Resenha - 77 Páginas para morrer




24 setembro 2015

Olá, pessoal! Estou aqui trazendo para vocês as impressões de um livro super bacana que me chegou em mãos um dia desses e resolvi falar a respeito. Trata-se de 77 Páginas para morrer, do autor Marcelo Almeida, publicado pela Editora nVersos. Aviso de antemão que nunca tinha passado por leitura semelhante até agora, em que você, leitor, terá que unir-se ao investigador para descobrir um crime...

A Ratoeira é um escritório de investigação em que são sócios Madame Tussaud, cartomante, que conseguiu relativa fortuna após fazer uma promessa a um moribundo [e não cumpriu] e o Detetive JK [de Kasqueira], que narra os acontecimentos e convida o Leitor [eu, você, todos nós] a investigar a morte de um homem num teatro, e de uma moça que trabalhava para ele, possivelmente atropelada, mas as investigações da agência particular indicam que se trata de um assassinato, que pode ter relação com a de Bento Santiago.
Ao longo das páginas, o Leitor vai sendo conduzido pela conversa de JK e, por vezes, você pensa estar realmente inserido na trama do livro. Um fato que achei peculiar na diagramação é de que as páginas são contadas em contagem regressiva, pois como o título sugere, são 77 páginas para morrer... Então, é melhor que você, Leitor, descubra o quanto antes quem cometeu estes crimes, ou...


Somos apresentados à família do morto, entre eles, sua viúva Capitolina e seu filho Ezequiel. E reparem nesses nomes uma incrível referência à obra de Machado de Assis. Em várias passagens do livro percebe-se certa ironia na narrativa, que soa familiar à escrita de Machado, embora livre de rebuscados... Ao mesmo tempo que o autor soa despretensioso, fazendo o leitor devorar as páginas a fim de desvendar a investigação, ele entremeia a história com a obra de Machado de forma bastante criativa... Há outras figuras não menos importantes na trama, como Helena [a mãe da morta, que também se chama Helena], um advogado ambicioso, entre outros...
Há uma parte da história que se passa em quadrinhos, com traços simples, mas que dão um ar gracioso ao livro... O único ponto que me incomodou um pouco foi a repetição de alguns termos durante a história e na forma como o detetive JK se apresentava. À princípio, soa como piada mas como se repete em demasia, acabou se tornando cansativo e sem graça... [ao menos pra mim...]
Ele possui uma linguagem simples e fluída, e ao fim das 77 páginas, fui pega de surpresa. Na parte final, após o desfecho do trecho em quadrinhos, fui seguindo avidamente a narrativa a fim de descobrir o porquê daquilo e no íntimo, acabei descobrindo o assassino, embora sequer tenha passado perto da motivação do crime, embora os indícios estivessem ali, ao longo da obra...
Em suma, 77 páginas se mostrou uma leitura leve e deliciosa, o autor é de uma criatividade singular e me prendeu até as páginas finais, numa leitura finalizada em poucas e agradáveis horas... Acredito que para o público juvenil, o livro seja bem apreciado, mas leitores de qualquer idade podem se agradar do livro... E se você for apaixonado por romances policiais, eis uma boa pedida...



9 comentários:

  1. Oi. Adorei a resenha! Fiquei instigada a ler o livro pois você me convenceu de que ele possui uma dinâmica diferente da que estamos acostumados, com o leitor participando ativamente da trama. Muito legal!
    Beijos
    relicariodepapel.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Olá :) Gostei muito da sua resenha! *-* Acho que é a primeira que leio sobre esse livro.
    Nunca tinha visto, achei a proposta ótima, o assunto chamou a minha atenção, pois adoro livros com mistérios e investigação. :D Beijão!
    Blog: http://my-stories-wonderful-books.blogspot.com.br/
    Página: https://www.facebook.com/BlogWonderfulBooks

    ResponderExcluir
  3. Oláá
    Muito legal a resenha e sou bem curiosa para ler o livro, parece ser muito interessante, gosto de enredos tensos e o título chama bastante atenção.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Não conhecia o livro nem o autor, mas gostei da premissa. Li outro livro esses dias que também nos unia ao investigador para descobrir o crime e fiquei bem satisfeita com a leitura. Acredito que eu vá gostar dessa obra também.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Valéria, não sou muito de ler policial, mas pelo que você falou achei a obra bem semelhante a de Machado até mesmo por falar com o leitor, conseguiu me deixar bem curiosa apesar do gênero não ser um dos que me agrada.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  6. Oie Valéria!
    Eu amo romances policiais, ainda mais esses que nos pegam de surpresa. Gosto muito de histórias que tem alguma ilustração no meio, me deixa ainda mais apaixonada. Acho que vou querer conferir o livro logo!
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  7. Ola. Leitura bastante interessante e pelo jeito nem diferente, nunca li nada parecido mas a premissa é fluida pelo o que vc falou na resenha sobre as primeiras impressões.

    Beijão da Lari
    http://brilliantdiamond-bg.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro, mas a premissa é realmente muiiiito curiosa, interessante.
    Eu quero ler. E é realmente muito chato quando algumas coisas ficam repetitivas no livro, mas enfim, a história é boa heheh

    ResponderExcluir
  9. Oii!

    Amo livros de mistério, suspense... Amo! Não conhecia o livro, mas a capa é muito linda ( alias, amei a foto kkk ) e me chamou muita atenção!
    Amei a sua resenha e com certeza vou ler esse livro em breve :)

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma