Resenha - Ariana, de Igor Gielow




02 setembro 2015





Ariana é um romance brasileiro, escrito por Igor Gielow e publicado pela Editora Record. Traz a perigosa trajetória de um jornalista brasileiro no Paquistão, que sofre um atentado com seu amigo fixer enquanto esperava uma pessoa num hotel em Islamabad, em 2007. Seu amigo não sobreviveu à explosão e suas últimas palavras são "Mark, você precisa encontrar Ariana." Ferido, Mark vê seu amigo dar o último suspiro em seus braços, sem poder fazer nada a respeito e logo depois acorda num hospital, com uma fratura na perna e várias queimaduras... Ele não sabe o que Waqal queria dizer com aquilo. Quem seria Ariana? Ou 'o que' seria Ariana? Sua cabeça estava cheia de perguntas e para respondê-las, ele teria que adentrar num universo cheio de espionagem, conspirações, lidar com gente perigosa e não poderia confiar em ninguém, agora que seu amigo - o único em quem confiava - está morto...


A narrativa é bem descritiva, e no início da leitura pensei estar andando em círculos, mas acredito que isso foi necessário para que o leitor saiba em que universo o personagem estava se inserindo... Achei que Ariana apareceria logo, mas o livro narra toda a trajetória de Mark - mesclada com seus problemas pessoais - sem que a tal apareça... Logo surge um diário, Mark se depara com o que seria provavelmente um furo de reportagem que pode trazer consequências graves para a política internacional, mas ele deve algo a seu amigo Waqal. Ele precisa descobrir o porquê de seu amigo ter falado aquilo antes de morrer...

Através da história, mergulhamos um pouco no cotidiano das mulheres afegãs, que vivem sob o regime do Talibã, conhecemos um pouco da cultura islâmica e como funcionam as investigações realizadas num país considerado um 'barril de pólvora'. Qualquer passo em falso pode resultar em seu pescoço sendo separado do corpo ou seu corpo voando em pedaços por causa de uma bomba. 

"O casal que ocupara uma década de energia de seu córtex, equivalente a segundos em nosso mundo de sentidos embotados, estava mais ao lado. A mesa que ocupavam se partiu, e o senhor empresário jazia com o rosto praticamente fundido ao piso do salão, com os restos das joias, da venerável senhora sua esposa, espalhados à sua volta. Ela em si era apenas um tronco sem cabeça sentado de forma bizarra ao lado do marido, pendendo à esquerda. Seja qual fosse a discussão que estavam tendo, teria de ficar para outra hora."



Alguns trechos do livro foram cruéis em destacar como é a realidade dos feridos nessa guerra que parece nunca ter fim, que mexe com interesses políticos, econômicos e diplomáticos de lugares como os Estados Unidos e Reino Unido,  e suas relações com países do Oriente... Confesso que senti os nervos à flor da pele a cada página lida, me coloquei no lugar do protagonista, viver sob o risco de ser morto, não falando bem a língua urdu, pachto ou qualquer outro dialeto que pudesse tirá-lo de uma enrascada, sem saber em quem confiar... Pessoas com quem entrava em contato pareciam ajudá-lo mas logo morriam ou o levavam para uma suposta armadilha. A sensação constante de estar sempre sendo vigiado... 

Em suma, Ariana é um livro para aqueles que sentem interesse pelo Oriente, às pessoas que gostam de tramas políticas e cheias de reviravoltas, pessoas que querem sentir tensão nos músculos do início ao fim de uma leitura.... É uma ótima obra nacional, que merece ser lida... 



13 comentários:

  1. Oiii
    Parece uma história bem interessante!!
    A resenha ficou muito bacana!!

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Maria!!!
    ainda não conhecia o livro, mas o enredo me deixou bem curiosa.
    adoro conhecer culturas diferentes da nossa, fico um pouco indignada sempre que leio algo sobre o Oriente, porém é sempre uma leitura que me faz pensar muito.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Nunca li um livro nesse gênero "se eu li me esqueci", mas até que me chamou a atenção... Quem sabe um dia eu não leia e venha te falar minha opinião. :)

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  4. Maria Valéria, eu não gosto muito de livros que envolvam tramas políticas, guerras e essas coisas.
    Mas achei o enredo muito interessante.
    Se ganhasse leria só pela curiosidade.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  5. Oi linda, tudo bem?
    O livro tem uma premissa bem interessante, principalmente para quem gosta de uma leitura mais densa e série.
    Estou ultimamente a procura de leituras mais leves, por isso não tenho pretensões de ler em breve, mas fica uma boa dica para ler futuramente.


    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi Maria, eu nunca tinha ouvido falar do livro ainda, mas fiquei bem curiosa com a trama dele,bem diferente do que estou acostumada a ler, adorei a premissa dele. Já anotei o nome para procurar quando tiver um tempinho :D

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  7. Estou com ele aqui e apesar de estar bem curiosa, vou lê-lo um pouco mais pra frente, sinto que se ler esse livro agora, ficarei um bom tempo sem conseguir pegar em um livro, só pela sinopse vi que a coisa é seria e depois de ler a sua resenha, constatei que não estava errada. Espero gostar da leitura quando resolver pegá-lo pra ler.

    bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?

    Um livro bem forte, e uma realidade bem triste. Toda vez que alguém fala de um livro que é ambientado no oriente e que fala das mulheres Afegã ou da guerra, sempre percebo como o relato é triste e como elas vivem oprimidas. Minha cunhada gosta muito de ler livros nesta realidade. Como aqueles dramas que mostra como é a vida das mulheres de lá. Confesso que nunca tive interesse, mas já vi algumas reportagens e filmes. E o livro da sua resenha parece um daqueles que mexe muito com nosso psicológico. Gostei da resenha, e vou indicar este para minha cunhada. beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá Maria,

    Esse é mais um livro que fico conhecendo aqui no blog, gosto muito do gênero e com certeza vai para a minha lista de desejados...bjs.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Ola, tudo bem? Eu adorei este livro, acho que é porque é diferente dos tipos de livros que costumo ler normalmente leio. Achei muito interessante também porque nos coloca dentro (um pouco) sobre como é nos países que sofrem com esta guerra.
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Essa foi a primeira resenha que vejo sobre o livro e confesso que estou empolgadíssima para ler. Adoro histórias que envolvam guerra, mistério e um 'Q' de verdade, veio bem a calhar esse livro. Muito bacana sua resenha.

    Beijos
    http://www.breakingfree.blog.br/

    ResponderExcluir
  12. Oláá
    Já tinha ouvido falar do livro mas nunca li nenhuma resenha, parece ser uma história interessante e impactante, talvez eu pense em ler mais para frente, ótima dica.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oii, tudo bem?
    Ainda não conhecia o livro, mas ele tem uma temática bem interessante, conhecer mais sobre esses atentados que tanto ocorrem nesses lugares, e ficar o tempo todo tentando imaginar quem é Ariana.

    Beijos

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma