Lançamentos da Chiado Editora




21 outubro 2015


Sónia Carvão  nasceu no Rio de Janeiro, veio para Portugal ainda criança, cresceu numa aldeia do Concelho de Penacova (Chelo) da Freguesia de Lorvão. Jovem, foi viver para Coimbra e começou a trabalhar para continuar a estudar. Aos 18 emigrou para o Canada, onde trabalhou e estudou. Fez parte do grupo de teatro da Casa do Alentejo, em Toronto, e de um grupo de defensores dos direitos dos índios canadianos. Finalizado o curso de Viagens e Turismo, começou a trabalhar no Centro de Turismo Português de Toronto, como promotora turística. Regressou a Portugal e concretizou um curso de terapias de corpo e estética, área onde trabalhou durante alguns anos. Obteve a Licenciatura na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Sendo uma pessoa muito activa, ainda enquanto decorria a licenciatura, deu aulas de alfabetização, em regime de voluntariado, na Associação de Bem Estar Social de Alcabideche, em Cascais. Querendo evoluir para a área que sempre a motivou em trabalhar na Filosofia e com crianças, Sónia Marques Carvão realizou um curso relacionado com Filosofia para/com Crianças, obtendo também a Certificação em Filosofia de Educação, permitindo-lhe abrir o caminho para iniciar a actividade de Filosofia para/com Crianças no Colégio Pirilampo em Cascais, como projecto de educação. Nas sessões com as Crianças, recorreu sempre aos seus contos, os quais foram recebidos pelas crianças com muito interesse e entusiamo. Surge então o livro “A Ferramenta que Faz os Contos“, por edição de autor, com um conjunto desses contos. Ainda no decorrer do projecto, fez um Curso de Formação Avançada em Ética pela Universidade Católica de Lisboa, uma Certificação em Inteligência Emocional e Autoconhecimento e Curso Internacional de Filosofia Aplicada e uma Certificação, como Facilitadora de Filosofia para crianças e jovens, pela Direcção Nacional da Associação Portuguesa de Ética e Filosofia Prática.

“A Ferramenta que Faz os Contos” e “Metodologia: A Ferramenta que Faz os Contos”: O livro “A Ferramenta que Faz os Contos” é uma obra que “comunica estética e éticamente com o leitor o não comunicado”, segundo a autora. A 1ª edição de editora, com a Chiado Editora, resulta numa forma para que a mesma chegue ao mundo, sendo que é uma obra do mundo e para o mundo. Ainda, para permitir para uma maior audiência, os Contos foram traduzidos para inglês pelo filho mais velho da autora, Carlos Samuel Carvão. As ilustrações são da autoria de uma amiga do seu filho, Carina Morais e algumas ideias das mesmas do filho mais novo da autora, Daniel Marques Carvão. Um trabalho verdadeiramente em equipa com um foco privilegiado nos jovens. A Metodologia alavanca-se na obra “A Ferramenta que faz os Contos“ no sentido de apresentar uma abordagem privilegiada na Filosofia como caminho para o melhoramento do Ensino. Uma Filosofia da Educação que tem como núcleo (na Metodologia) Filosofia Com Crianças. A Metodologia é um guia para os solicitadores/moderadores de Filosofia Para/Com Crianças e para professores do ensino convencional. Cada conto da obra “A Ferramenta que Faz os Contos“ é nela explorado, em sessões de trabalho, sempre em torno de um conceito aberto, da mesma forma que o livro de contos.  



Isabel de Pina Balreia - Licenciou-se em História, fez duas pós-graduações em Estudos de Teatro e o mestrado em História Medieval na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Fez o curso de teatro da Comuna, o curso de actores do Instituto de Formação e Criação Teatral (I.F.C.T.) e um estágio de dramatização na Escola Jacques Lecoq, em Paris. Tem formação em dança clássica e moderna. O seu percurso profissional divide-se em três áreas (por ordem cronológica): a representação, a educação e a investigação. A escrita tem-na acompanhado sempre. Enquanto adolescente, publicou poemas no suplemento do jornal Diário de Notícias “DN Jovem” e numa antologia poética. Mais recentemente, com a Chiado Editora, integrou o poema “Despertar” n’ Antologia de Poesia Contemporânea, Entre o Sono e o Sonho, Vol. V. Trabalhou no Teatro de Carnide, no Teatro da Cornucópia, na Comédia Portuguesa, no Teatroesfera, no Teatro Nacional e na Companhia de Teatro de Sintra. Em televisão, integrou elencos de diversas telenovelas e sitcoms. Ganhou a 1º Prova de Criatividade e Teatro, no programa Show Bis (1987), o Prémio de Actor Revelação (1991) com a personagem do rei na peça Sebastião de Portugalou o Capitão de Deus (Paul Dresse), e uma Menção Honrosa de melhor interpretação feminina (2014), em parceria com Daniela Serra, na peça Macbeth. Deu aulas no Colégio Valsassina. Actualmente lecciona as disciplinas de História e de Educação Artística (Teatro) do 3º Ciclo, no Colégio do Bom Sucesso, em Lisboa. A sua tese de mestrado Leonor Teles, uma mulher de poder? motivou a publicação da biografia Uma rainha inesperada, Leonor Teles, na colecção Rainhas de Portugal do Círculo de Leitores, obra galardoada, em 2012, com o Prémio Lusitania da Academia Portuguesa da História. Tem apresentado diversas comunicações e publicado artigos em revistas e livros nacionais e estrangeiros. A sua pesquisa versa sobretudo o reinado de D. Fernando e D. Leonor Teles, a nobreza e o epílogo de 1385. Integra a unidade de investigação “Espaço e Poderes” do Instituto de Estudos Medievais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, e o grupo de investigação “Modelos Identitários” do Centro de História da Faculdade de Letras.

Livro Imaginado - “E o Grito perguntou à Espera por que esperava ela, se aguardava alguém, se tinha perdido alguma coisa e a esperava encontrar, por que se calava e ficava silenciosa, amargamente queda, impassivelmente ausente, como se o coração e os olhos lhe tivessem sido arrancados e a vida a tivesse deixado há muito, a ponto de não ter memória e os seus olhos serem um espaço vítreo, baço de neblina. A Espera olhou demoradamente o Grito e, cansada, encostou a cabeça ao seu ombro e soluçou convulsivamente até o Grito se calar e não ficar ali mais nada a não ser a dor dos dois.” 

6 comentários:

  1. Ola. Ótimos lançamentos mas o que me agradou mais foi o Livro Imaginado 😁
    Espero ansiosamente por sua resenha.

    Beijão da Lari
    brilliantdiamond-bg.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lilian! Curti os lançamentos da Chiado, os livros deles tem uma qualidade super bacana. Interessante esse conceito dos livros da Sônia Carvão, é um tema muito bom Além disso, o fato dele ser todo feito com a colaboração de pessoas próximas da autora, dá um toque diferente. Acho que não entendi totalmente o livro Imaginado, mas fiquei curiosa!

    Beijos, Maria.
    http://nerdsideblog.tumblr.com

    ResponderExcluir
  3. Muito legais os lançamentos da Chiado. Fiquei curiosa para conhecer mais do Livro imaginado. O trecho colocado como sinopse é muito instigante, tendo como personagens o Grito e a Espera. Fantástico.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi! Tudo bem?

    Não sou fã da Chiado, as edições deles deixam muito a desejar... Mas quando gosto muito de uma premissa, eu pego o livro para ler mesmo assim. Gostei do livro da Isabel. :)

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Que ótimo lançamento. Espero que a editora tenha muito sucesso. Gostei bastante da premissa do livro, me chamou bastante a atenção.

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, os lançamentos parecem estarem bem legais, mas o Livro Imaginado me chamou mais a atenção *--* Vou esperar ler algumas resenhas dele para saber mais...

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma