Resenha - CRU




01 junho 2016



Cru. Pois algumas coisas devem permanecer assim: Nesse estado não cozido. O livro CRU, do Autor Jaime, Editora Chiado, 86 páginas, inicia dizendo que dedica o livro a todos que iriam a seu funeral se fosse amanhã. No prefácio, o Autor deixa claro o seguinte: “Aqui tudo o que lêem sou eu. Não há floreados nem nota artística. ”
Um livro em prosa poética alternando com poesias autobiográficas, onde o desabafo toma conta das páginas. Um diário de bordo ou de bordô. “Tenho tempo para ser santo quando morrer, hoje quero pecar”.  Com questionamentos a respeito da existência. Vida, morte, Deus. O livro faltou novidade, profundidade e criatividade.

Devaneios
Desabafos.
Às vezes
É preciso fechar a boca:
E esperar os próximos bafos.

[16h00min – 30.05.2016 – Magali Polida]


Um resumo poético
Uma revolta pode e deve ser um escrito bonito.
Não enfadonho.
Um escrito
Não deve choramingar.
Um choro escrito
Deve ser bonito.

[15h20min – 30.05.2016 – Magali Polida]
Sinopse: Não sei o que escrevo, porque escrevo nem com que objectivo. Mas escrevo. Sinto-me bem ao fazê-lo.

Escrevo o que não consigo falar por não ter ninguém a quem o dizer. Ninguém me ouviria se dissesse algo do que escrevo, porque há certas coisas que só fazem sentido escritas.

Resenha por Magali Polida

Sobre mim? O céu. Mesmo quando poluído. Enquanto os pulmões das aves aguentarem, também permanecerei esperançosa de um dia olhar para o céu sem ter os olhos irritados e o coração aflito.

Escritora, poetisa, pedagoga, artista plástica, poetriz, artesã e meus interesses pessoais são público desde o meu nascimento, em 1981, na cidade de São Paulo. Moro em Pernambuco e considero-me cidade pernambucana. Autora do livro A menina do panapaná e Bichomemulher.


9 comentários:

  1. Oi!!
    Não conhecia o livro, e não chamou a minha atenção principalmente por ser em prosa poética.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. "Escrevo o que não consigo falar por não ter ninguém a quem o dizer. Ninguém me ouviria se dissesse algo do que escrevo, porque há certas coisas que só fazem sentido escritas." Isso é tão eu! Esse livro parece incrível e esse título? Quero pra ontem

    ResponderExcluir
  3. O título é a capa são bem bonitos mesmo, Ana Gabriela ;-}

    ResponderExcluir
  4. Eu até leio livros com prosa poética, mas esse não chamou atenção. O título é bem sugestivo. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu não sou muito fã do gênero, então essa dica eu deixo passar.
    Mas acredito ser uma boa pedida para quem curte =)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Magali!

    Lendo sua resenha, a sensação que eu tive é de que os textos foram escritos a esmo, sem motivo nenhum. E depois apenas colocados todos juntos para serem chamado de livro, rs.
    Não me interessou, não.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oie
    muito legal sua resenha mas não sou fã do gênero, mesmo assim vou anotar a dica para talvez ler mais para frente

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Parece ser um livro ótimo para quem gosta desse tipo de leitura, pena que não faz muito meu estilo.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  9. O livro parece ser bastante interessante, mas não faz o meu tipo de leitura.

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma