Resenha – Viúva, porém honesta




17 janeiro 2017



Viúva, porém honesta, de Nelson rodrigues, Editora Nova Fronteira, é uma peça teatral dividida em três atos, que traz a história de Dr. J.B, diretor do jornal A Marreta. Apesar da forte influência política do homem, capaz de mandar e desmandar no Brasil, ele passa por um conflito familiar.

A falência do Brasil sempre vendeu jornal.”

O problema é que sua filha, Ivonete, ficou viúva e recusa-se a sentar como prova de sua honestidade pelo defunto. Aflito, o pai resolve consultar peritos, chama ao jornal um psicanalista, um Otorrino, uma ex-cocota e o diabo.


“Agora, na sua viuvez, eu recorro novamente aos técnicos. Cada um dos presentes tem, no caso, uma autoridade óbvia. Por exemplo, Madame Cri-cri. Contemporânea do Kaiser, de Mata-Hari, da febre amarela, sabe tudo, não sabe, madame? (...). Hoje, tem casas até em Istambul. Nosso amigo psicanalista vive do sexo. O otorrino parece não ter nada com o peixe. Engano. Ninguém ama sem ouvidos, nariz e garganta. Quanto ao nosso amigo Belzebu, quem discutiria, sim, quem?, a sua autoridade sexual milenar? Fala: tu não és perito em amor, em mulher, Belzebu?”


Apesar de toda dedicação ao defunto, Ivonete não acredita que a mulher deva ser fiel ao marido, lógico, em vida.


“Portanto, só viúva deve ser fiel, só. As outras, não. As outras não precisam.”

Diante do drama que começa no casamento e continua na viuvez, Nelson constrói um texto permeado pelo sarcasmo a impressa e a própria crítica teatral. Ivonete, adolescente, grávida que não sabe quem é o pai da criança, assume um tom de inocência e cabe a Dr. J. B. encontrar um marido para filha. Dorothy Dalton, que trabalha no jornal como crítico teatral, e é foragido do SAM (Sistema de Assistência aos Menores), foi o escolhido da moça. Casada, Ivonete se recusa a ter a noite de núpcias com o marido escolhido, que acaba “atropelado, segundo uns, por um papa-fila, segundo outros, por uma carrocinha de chica-bom”. Ivonete, que nessa mesma noite já havia traído o marido com quatro homens diferentes, abandona a roupagem de esposa libertina e se traveste de viúva honesta. Caberá aos especialistas resolver essa problemática e devolver a jovem sua liberdade para trair. Nelson é ácido e assertivo em sua crítica a diversos setores da sociedade.

25 comentários:

  1. Tenho vergonha de falar, mas não conhecia essa peça. Eu amo teatro, mas ultimamente não estou tendo tempo para assistir muitas apresentações. Pesquisei aqui um sobre e vi que está em exibição em uma faculdade perto da minha casa, parece destino hahaha Vou assistir! Otima resenha, vou assistir a peça com um olhar mais critico e ficar de olho nos detaalhes. Parabéns pela resenha!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também aprecio teatro e a melhor peça que já assistir foi uma do Nelson

      Excluir
  2. Um típico enredo do Nelson Rodrigues, pelo menos pelo que li na resenha. Não conhecia esta peça, mas me coloquei a rir com a ironia dá situação da viúva. Só Nelson Rodrigues para criar algo assim.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nelson Rodrigues, apesar de um machista louco, é um autor excepcional.

      Excluir
  3. Oiiii minha, como está?
    Fiquei bastante interessada em realizar a leitura desse livro, nunca havia visto e isso me motivou, creio que tenha muito suspense e uma emoção, dica anotada e vou ver se encontro em sebos para comprar.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  4. Legal, quando lê, me diz o que achou. Não tem suspense, mas o humor vai até 25000

    ResponderExcluir
  5. Oi Lilie,
    Até hoje não li nada de Nelson Rodrigues, conheço seu trabalho apenas através da dramaturgia, mas me pareceu ser uma leitura muito interessante, já queria conhecer a escrita dele há tempos e agora ainda mais.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Lilian!
    Do Nelson só li Meu destino é Pecar e é um dos livros que mais reli na vida!
    Me interessei muito pelo livro, preciso passar nos sebos por aqui para ver se encontros mais obras dele!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Nossa, eu ainda não conhecia esse livro e fiquei completamente curiosa com essa premissa. A trama parece se desenvolver muito bem e espero poder ler a obra.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Lilian.
    Nunca li nada do autor. Sou sincera e falo que não sou muito acostumada com livros escritos em peças teatrais, deixo de ler alguns por causa disso.
    A história me parece ser bem diferente, a mulher traiu o cara em uma noite com quatro, meu Deus!!!
    A dica está anotada, quando eu me familiarizar com a forma de escrita irei ler o livro!

    ResponderExcluir
  9. Li tem muitos anos, mas confesso que ri demais das situações...
    preciso fazer uma releitura...a escrita de Nelson é gostosa, flui que é uma beleza...
    adoro a acidez estampada em suas peças...
    :D

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Desconhecia a obra, mas pelo fato de ser uma trama regada ao sarcasmo e com várias críticas me deixou bem intrigada.
    Não é o gênero que costumo ler, mas estou curiosa para conferir essas traições de Ivonete e depois ela travestida de viúva honesta!

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oie
    parece ser uma ótima obra, eu não costumo ler peças mas rola a curiosidade e o autor é bem famosos né? Gostei da dica e da resenha

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá, não conhecia a peça, mas achei a proposta do enredo e a forma que o autor parece trabalho bem interessante *-* Dica anota.

    http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?
    Não sou muito fã de teatro, por isto não conhecia a peça, porém a achei muito interessante e irônica. Irei pesquisar mais sobre esta peça.
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.be)

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? Grande Nelson Rodrigues, conhecia algumas obras dele mas essa não. Achei o enredo interessante, o problema para mim seria a forma que foi escrita, em atos, que não é uma leitura tão prazerosa para mim. Quem sabe futuramente?
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Que dramalhão heim? Não sei quem é mais azarada, se é Ivonete ou os homens dela. hahaha
    Gosto de Nelson rodrigues, sempre termina uma peça acabando com alguém. E me acabo de rir como é exposto a situação toda.
    Adorei !
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  16. Bem legal, acho bacana leitura assim mas tem época, pois ler em atos as vezes é meio cansativo, achei bem bacana, não conhecia essa obra. Hahaha

    ResponderExcluir
  17. Olá,

    Nunca li nada do autor, mas meu professor de antropologia já cansou de me indicar essa obra e agora lendo sua resenha, sinto que preciso dar uma chance. A escrita em força de peça, me desanima um pouco. Mas como estou me habituando a ler livros assim, não vou me importar tanto. Adorei a resenha!

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  18. Nunca li nada do autor, embora tenha vontade por ser bem clássico, sempre vejo pessoas comentando e etc. E nunca li nada noe estilo teatro também. Acho que vou investir na leitura, só para ver se curto ou não esses estilos. Flores no Outono 

    ResponderExcluir
  19. Hey, tudo bem?
    Na verdade eu nunca li nada desse autor e gostei bastante dessa obra. Parabéns pela resenha!

    Beijos Literários.

    www.blogparadaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  20. Eu sempre quis ler alguma obra do Nelson rodrigues. Ainda não conhecia essa e me parece um excelente jeito de começar.
    Ele sempre me encantou no jeito de falar as coisas que precisam ser faladas
    Abraços

    ResponderExcluir
  21. Nossa... eu to aqui chocada com essa história haha
    Conheço a fama do autor, mas nunca tive a oportunidade de ler nenhum livro do mesmo. Não sei para falar a verdade se leria esse, mas sem sombra de dúvidas, é uma história bem, mas bem interessante kk

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  22. Olá,
    Não consigo ler peças, acabo sempre me distraindo no meio. Apesar disso gostei do tema dessa, parece bem dramático na dose certa.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  23. Sarcástico demais! kkkkk
    Adorei, tem toques estruturais de ironia e sarcasmo... fiquei louca pra ler agora. Parece um tipo de crônica... super realista...
    bjs

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma