Resenha - Mário Prata entrevista um Brasileiro




13 julho 2015







Numa obra irreverente e repleta de originalidade, Mário Prata consegue trazer ritmo e dar nova cor à personagens da história brasileira, desde os remotos anos do século XV até meados de 1900. Publicado pela Editora Record, Mário Prata entrevista um Brasileiro traz nomes importantes de nossa nação, como Xica da silva, Tiradentes, Rui Barbosa, Pedro Álvares Cabral, entre outros, não exatamente nessa ordem. Na verdade, a cada entrevista, ele faz uma espécie de cronologia, onde o 'descobridor' [que não descobriu nada, na verdade] é o primeiro da roda de ilustres entrevistados, e fechando o ciclo temos Charles Miller...


O autor mistura fatos históricos com ficção numa linguagem divertida, informal, algumas vezes recorrendo a diálogos mais 'sujos', invadindo a intimidade dessas personalidades numa escrita deliciosa e de grande fluidez... São 248 páginas, mas o leitor se mantém preso a cada uma delas e quando percebe, o livro findou... Além disso, traz várias ilustrações a cada capítulo, da personalidade entrevistada...

Por vezes, os entrevistados se mostram injuriados com as perguntas meio que invasivas de Mário Prata. Várias dessas respostas arrancaram-me boas risadas...

"- Dizem que dos treze navios que partiram do Tejo só cinco voltaram depois de passar pelo Brasil e pelas Índias. E que o senhor levou fortunas. Da Índia.- Estou a falar com um jornalista ou com um fiscal do imposto de renda?"


Mário Prata entrevistando Pedro Álvares Cabral.
O livro é um belo compilado de etnias e variedades, temos o índio que se 'afrancesou', o bispo que foi comido por índios Caetés, o traidor Calabar, O Padre Anchieta [que virou nome de rodovia], o ex-escravo Chico-Rei, e cada um deles fala sobre aspectos de sua vida, se embaraçam para responder algumas perguntas e tentam fugir do diálogo mas acabam voltando 'à pergunta que não quer calar'.

"- Por falar em independência, o boato...- Estás vendo, Chalaça, rodeia, rodeia, igual mosca de merda. Queres saber das minhas defecações às margens plácidas. Queres saber? Obrei mesmo! E daí? Tu nunca obraste, por acaso?"

Prata entrevista D. Pedro I.
O que achei genial durante as entrevistas fictícias é que Prata não afirma com certeza a teoria A ou B sobre tal personagem histórico. Ele põe em pauta mais de uma perspectiva de acordo com as fontes e com o que alguns historiadores defendem, expondo, deixando 'em aberto' a possibilidade da história ter sido contada de tal forma e como ela pode ser contestada por outros que pesquisam o assunto. Como exemplo, ele questiona Tiradentes sobre ele ter deixado descendentes. Muitos livros de História afirmam que não, mas há historiadores que defendem uma linha de pesquisa em que existem pessoas que são provenientes da linhagem de Joaquim José da Silva Xavier. E vai explicando de que forma se chegou a tal tese. Quanto à resposta definitiva, se Tiradentes teve ou não descendentes, ele deixa em aberto. Ele abre/explora as possibilidades, mas não as fecha em conclusões. 

Ele traz algumas críticas sociais inseridas de maneira simbólica nas entrevistas. Uma das que achei mais claras, sem abuso de subjetividade foi o seguinte trecho, quando ele entrevista Chico-Rei:

"- Mas não precisamos falar em pelourinho, né?- Não, todo mundo sabe o que é.- Odeio ficar remoendo essas dores.- Mesmo porque andam amarrando pessoas em postes novamente. Deu na Veja.- Nem me fale."

Outra metáfora que achei mais sutil foi durante a conversa com a neta de Xica da Silva, que se faz passar pela avó, por esta sofrer de Alzheimer e elas precisarem dos cachês para se manter...

"- E a gente precisa desse cachê, Mário. Entenda! O governo de Minas não dá nenhum tostão para nós. Nem mesmo o prefeito de Diamantina. Celebridade velha é uma merda!"

A meu ver, vi nas entrelinhas uma crítica à mídia, que detém os '15 minutos de fama' de muitos artistas, e aos que se prolongam bem mais que esse tempo, quando chegam em certo momento que não possuem mais atrativos para o público, são descartados por grandes emissoras, tendo o ostracismo como futuro certo, pois logo surgem os novos talentos, não dando espaço para esses artistas e celebridades que possuem anos de carreira uma chance de se reinventar...

Em suma, a leitura acaba sendo uma espécie de viagem ao tempo, onde o leitor pode conhecer outras facetas de grandes nomes que marcaram época e que nem sempre são bem representados nos livros didáticos. Como professora de História, achei uma proposta válida, inclusive - de utilizar em sala de aula, para instigar a curiosidade dos alunos em saber mais de História do Brasil... Não levando o livro ao pé da letra, claro, mas de maneira divertida, fazer com que busquem sempre outros ângulos de uma mesma história...


Sobre a resenhista 

Maria Valéria é como diria Ana Cristina César, "Sou amativa antes de tudo embora o mundo me condene...", além da criadora do blog torporniilista.

36 comentários:

  1. Vi a resenha dele em outro blog e a guria nao gostou disse que era mais pra quem gosta de história e pra um publico específico mas lendo a sua me parece bom pra qualquer leitor ja que traz de maneira irreverente personagens importantes da história do brasil.

    ResponderExcluir
  2. Nunca li resenha desse livro, mas agora com a sua acho que já não preciso ler mais nenhuma outra rsrs.
    Adorei, ficou super completa e acho que vou colocá-lo na minha wishlist, estou precisando ler livro assim, um pouco diferente.
    Bjs
    http://myself-here1.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oie!!
    Achei que o livro tem uma pegada bastante engraçada e acho que é uma forma bacana de abordar temas que muitas vezes acharíamos "chato".
    Gostei mas, não faz muito meu estilo de leitura.
    Adorei a resenha, deu certa curiosidade de saber mais.
    ;**

    www.sadaladelivros.com

    ResponderExcluir
  4. gostei muito da leitura. Fluiu muito bem. =D

    ResponderExcluir
  5. Oi linda, tudo bem?
    Apesar de você ter gostado do livro e ter elogiado eu não me interessei por ele e com certeza não leria!
    Acho que é realmente uma temática bacana para ser utilizada durante uma aula de história, mas no momento não é o tipo de leitura que procuro.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  6. É gostoso quando achamos um livro assim, que nos obrigada a refletir e a pensar nos diversos pontos de vista a respeito de várias coisas! Como vc mesmo apontou, aparenta não ser um livro que terá como único tema a História, no sentindo que vemos na escola, toda picotada e cheia de datas e alguns fatos ali e outros aqui, mas de coisas que tbm a conduzem, como a mídia. (E amei a sua postura como professora, essa nova geração promete! (Me formo ano q vem em Licenciatura em letras)).
    Acho q livros assim, bem feitos e bem humorados, sem ideias fechados e que levam a reflexão é o que mais falta! Pois, sinceramente, ter que ver A História Politicamente Incorreta do Brasil, como um dos mais vendidos... é muiiiiiiiiiiiiiito triste -.-'

    Adorei a resenha :D

    http://tedioescritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é verdade, viu? Como historiadora, me dá desgosto ver esses livros do Narloch serem aclamados como bons...

      Excluir
  7. Eu amo História, acho uma das melhores matérias. É com ela que a gente pode analisar o passado e entender as consequências disso tudo no nosso presente. A proposta desse livro me encantou desde que eu vi a sinopse, e realmente abre um leque de possibilidades pro autor, tanto pra fazer as críticas sutis, como pra nos passar informações e nos fazer pensar sobre elas. Isso dá até um interesse a mais. A gente sabe realmente quem foram os personagens da nossa história? Chico-Rei, Pedro Álvares, Zumbi, Rui Barbosa... Como seria uma conversa com essas pessoas? Isso a gente não tem como saber, mas a ficção pode trazer pra nós.
    Acredito que seja uma obra muito boa!

    Beijos, Amanda.
    Expresso de Nárnia

    ResponderExcluir
  8. É um bom livro pra quem quer conhecer a história de uma maneira mais descontraída, não? :)
    Talvez meu irmão tenha interesse, vou mostrar pra ele.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá, parabéns pela sua resenha, está incrível! Esse não é o tipo de livro que faz meu tipo, não sei se eu leria ele, talvez um dia quem sabe, as vezes é bom sair da zona de conforto e experimentar coisas novas :D

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Não conhecia o livro e achei ele bem interessante, principalmente por essa mistura de fatos históricos com ficção. Eu leria esse livro!
    Adorei a resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. A princípio confesso que achei que não iria me interessar pelo livro, mas no decorrer da resenha e com ajuda do quotes selecionados eu vi que é sim um livro muito interessante e com passagens engraçadas. Anotarei na lista para um futuro! ;)

    Infinitos Livros

    ResponderExcluir
  12. Confesso que não me interessei pelo livro quando soube do seu lançamento, mas essa resenha esclareceu a proposta e importância do tom provocativo dado pelo autor às entrevistas escritas. Eu gostei da linguagem informal, mas acho que a obra seria ainda melhor se contivesse em notas de rodapé as informações oficiais para as críticas e as perguntas tecidas pelo autor. Por que determinada pergunta e por que determinada resposta? São dados interessantes ao leitor, até para melhor entender o humor por detrás de algumas entrevistas.
    Por outro lado, achei muito criativo! Criar entrevistas com personagens importantes da nossa história é muito bacana.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que ele não colocou notas desse tipo pois a proposta do mesmo é bem informal, pra que não soasse didático, tende?
      realmente, é um livro bacana ^^

      Excluir
  13. Ola lindona confesso que a premissa do livro não me chamou atenção, A proposta do livro em si é bem criativa com essas caricaturas, que gostei bastante. Mas no momento vou deixar passar a dica. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  14. Valéria, que legal esse livro.
    No começo achei que não ia curtir muito pela pegada entrevista, mas pelo que você disse é bem divertido.
    Fiquei com muita vontade de ler.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  15. Olá Maria,

    Esse é mais um livro que fico conhecendo aqui no blog, achei muito interessante e original a maneira que foi escrito e gostaria muito de ler, ótima dica....abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Não conhecia a obra e nem o autor, mas gostei da proposta e da sua resenha, com certeza fiquei com vontade de ler. Ótima dica. ;)

    Bjs
    Débora | www.emcadapagina.com

    ResponderExcluir
  17. Oi Val, tudo bem?
    Não conhecia o livro, no momento não é uma leitura que eu faria, mas é bem interessante, e o melhor é a narrativa ser fluída, isso soma pontos.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  18. Achei a ideia do livro interessante numa outra resenha que li. E essa sua chegou a fazer eu ter curiosidade pra ler mesmo sabe?
    Muito boa a resenha.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  19. Oi! Tudo bem?

    Eu não conhecia a obra. Confesso que não me interessei muito... Creio que o livro seja específico para certo público e que sua leitura não é para qualquer um.

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  20. Oi
    Não conhecia o livro mas achei tão inteligente e interessante.
    Gosto de livros com cunho histórico.
    Legal saber que você é professora de história! Aproveita e indica aos seus alunos.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  21. OI Maria Valéria!!
    Que livro legal!! Adorei que ele entrevista o Dom Pedro I, mesmo sendo fictício, adoraria saber como é essa entrevista. Se um dia tiver oportunidade, claro que não vou deixa-lo passar, vou pegar pra dar uma lidinha, mesmo não sendo uma das minhas leituras preferidas, gosto de experimentar coisas novas!
    beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  22. Adorei a proposta do livro, mesmo não sendo meu gênero preferido eu com certeza leria a obra. Acho que vai ser uma leitura divertida e proveitosa.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  23. Olaa
    Não é meu gênero favorito, mas tem um enredo interessante e chamativo, otika ótima resenha e dica.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  24. Oiee ^^
    Não conhecia esse livro, mas ele não me conquistou de cara. Não sei se o leria agora, provavelmente não, mas vou deixar o título anotado. Quem sabe um dia, né?!
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Oi Maria, sua linda, tudo bem
    Não sabia que era professora de história, essa sempre foi a minha matéria preferida na escola. Por isso achei esse livro bem interessante e o formato utilizado pelo autor muito criativo. Só achei que ficaria melhor se ele não usasse de ficção em nenhum momento, pois poderia com isso, ser um livro didático adotado pelas escolas. Pois quem não gostaria de aprender de uma forma tão irreverente e descontraída, eu gostaria.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Val sua linda!!! Que resenha é essa!!! Quer me fazer correr pra livraria!??? Já anotei a dica aqui. Não posso perder essa leitura! *-* Resenha linda. Amei!!!! Não sabia que você era professora de História, pra mim você tinha facul de Letras! heheh! Descobertas!


    Beijinhos!
    Pensamentos Valem Ouro

    ResponderExcluir
  27. Confesso que eu não sou de ler esse tipo de livro, mas quando eu vi, realmente pensei que era uma leitura bem a cara desse blog e fiquei muito feliz de estar certa!

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Hahaha que interessante, acho legal esses livros que fazem a gente viajar no tempo.. E por tratar-se de brasileiros fica mais interessante ainda :D

    ResponderExcluir
  29. Oie, tudo bom?
    Ah que livro legal! O nome é bem bacana e irônico também e o estilo da história contada é original, o que chama a atenção de outras pessoas a conhecerem um pouco mais da história do Brasil, né? Adorei!
    Beijão
    http://www.sarahmarques.com.br/

    ResponderExcluir
  30. Olá, tudo bem?

    A ideia é muito bacana, mas confesso que não me encantou muito a premissa, não sei, não me convenceu muito, mas acho que para saber se gostaria ou não, só lendo mesmo. Sua resenha está ótima, eu que fiquei meio em cima do muro em relação ao livro mesmo. É que é uma obra um tanto diferente.

    Beijo!
    Ana.

    ResponderExcluir
  31. Que vergonha, pelo que me lembre nunca li nada do Mario Prata e estou encantada: com a irreverência e humor, coisa que amo, e essa ideia genial!! Definitivamente preciso começar a corrigir minha falha com ele!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  32. Ainda não conhecia o livro, mas já fiquei encantada com tudo que você pontou. Me parece que o ponto forte do livro é irreverencia, ao trazer outras perspetivas de personagens históricos. Que sacada legal!
    Leria com certeza. Anotado para uma próxima compra.

    Beijos!

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma