Resenha - Quando a selva sussurra: contos amazônicos




25 abril 2016


Quando a selva sussurra, Editora Lendari, 184 páginas é uma antologia de contos amazônicos de Vários Autores Nacionais, que apresenta ao leitor diversos elementos e lendas características do Brasil, a cada página encontramos seres mitológicos, aterrorizantes e interessantes que mostram um pouco mais da cultura e dos costumes do povo amazonense.

Sinopse: Muito antes do homem, há o mistério. Em meio à imensidão das florestas, existe algo que vai além dos rios, igapós e das barrancas de terras caídas. Uma chave que brilha em verde-esmeralda e que guarda a entrada da origem de tudo: da copa intransponível das árvores, que quase não permite que o solo úmido veja a luz do Sol, a todo ser vivente que caminha furtivamente pelos meandros dos segredos. Há quem adentre a selva sem pedir permissão e nunca mais retorne. Há quem desista de encará-la quando os ventos trazem o canto invisível do Uirapuru, os passos do Mapinguari ouvidos de muito longe ou mesmo as vozes sem face que sussurram sem dizer uma palavra. E há quem nada saiba sobre ela.Quando a selva sussurra é uma coletânea de contos baseados em lendas amazônicas. Revisitadas, relidas e reinterpretadas por autores que, como “mateiros” – os homens nativos da região que conhecem como ninguém todas as sinalizações ocultas da floresta –, vão conduzir o leitor à face do inexplorado, ao alcance do mitológico, às estradas perdidas do Eldorado literário onde todas as verdades se apresentam como lendas ainda hoje contadas pela oralidade dos antigos. Histórias que não se perdem quando passadas adiante. E que vão continuar. Porque o mistério permanecerá depois do homem.

Sou uma fã de antologias, adoro contos, mesmo os mais curtos sempre me encantam com a possibilidade de uma história curiosa em tão poucas linhas. Quando a selva sussurra me surpreendeu de uma forma bem positiva, nunca fui afundo nas lendas urbanas amazônicas, mas já conhecia alguns nomes por uma ou outra história que ouvia quando pequena na escola. Me surpreendi ao ver misturas de lendas dentro de apenas uma história, uma versão diferente de lendas há tanto conhecidas, não apenas elogios a obra, pois um dos contos me deixou um pouco chateada, minha interpretação dele foi um pouco desagradável, talvez seja uma interpretação errada e por isso não julguei o livro pensando nele, mas ainda assim foi algo que ao refletir me desagradou.


Eu me apaixonei pelo conto “A arvore dos Cânticos” o autor está de parabéns pela mistura e pela releitura que fez, o conto nos traz a história da árvore dos cânticos, uma arvore magica que continha o segredo da vida e que por isso acabou sendo cobiçada pelos deuses e também pelas entidades que lutaram e deram suas vidas para chegar a ter esse segredo, e dessa luta sem fim surgiram as águas frias de cor de barro e águas negras que mesmo tão perto nunca se misturam.

“A árvore dos Cânticos retirou-se da mesma forma que surgiu. Ela Talvez ainda esteja vagando por nossas florestas, pois é tão viva quanto cada um de nós.”  

A editora está de parabéns, me senti preza a maioria dos contos, curiosa por cada ser e cada lenda apresentada, pelas ilustrações de traços tão lindos e que enchiam de vida os contos a qual representam.




14 comentários:

  1. Oi Lilian e Paac! Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas confesso que não sou muito fã de contos, estou dando oportunidade para esse tipo de gênero, espero um dia poder gostar tanto quanto você.

    Na imagem pude ver que o livro tem ilustração! Sinceramente livros que tem imagens não me agradam... Deve ser por que tive uma experiência não tão agradável, que me fez ficar meio longe desse tipo de livro. Mas estou aos poucos voltando para eles.

    Bjs! Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  2. Também gosto muito de ler contos, acho incrível o talento que alguns escritores tem de nos prender a atenção com poucas e precisas palavras.
    Achei interessante a proposta do livro, ótima dica de leitura!

    Beijos,
    S de Sarah

    ResponderExcluir
  3. Oiii amiga,
    confesso que livros de conto não me enche os olhos não, mas gostei da premissa deste, quem sabe eu de uma chance não e? Sempre e bom ler algo novo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá,

    Eu não sou muito fã de antologias, porque sempre que um conto termina fico querendo mais sabe? Mas fiquei muito interessada nesse livro, nunca li nada a respeito do povo amazonense e eu acho que seria um contato muito bom com a cultura deles e além do mais, eu amo de paixão histórias com cunho sobrenatural. Com certeza esse livro entrou para minha lista! Parabéns pela excelente resenha.

    Abraços
    http://colecoes-literarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Falou em "contos amazônicos" já falou com o meu coração! Hahaha Gosto muito de narrativas diferentes, que fogem do que eu costumo ler e eu sinto que podem me acrescentar coisas. Esse daí está com certeza nessa categoria, e pretendo lê-lo em breve. :)

    ResponderExcluir
  6. Oi Paac,
    gostei muito da resenha e até me interessei pela leitura. Eu leria a título de curiosidade, pra conhecer um pouco mais sobre o nosso país e valorizar a literatura nacional. Infelizmente agora estou atolada de leituras atrasadas! Então vou deixar pra depois.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel
    relicariodepapel.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Paac!

    Não sou fã de contos, nem do folclore da nossa cultura, pra ser sincera.
    Então certeza de que esse livro não é pra mim.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Paac, tudo bem?
    Também gosto muito de contos mas não é o tipo de livro que eu queira ler agora, estou atolado de leituras e com isso passo a prezar livros mais interessantes, o que para mim, não é o caso desse livro.

    ResponderExcluir
  9. Oi Paac!
    Ai que tudo. Não sou lá grande fã de contos, mas para esse livro eu daria uma chance, afinal, temos que explorar mais a nossa cultura brasileira nas obras nacionais.

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Oii Pacc!
    Gente adorei este livro. Já tinha ouvido falar, mas não tinha lido uma resenha ainda.
    Gosto de contos. E este com certeza lerei. Linda edição.
    Ótima resenha!

    Beijinhos...
    http://estantedalullys.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oioi! Tudo bem?
    Acho que já ouvi falar desse livro de contos e foi um super elogia na época que me falaram.
    Pelo que vi por dentro do livro, a editora caprichou em tudo e deixou o livro Quando a selva sussurra: contos amazônicos uma obra de arte.
    Adoro quando a editora investe mesmo e fiquei bem interessada nos contos. E olha que nem sou mto fã, mas com essas recomendações, fico mais animada ler.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  12. Esta é a segunda resenha que leio desse livro e ambas foram bem positivas. Achei muito legal fazer uma antologia voltada para o folclore e lendas da Amazônia, mais nacional impossível! É uma forma de divulgar nossa cultura também. Capa belíssima!! Gostei bastante do livro. Anotadinho!

    ResponderExcluir
  13. Oie
    muito legal a edição do livro e parece ser contos mega interessantes, fiquei super curiosa pela leitura e vou anotar a dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá Paac a proposta do livro é bem interessante, pois o tema falando sobre selva e suas lendas desperta a curiosidade. Muito bom. Bjs

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma