Resenha – Não Falta nada




30 março 2017



‘Conte histórias, leia histórias em voz alta, dê livros
bons para as crianças lerem sozinhas. O futuro
agradece. O seu, o delas, o da humanidade.’
Ana Maria Machado

Não Falta nada, de Tatiana Filinto, Editora Peirópolis, é o que estava faltando em minha estante. Definitivamente, preciso de um espaço apenas para os livros da editora. Ler e contar histórias é bem mais que um breve derramar de palavras. É unir gerações. É tecer afetividade. É catarse. É Criar uma teia entre a realidade e o lúdico. Margot Sunderland, em seu livro, O valor terapêutico de contar histórias: para as crianças, discorre

“Ajudar a criança a refletir sobre seus sentimentos problemáticos por meio da história e impedir que esses sentimentos se avolumem e se transformem numa terrível confusão interior. Em outras palavras, quando bem usadas, as histórias são uma parte vital da saúde do sistema digestivo emocional da criança”

E é exatamente isso que Não falta nada aborda, o conflito das descoberta e transformações no cotidiano de uma criança, os laços com os familiares e instituições que a cerca, como a escola. 


As belas ilustrações brindam o leitor com o menino-narrador, que discorre sobre o quanto é cercado de cuidados ‘excessivos’ por parte de seus familiares.

“Na época em que eu andava aos tropeços, me levavam no colo de um lado para o outro.
‘Coitadinho, vai se cansar’, diziam.
Eu? Queria ir a voltar.
Mas era só no colo.”

O menino não vê a hora de livrar dos ‘cuidados excessivos’ e conhecer o mundo. Cheirar, tocar, dançar, explorar. O tempo vai passando e o menino passa a frequentar a escola e vai percebendo que precisa se descobrir.

“Fui notando que não sabia bem o que querer; meus pais costumavam saber por mim. Mas era estranho, muitas vezes não sabia do que eu gostava ou o que fazer comigo.”


Até que um dia, o menino resolve ‘andar com as próprias pernas’ e se depara com coisas maravilhosas, suas novas experiências mesclam com as antigas e de maneira leve, norteada na inocência infantil, a autora traça uma linha harmônica na história de uma criança feliz e saudável. 

32 comentários:

  1. Esse livro me lembrou muito O pequeno príncipe kkk, acho que por cauas dos desenhos!! Acho que ele seria uma boa ler!!

    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. 'Não Falta nada", de Tatiana Filino, me parece ser uma história infantil sensível, poética e bastante reflexiva acerca as relações de uma criança e seu mundo. O enredo pode até ser muito degustável, porém a resenha poderia ter sido mais convidativa, né? Parabéns pela resenha, parabéns para o blog.

    ResponderExcluir
  3. Que coisa mais linda e gostosa de se ler. Já anotei a dica para comprar para meus filhos lerem. Amei cada frase aqui citada.
    Parabéns pelo lindo blog.
    ‘Conte histórias, leia histórias em voz alta, dê livros
    bons para as crianças lerem sozinhas. O futuro
    agradece. O seu, o delas, o da humanidade.’
    Ana Maria Machado. Perfeito!

    ResponderExcluir
  4. Oi.

    Adorei a resenha do livro, adorei o livro e a chance de poder conhecê-lo. Adoraria realizar a leitura dele, vou procurar depois onde posso comprá-lo.

    ResponderExcluir
  5. Que livro mais gracinha. Concordo com você, o que está faltando na minha estante é um espaço para livros assim! Me deu uma vontade imensa de ler e viajar nessas histórias inocentes mas tão profundas! Amei!

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
  6. Lilian sou perdidamente apaixonada por esse tipo de ilustração nos livros, a obra tem muito a oferecer com toda certeza e agora vou te imitar, ele está faltando na minha estante, dica anotada.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. OOi Lilian!
    O livro parece ser muito fofo, tanto por conta da história em si quanto por essas lindas ilustrações.
    Ótima resenha! Dica anotada. :)
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Esse livro me parece uma gracinha, e legal pra leitura infantil.

    Gostei muito da sua dica, estou precisando de mais livros assim.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Desconhecia a obra, mas achei a premissa bem interessante.
    Realmente, tem pais que apresentam cuidados excessivos e não deixam a criança descobrir o mundo e também descobrir-se.
    As ilustrações parecem dar maior ênfase a toda a trama.
    Adorei conhecer um pouco mais sobre o livro.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  10. Que livro lindo, achei a capa maravilhosa e as ilustrações devem ser ainda mais lindas.
    Gostei dos seus comentários sobre ele e fiquei curiosa.

    ResponderExcluir
  11. Oi!

    Eu adoro livros infanto-juvenis e com certeza vou amar a leitura deste também! Parece ser uma história que é puro amor! Dica anotada! Amei a resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Interessante conhecer o olhar da criança diante dos cuidados paternos. É complicado saber dosar estes cuidados, e ler algo sob o ponto de vista deles, é bem vindo. A leitura deve está ótima mesmo. Gostei desta dica.
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Oi, Lilian!
    A maneira poética e leve, que a autora fala sobre a infância e o ponto de vista de uma criança, parece lindo.
    Aliás, já tive a chance de ler uma obra nesse estilo e elas costumam ser encantadoras. Tenho certeza que vou gostar <3

    ResponderExcluir
  14. Que bacana! Nunca tinha ouvido falar desse livro. Adoro literatura infantil, acho que é uma historia que vale a pena ter em casa e ler para sobrinhos, filhos de amigos etc.

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem?
    O livro parece ser uma obra sensível e que traz muitas reflexões. Sempre achei que livros que trazem o ponto de vista da criança merecem nossa atenção, pois, geralmente, trazem uma pureza e uma sensibilidade que faltam no olhar do adulto.Então, adorei a ideia de acompanharmos o amadurecimento de uma criança e o modo como ele encara os cuidados excessivos dos pais.
    Adorei a sua resenha e já anotei a dica!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Oie!
    Ainda não conhecia essa editora, mas vai bem ao encontro das minhas necessidades, pois estou sempre procurando livros com abordagens diferentes para minha mãe usar no consultório de psicologia. Já vou passar esse para ela.
    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    que livro interessante, gostei da proposta e nos faz refletir, ainda mais quando traz o ponto de vista de crianças, nós aprendemos tanto com elas. Gostei e vou colocar na lista de desejados!

    Beijos!
    http://blogdatahis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Awn esse parece ser o tipo de livro fofo que vai colorir a nossa estante. Adorei sua resenha!

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem?
    Que livro mais fofo, já anotei a dica e espero ler com a minha afilhada.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  20. Oooi, tudo bem?
    dica anotada aqui, adoro esses livros com ilustrações, ele me lembrou muito O pequeno príncipe!
    Amei a dica <3
    Beijoos

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Que livro delicado e lindo. Estou adquirindo livros infantis para ler com minha mãe. Estarei anotando sua dica, para uma futura leitura. Amei!
    bjoca
    Ni
    Cia do leitor

    ResponderExcluir
  22. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o livro e não parece o tipo de leitura que eu faria, mas achei interessante a questão da criança buscar certa "autonomia". Acho que isso não é muito abordado...

    ResponderExcluir
  23. Olá amore,
    Que capa mais amor... Gostei dessa coisa de unir gerações, por isso anotei a dica por aqui!
    Adorei sua resenha, parabéns!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  24. Oi, tudo bem?
    Que graça este livro!! Não é algo que eu leria, até mesmo pq não tenho crianças em casa, mas irei indicar para algumas primas!
    Bjs

    ResponderExcluir
  25. Não é o meu tipo de leitura, mas eu realmente achei a temática do livro interessante e acho que daria uma chance sem medo.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Olá Lilian,

    Não conhecia esse livro e nem preciso dizer que adorei, as ilustrações também são ótimas, tenho certeza que minha filha vai adorar....bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Que bacana a premissa dessa obra! Confesso que não é do tipo de gênero que mais leio, mas com certeza é uma boa dica para se anotar!

    ResponderExcluir
  28. Oiee
    Que gracinha!!!
    Adorei! Ainda não conhecia esse livro e pela sua resenha já fiquei encantada.
    Parece uma belíssima história para contar às crianças.
    Dica anotada para os meus filhotes.
    Parabens pela resenha. Adorei!
    Bjo

    ResponderExcluir
  29. Oi!!
    Que capa fofa, fiquei encantada e já curiosa com relação a leitura.
    Pela tua resenha o livro é mesmo encantador e as gravuras que você colocou são lindas.
    Legal ler algo assim, me fez pensar em quando era criança, as descobertas a curiosidade.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  30. Oie
    nossa gente, que gracinha de livro, como ainda não conhecia essa obraw eu amo esse tipo de leitura, sempre é muito bem vinda, amei a dica

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Olha, fui uma criança super protegida na infância e tbm não via a hora de me libertar daqueles cuidados excessivos. Acho muito importante este tipo de leitura para as crianças. A ilustração me causou estranheza no início, mas depois acostumei. Bela dica! bjs Jo Scarreiro

    ResponderExcluir
  32. Que livro gracinha, não curto muito ilustração em livros longos mas parece que não é o caso. Com certeza quero essa obra linda na minha estante, dica maravilhosa.
    Beijos

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma