Bolsas de reportagem d'AzMina




07 abril 2016



O jornalismo feminino pode ser tão bom e empoderador quanto a gente quiser! Mas não podemos nos deixar enganar: nenhuma informação na internet é de graça. Há sempre alguém pagando por ela e, na maioria dos casos, são grandes marcas para quem interessa muito mais que as mulheres estejam inseguras e alienadas para compensarem sua falta de autoestima comprando cada vez mais produtos que prometem a fórmula mágica da beleza.

Na Revista AzMina a gente pensa diferente. Pra gente, você já é incrível do jeito que é e não precisa de nenhum pó de pirilimpimpim. O que você precisa é de uma equipe competente, diversa e ética de comunicadoras que desvende, questione e te informe sobre seus direitos e as opressões que você e outras mulheres sofrem por aí. Uma equipe que ache que o principal cliente do jornalismo são @s leitor@s. Que use o jornalismo investigativo e campanhas de redes sociais para fazer sua vida melhor e te dê as ferramentas que você precisa pra questionar e lutar pelo mundo que deseja.


Com essas 13 bolsas de reportagem nós queremos oferecer recursos e boa infra-estrutura para que jornalistas mulheres façam isso. Nós queremos tocar em temas tabus, denunciar abusos, explorar novas possibilidades de direitos, educar, informar e entreter.



Você pode apoiar a revista Azmina >>> aqui <<<. Para conhecer mais sobre o projeto, visite o site http://azmina.com.br/ e curta a fanpage >>> aqui <<<



A História d’AzMina começa em 2014, quando Nana Queiroz conheceu os resultados da pesquisa do IPEA “Tolerância social à violência contra as mulheres” que concluiu que, para 26% dos brasileiros, mulheres que mostram o corpo merecem ser atacadas. Indignada, Nana foi até o Congresso Nacional, tirou a camisa e escreveu no corpo “Eu Não Mereço Ser Estuprada”, usando a nudez política para simbolizar que, mesmo sem roupa, as mulheres merecem dignidade e proteção contra a violência sexual. Ao protesto de Nana somaram-se centenas de milhares de mulheres no Brasil. A campanha ganhou todas as redes de televisão nacional, as páginas de jornais e revistas e foi tratada por veículos internacionais como The Washington Post, BBC, Cosmopolitan International e The New Internationalist, chegando até à TV japonesa no outro lado do mundo. Essa foi a primeira vez em que milhares de mulheres puderam falar sobre a violência sexual que haviam sofrido e encontrar na internet o apoio de outras mulheres.

Desde então, Nana percebeu o poder da quebra do silêncio e quis formar uma associação focada em usar a informação, o jornalismo investigativo, a cultura, as redes sociais e o diálogo para empoderar mulheres contra as diversas violências que enfrentam em seu dia a dia: institucional, doméstica, profissional, sexual, racista, contra sua liberdade de orientação sexual, entre outras.

19 comentários:

  1. Uma excelente iniciativa. Acredito que esse projeto vai trazer muitos beneficios e matérias ótimas para as pessoas lerem.

    ResponderExcluir
  2. Que projeto interessante!
    Ótima iniciativa.
    Com certeza vou acessar o site e ver como posso apoiar!

    Beijinhos...
    http://estantedalullys.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oiii, que projeto interessante.
    Creio que muitas pessoas irão participar e trazer ótimos benefícios, gostei da forma que será utilizado!
    Beijão

    ResponderExcluir
  4. Ótima iniciativa e sem a menor dúvida vou acessar e apoiar, parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Hey, Lilian!

    Que coisa bacana esse projeto! Eu não conhecia.
    Desejo todo sucesso e que só cresça. :D

    Beijos!


    www.oblogdasan.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, eu amei a iniciativa e achei bem explicadinho o post.
    Desejo todo o sucesso ao projeto e sucesso a todas.
    bjus

    ResponderExcluir
  7. Olá!!

    Eu ameiii!! Eu entrei no site, já curti a fanpage! E vou ver se consigo fazer a doação (pq amei a regata da pomba e gira! kkk)
    Obrigada por apresentar o projeto!! Sucesso!

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  8. Ooi
    Que projeto maravilhosoooo!
    Torço que vá pra frente, merecem.
    Sucesso!!!
    Beijoos!
    www.estantemineira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Muito bom esse projeto. Vamos todos juntos apoiar essa causa!
    Sucesso!
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  10. Adorei a iniciativa. É bom saber que existem pessoas interessadas em fazer um jornalismo diferente que é voltado para os direitos femininos, ainda mais quando o feminismo vem cada vez mais sendo confundido com um "machismo" de mulheres, quando é algo completamente diferente.
    Beijos!
    Laury

    ResponderExcluir
  11. Oiiie
    muuuito interessante o projeto, ainda não conhecia mas espero que com certeza vocês consigam crescer e atingir á todos os publicos

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Uau Lilian! Parece ser um projeto maravilhoso, diferente do que temos visto. Como pude não conhecer essa inciativa até agora?!

    umreinomuitodistante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Lilian, sua linda, tudo bem?
    Adorei o projeto de vocês. Super diferente e com um objetivo muito importante. Vou ficar torcendo para que vocês consigam.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Nossa eu amei, sério. Iniciativa ótima, eu faço um trabalho assim em um Blog que escrevo e tento desmistificar alguns tabus e Pah. Parabéns mesmo pra vocês. Bjs Tayletitshine.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá!

    Adorei o projeto. E espero que seja um sucesso. Porque realmente o que é empurrado para nós está cada dia pior. Basta ligar a TV ou ir a internet tem uma propaganda nos dizendo que nosso cabelo é ruim, nossa roupa é feia e que não nos encaixamos no padrão de beleza. Levando mulheres a não se aceitarem como são. E será muito bom um veiculo que aborde temas importantes que são camuflados. Precisamos falar e denunciar os abusos diários que acontece na nossa sociedade. Super apoio o trabalho e vou ficar na torcida. E claro,vou conhecer mais.

    beijos
    http://chalecult.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Que interessante! Eu gostei muito da iniciativa de publicar uma revista como essa, tão cheia de boas intenções para com as mulheres. Estou torcendo pelo sucesso do projeto.

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  17. Olá...que iniciativa interessante! O objetivo é incrível, espero que vocês tenham muito sucesso!

    Abraços
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  18. Olá.
    Adorei a iniciativa de vocês. Realmente o projeto é maravilhoso e merece todo apoio, principalmente de nós mulheres. Infelizmente por agora não poderei contribuir com uma doação, pois estou apertada, um baby para nascer mês que vem e muitas contas para pagar kkkkkkk
    Já tenho certeza que vai ser sucesso, e que os temas abordados serão para consciencizar e alertar;

    ResponderExcluir
  19. Oie, tudo bem? Já ouvi falar dessa iniciativa. O projeto deve ser muito legal e merece todo o apoio. Não só das mulheres, mas de todos que acreditam que as mulheres merecem mais espaço no mercado de trabalho.
    Beijos!
    Academia Literária DF


    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma