Resenha – Cartas para minha mãe




09 março 2016


Cartas para minha mãe, de Teresa Cárdenas, 108 páginas, Pallas Editora, traz a história sob os olhos de uma menina de 10 anos que logo cedo perdeu a mãe para a morte. Para manter a mãe viva, passa a escrever cartas destinadas a mãe, quase como um diário.


“Não sei porque tia Catalina ficou comigo. Só se importa mesmo com as filhas. Lilita e Niña passam os dias zombando de mim. Eu não ia zombar se a mãe delas tivessem morrido.”

O dia a dia da menina vai desvelando as problemáticas vivenciadas pela população negra de Cuba e seus registros quase dão vida a uma amiga imaginário, fica difícil não sentir a presença da mãe.

“Não gosto que digam que os negros têm nariz achatado e beição. Se Deus existe, com certeza está furioso por ouvir tanta gente criticando sua obra.”

“Algumas pessoas não sabem ser negras. Tenho pena delas.”

A espiritualidade também está presente nas cartas. Quando a prima Lilita adoece, a menina narra a saga da família entre chás, rezas e banho de descarrego para afastar mau olhado. Assim a vida vai passando e a menina resistindo. Resistindo em não perder a memória da mãe, resistindo em não abandonar sua negritude, em não aceitar ser escrava 'livre' da sociedade branca, e, principalmente, resistindo em não ser o ‘bode expiatório’ da família.



O final não poderia ser melhor. Lindo, comovente, emocionante. A menina, já adolescente, finalmente vivencia o luto, passa a entender melhor as situações, começa a virar mulher. É quando os segredos de família não são mais um monstro e a menina-moça-mulher pode digeri-los sem adoecer. Conhecer um pouco da Literatura Cubana foi um prêmio que me dei em 2016. Teresa Cárdenas é uma das mais destacadas figuras da nova geração de escritores cubanos. Recebeu o Prêmio Casa das Américas, o Prêmio David e o Prêmio Nacional da Crítica Literária. É uma bailarina renomada e exerce também o ofício de contadora de histórias.

Por Lilian Farias

13 comentários:

  1. Caramba que história! Deve ser um livro muito tocante. Não conheço nada na literatura cubana e agora conheço uma autora e estou feliz por isso, porque esse livro deve ser muito inspirador. Vou adicionar o livro a minha lista :) - Joanna Amaro.

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    já vi essa obra em algum blog, parece ser sensacional o livro, tocante, que meche com nossas emoções. Confesso que não li alguma obra cubana, ao menos não lembro. Vou adicionar esse livro na listinha dos quais pretendo ler. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia a obra, mas fiquei encantada com a inocência da meniana, e a transformação da jovem mulher. Sinto que esse livro deve emocionar pela simples e maravilhoso fato de ser contado através dos olhos da doce menina cheia de sonhos e vontade de ter sua mãe consigo.
    "Quero trazer a memória, aquilo que me dá esperança", foi a primeira frase que me veio a cabeça.
    Adorei
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  4. Nossa Lilian, ler uma resenha assim não é para qualquer um mesmo, já ouvi falar sobre a autora, não me lembro se não foi aqui no blog mesmo, e desde então quis ler algo dela. E sobre este livro? Tocante, leria com toda certeza.
    Beijão

    ResponderExcluir
  5. Eu não conhecia a Editora, mas achei o enredo do livro exatamente o tipo de leitura que eu estou procurando ler no momento. Gosto de enredos que comovem o leitor e que te envolvem.

    laoliphant.com.br

    ResponderExcluir
  6. Nossa, Lilian, que livro lindo!
    Fiquei tocada com sua resenha, deu pra perceber o quanto esse livro mexeu com você. Me emocionei até.
    Já anotei o nome do livro pra procurar aqui. Com certeza vou ler.

    Parabéns por essa resenha tão linda!


    Beijos!

    www.oblogdasan.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Lilian!
    Não conhecia o livro e apesar de achar a história muito interessante é uma leitura que eu não me identificaria. Não gosto de histórias dramáticas e o luto é um tema que não me agrada em livros. Mesmo assim adorei saber sua opinião sobre o livro! :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  8. Oiiiie
    adorei o título e parece ser uma leitura mega interessante apesar de bem diferente do que costumo ler, adorei a dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Mulher, pare de indicar livros tão interessantes!!! Me falta tempo, dinheiro, vida pra querer todos! O Livro parece ter uma sensibilidade muito grande e amo isso em dramas. Amei a resenha!
    Abraços;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Hey,
    Não conhecia nada sobre esse livro e achei incrível. Parece ser uma narrativa muito sensível realmente, além de ser também politizada. Uma mescla de intimidade com o público muito interessante. Fiquei com muita vontade de conhecer.
    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  11. Uau. Parece ser uma história maravilhosa e tocante. Lilian sempre fugindo do comum e trazendo histórias novas e emocionantes. Muito legal. Não conhecia a autora, mas da para ver pela resenha que a escrita deve ser sublime. Parabéns pela ótima resenha.
    Beijos

    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  12. Esse é um presente que eu gostaria de me dar também. Acho que ainda não li nenhum autor cubano. E quão é necessário lermos mais autora latinos-americanos. Às vezes tenho a impressão que ando lendo somente os nortes americanos e seus best Sellers.
    O que mais me chamou atenção no livro foi a necessidade da personagem manter sua identidade negra.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi Lilian, sua linda, tudo bem?
    É tão difícil aceitamos a perda de alguém que amamos muito. Não sei se a forma como ela luta para manter a mãe viva, através dessas cartas é uma fuga, mas que bom que no final ela consegue crescer e seguir em frente mesmo com essa dor, que eu acredito que nunca passa. Parece ser uma história lindíssima, não vejo a hora de ler. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Curta também:

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma