora vejo que perdi uma ótima leitura. Mas com certeza ainda lerei. Deve ser um livro lindo.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Apesar desse livro ter uma premissa super diferente eu confesso que não consegui me interessar muito por ele!
    E provavelmente não é um livro que eu leria, mas mesmo assim gostei de conhecer um pouco sobre essa obra através da sua resenha!

    Beijo :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi,
    Acho que fiquei meio confusa...
    O que as duas mulheres tem a ver? Só histórias parecidas ou a Elina é a filha da Glória?
    Ain... li duas vezes a resenha e não entendi isso.
    Mas achei a história interessante, principalmente em saber como Elina ficou depois desse problema no parto.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  11. Olá, primeiramente na resenha inteira fiquei confundindo Innes com uma mulher, seila para mim esse nome não se liga ao um homem, mas fora isso parece ser uma historia bem legal mas não sei se leria...

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs Então, isso também aconteceu comigo, menina!

      Excluir
  12. Eu li uma resenha sobre esse livro que me fez adicioná-lo entre os meus desejados... :) agora, lendo a sua, percebo que é mesmo uma obra incrível. Eu gosto quando há diferentes histórias em uma mesma obra. O modo como elas se relacionam, geralmente, me agrada. Vou ler, com certeza.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Já li uma resenha desde livro, e mesma dizia algumas coisas parecidas, pelo jeito o livro passa uma mensagem muito reflexiva, adorei a resenha, fiquei curioso em relação a leitura! :)

    Abraços e até!!

    http://lendoferozmente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Lilian!
    Nossa, esse livro me parece ser muito intenso e só com a sua resenha já pude me envolver com a história! Nem preciso dizer que já quero ler ele pra ontem né? Adorei mesmo sua resenha, você está de parabéns! Gosto muito do seu blog porque você sempre fala sobre livros que eu com certeza não pegaria para ler em uma livraria, mas que depois de ouvir seu ponto de vista sobre eles, fico morrendo de vontade de lê-los.
    Beijos
    Carol
    www.poesianaalma.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi Lilian, sua linda, tudo bem?
    Eu realmente não entendo como os pais podem usar seus filhos inocentes para se atingirem. Eles não conseguem enxergar como estão destruindo o psicológico deles. Isso acaba comigo. Essa história parece ser bem forte e muito triste. Um ótima dica.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oii, tudo bem com você?
    Assim com a Jéssica, também achei que Innes fosse uma mulher, kkkk. Então, o livro parece ser muito bom mesmo, visto que você o adorou, e sito que se eu o ler algum dia, odiarei a Glória, por colocar a filha contra o pai, acho isso horrível.

    Beijos da Jéss ♥
    Brilliant Diamond | Fan Page

    ResponderExcluir
  17. Oi Lilian, não conhecia o livro e vou te confessar que a capa não me atraiu, mas gostei profundamente da sua resenha e vou anotar a dica.
    Uma pena que as pessoas usem os filhos para atingiram aos parceiros em vez de seguirem em frente e serem felizes,
    Bjs, rose.

    ResponderExcluir
  18. Oii Lilian!

    Não conhecia esse livro e vou dizer que gostei da capa e a sua resenha me deixou com bastante vontade de ler ele ^^
    Parece ser uma ótima história :)

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  19. Oi Lilian, tudo bem?

    Gostei bastante da sua resenha, mas não me interessei muito pela história. Mas ambas as personagens parecem ser mulheres bem construídas, cada uma com sua particularidade.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  20. Nossa, se soubesse que esse livro era tão sentimental e bom assim o teria solicitado mês retrasado. Amei demais a premissa, bem diferente do que costumo ler e isso me instigou a querer lê-lo. Fiquei curiosa quanto a essa mesclagem das duas mulheres na história, quero saber mais sobre elas e suas vidas.

    Enfim, ótima resenha, colocou bem o seu sentimento nela.

    bjs

    ResponderExcluir
  21. Olá, tudo bem?
    Pela sinopse do livro, nos imaginamos uma coisa mais simples, mas ao ler sua resenha vemos que a história é cheia de história e bem mais completa, com essa mesclagem das duas mulheres.

    Adorei a sua resenha, beijos.
    http://marcasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Oiiii
    O livro não faz o tipo de gênero que eu leria, mas admito que sua resenha me deixou curiosa.
    Parece ser uma história comovente e intensa.
    Adorei sua resenha e a capa do livro é perfeita.
    bjs

    http://colecoes-literarias.blogspot.com/2015/06/parceria-loja-mimos-da-re.html
    http://colecoes-literarias.blogspot.com/2015/06/divulgacao-lancamento-e-promocao.html
    http://colecoes-literarias.blogspot.com/2015/06/sorteio-herdeira.html

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma