Header Ads

Resenha - Armadilha Mortal



Roberto Arlt nasceu em abril de 1900, Buenos Aires. Em 1916 publica seu primeiro conto Jehová. Em 1926, seu primeiro romance El juguete rabioso. Depois, numa análise sobre a sociedade contemporânea argentina, vieram os romances Los sietes locos (1929) e Los Lanzallamas (1931). Em seguida começa a viajar pelo mundo: Brasil, Espanha, Marrocos, Chile, e essas viagens interferem decisivamente em sua escrita.

Em 1940, após viagem ao Chile, escreve Um viaje terrible, que se aproxima da literatura fantástica. Como jornalista, cultivava destreza em expor o cenário político e social de seu país, o que também interfere em sua vida de escritor. Em 1942, com problemas cardíacos, ele morre, sendo considerado um dos maiores escritores argentinos do século.

Sinopse: Armadilha mortal é uma extraordinária coletânea de contos policiais, onde Arlt praticamente lança o gênero na literatura argentina. Aqui se verá o estilo apurado, as tramas muito bem articuladas num livro que se lê com prazer da primeira à última página.

Armadilha mortal é um livro curto, 87 páginas,  que reúne sete contos do autor. A pista dos dentes de ouro; Um argentino entre gângsteres; A vingança do macaco; A dupla armadinha mortal; O mistério dos três sobretudos; O enigma das três cartas; Um crime quase perfeito.

Armadilha mortal foi o meu primeiro contato com o autor, receio ter ido com muita sede ao pote, pois fiquei com a sensação que faltava algo. Eu gosto de contos e de literatura policial, mas preciso ser surpreendida, caso contrário, dou uma brochada literária.

E foi exatamente o que aconteceu ao fim do conto A pista dos dentes de ouro, era tão óbvio que, ao final, não estava acreditando. Lauro Spronzini é um assassino que usa falsos dentes de ouro, mata um homem no Hotel Planeta. O crime fica conhecido como O Enigma do Bárbaro Crime do Dente de Ouro. Ninguém descobre quem era o assassino, somente Diana, dentista do Lauro.


Continuei a leitura com o intento de mudar essa relação com o livro, e os contos foram passando e nada. Nenhum fogo, nenhuma paixão. Apesar disso, pretendo conhecer outras obras do autor. 

4 comentários:

  1. Olá,

    Não conheço nada do autor, mas fiquei feliz em saber da existência desse livro que compila vários contos. Quero muito conferir essas histórias.

    Abraços
    colecoes-literarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Nunca escutei falar desse autor, mas é sempre bom conhecer novos! Não sou muito de ler contos, mas quem sabe eu não goste e confesso que já estou curioso para ler esses contos.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  3. Oie
    Não conhecia o autor mas fiquei bem curiosa plea leitura por ser um gênero bem interessante e diferente, bela dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oioi! Tudo bem?
    Também gosto de historias com um enredo policial e nao conhecia esse Armadilha Mortal.
    Uma pena que nao tenha sido tão bom, as vezes acontece, mas que bom que vc ainda vai tentar outras obras.
    Otima resenha.
    Beijos

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma