Resenha - A comédia mundana




14 outubro 2015


A comédia mundana é um livro composto de três novelas ao longo de suas pouco mais de 500 páginas. Escrito por Luiz Biajoni e publicado pela Editora Chiado, traz uma narrativa bastante fluida, e que apesar do tamanho, pode ser concluída em pouco tempo. Trata-se na verdade, de 'três novelas policiais sacanas', como o próprio autor denomina...


Em Sexo Ana* - uma novela marrom, Virgínia namora Luiz, e diz que vai operar as hemorroidas depois de uma boa transa com seu namorado. Mas algo muito estranho e indevido acontece quando ela vai a um consultório médico e seu namoro acaba indo por água abaixo... Virgínia trabalha numa redação de jornal e logo tem a  chance de participar de um caso de estupro e morte envolvendo dois menores e um tal de Santos. Nesse paralelo, Luiz conhece um amigo [também Luiz] do escritório onde trabalha e que tem uma filha, Luciana. Há também Ana, uma amiga de Virgínia que vive dando em cima dela mas ela foge da garota como o diabo foge da cruz. Mas precisa desabafar o que houve com alguém, e ela escolhe Ana...

A narrativa vai se entremeando entre o caso de polícia, o afastamento [e posterior tentativa de reconciliação] do casal protagonista, as investidas do Dr. Júlio em Virgínia e Ana tentando trapacear a própria amiga, quando dá em cima de Luiz, mesmo sendo lésbica. Sem contar a aproximação de Luiz com Luciana, que está metida numa encrenca e na fuga de Dé e Carlinhos, os dois menores assassinos que protagonizam as partes mais 'vingativas' da história. Virgínia tem que lidar com um patrão que dá em cima dela, um médico obcecado por sexo anal, a tara da amiga e com a frustração do seu romance descendo pelo ralo. O autor consegue juntar as tramas paralelas com uma maestria sem precedentes, e o leitor vai se sentindo enredado e sem ter ideia de como a novela vai acabar...

Com relação ao desfecho, inesperado. Cru até.

Em Bocet* - uma novela cor-de-rosa, alguém anuncia que vai operar. Na cena seguinte, nos deparamos com uma família na qual ocorre uma tragédia. Esses fatos estão ligados à Geraldo Assis, do jornal que a personagem Virgínia [da primeira história] trabalhava. Valéria agora é responsável pelas matérias policiais e Beto pede para que ela investigue uma denúncia sobre um desmanche de carros. Entra em cena um escrivão que vai ajudá-la, e logo surge uma série de assassinatos, que podem ter ligação com o acidente narrado no início. Monique é uma mulher poderosa e tem no marido um capacho drogado que se submete a todas as suas vontades e frequenta uma casa de travestis, onde Assis também visita... Logo, notamos que os personagens estão enredados numa trama de assassinatos, operações ilegais e a polícia e o jornal estão trabalhando para desvendar esses crimes. O autor consegue fazer o leitor devorar com avidez toda a história a fim de conhecer o desfecho surpreendente... Eu me senti indignada, e infelizmente não é algo que fuja da realidade que estamos vivendo... O poder corrompe e compra o silêncio de muitos...


Na trama que fecha o livro, Boquet* - Uma novela vermelha, Virgínia reaparece, vinte anos mais velha e com uma filha adolescente. Carol [a filha de Virgínia] está prestes a se casar com o pastor Fraguinha, mas parece que ele não gosta muito de mulher... Em paralelo, alguém do passado de Assis retorna querendo vingança, e acaba se unindo ao pastor num negócio escuso de drogas... Mais uma vez o leitor se vê hipnotizado pela trama, que culmina em crimes, mortes, relacionamentos proibidos e toda uma sorte de tragédias, recheadas de sexo, crueza e alienação religiosa. A trama traz críticas as instituições evangélicas que vivem de enganar os fiéis, a polícia e a imprensa, que chegam a ser tão sujas quanto um ponto de tráfico, e dá relevância mais uma vez aos transexuais que se prostituem, bem como à difícil vida que a sociedade lhes relega. Confesso que entre meus personagens preferidos estão no núcleo trans da obra... É através desse personagem marginalizado que o melhor das ações acontece...

As histórias estão entremeadas e existem várias críticas sociais por trás do livro. O sexo inserido na trama não é de forma alguma apelativo, mas serve como pano de fundo para histórias cotidianas que são plausíveis e poderiam acontecer com qualquer um, com seu vizinho, um colega de repartição ou com você mesmo... a homossexualidade é tratada como a sociedade a enxerga, os personagens sofrem os medos e paranoias de um mundo preconceituoso e decisões importantes a serem tomadas conduzem o fio que dá vida ao enredo de A comédia mundana. A tensão está presente em todo o livro. O ritmo da narrativa faz com que o leitor devore as mais de 500 páginas de forma alucinante, numa escrita jornalística deliciosa. Interessante notar a figura do 'herói' Assis, que possui segredos obscuros em sua vida e ainda assim funciona como uma espécie de justiceiro da 'verdade', ele quer que as matérias venham à tona, embora se arrisque bastante nisso...

Relações de poder são marca registrada na narrativa. Personagens que usam e abusam de sua autoridade a fim de conseguirem o que almejam. A imprensa é criticada. A religiosidade e repartições públicas são criticadas. Apesar do clima de suspense policial dos anos 50, a trama nos parece tão atual como o que vivemos hoje em dia.


Aviso aos leitores mais sensíveis: o livro contém trechos violentos, crus, excitantes, entre outras coisas do gênero. Se você curte romances bonitinhos e cheios de 'mimimi', A comédia mundana não é para você. Mas para quem quiser sair da zona de conforto, caia de corpo inteiro... É deleite na certa...


14 comentários:

  1. Toda vez que eu veio no seu blog eu descubro um livro novo que eu nunca tinha ouvido falar, e acabo expandindo ainda mais meus conhecimentos e adoro isso, sobre o livro que você resenhou mesmo achando a resenha interessante não sei se seria um obra que eu leria por agora, não foi algo que chamou minha atenção.

    http://coisasdemineira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Uau, que diferente! Nunca tinha lido algo assim e achei bacana. Ainda mais explorando temas e vocabulários que fogem ao que consideramos "prudente" no dia a dia. Acho que vai ter gente com vergonha de ler esse livro ou comentar os títulos, o que não será meu caso. Valeu a dica!


    Ensaiando

    ResponderExcluir
  3. Oi! Tudo bem?

    Nunca li esse livro e fiquei bem interessada. Gosto de narrativas sem mimimi. Para mim, a novela mais interessante foi Sexo Ana, o final cru me deixou bem curiosa. Também gostei de saber que o sexo não é tratado de forma apelativa na obra e que a mesma possui críticas sociais embutidas na narrativa. Valeu pela dica!

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Nunca li o livro e sinceramente nem pretendo! Não gostei nada da premissa das 3 histórias, então é uma recomendação que eu passo, pois não faz meu estilo de leitura...

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu já tinha ouvido falar um pouco desse livro, apesar de eu achar a trama interessante, eu nunca li nenhuma novela. Pela sua resenha parece muito boa a obra, quem sabe um dia desses eu dou uma chance a ele.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia e gostei do que li. Vc sempre trazendo livros diferentes pra minha lista :)
    Da para perceber que é uma leitura para certos tipos de leitores, como eu gosto de sair da zona de conforto e é o que eu mais estou fazendo no momento, vou ler um dia, tenho fé haha
    http://odiariodoleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Ainda não conhecia o livro, mas não me interessei pela proposta. Não faz meu estilo de leitura, então essa dica eu passo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Não curti essa capa, parece que o ilustrador jogou um desenho ali e pronto.
    :p Sim estou julgando pela capa, mas quem sabe um dia eu não leia e me divirta com a leitura.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Não conhecia esse livro, não sou muito informada sobre esse gênero porque não acompanho muito. Mas gosto de livros com críticas sociais, talvez esse seja a primeira "novela policial sacana" que leio rs

    ResponderExcluir
  10. Hey,

    Não conhecia esse livro mas agora quero muito ler. Achei a premissa muito interessante. Adoro livros que exploram esse lado realmente feio do ser humano e da sociedade. Realmente quero conhecer e espero gostar.

    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  11. Oii. Tudo bem?
    Ainda não tinha ouvido falar desse livro.
    Mas parece ter uma temática bem interessante.
    Amei o post ficou otimo.
    Bjs Mary ♥♡♥♡♥♡♥
    http://leiturasdamary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. OI, tudo bem?!
    Já tinha ouvido falar desse livro, mas não é pra mim, não vai rolar a leitura dele por agora, mesmo que tenha temas que me interessam.
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  13. Oii, nunca tinha falado ouvir desse livro, me interessei bastante, quero muito ter a oportunidade de lê-lo.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Bela pedida pra Natal agora, nunca tinha ouvido falar dele, mas achei interessante, vou pedir pra Chiado mandar pra mim até final do ano.
    Obrigada pela dica, sempre valem muito e são ótimos livros.
    http://k-secretmagic.blogspot.com.br/
    Xoxo

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma