Resenha – Hora de Alimentar Serpentes




17 abril 2017

photo montage - by marcelo mattina



A serpente está presente nas mais diversas mitologias dos mais diversos povos. Como representação da sabedoria, astucia, da energia telúrica, proteção, guardiã dos portões do submundo em diversas culturas. Como guardiã que segura as águas do mar ou suporta a terra. Símbolo universal da renovação e a regeneração que pode conduzir para imortalidade. Ela aparece nas mitologias antigas e está presente nas religiões. Além disso, ao formar um anel com a cauda em sua boca, é também o símbolo da unidade em tudo e todos, a totalidade da existência.


Permeado de simbologias, A hora de alimentar serpentes, de Marina Colasanti, Global editora, não se limita ao gênero Fantasia, apesar de o sê-lo. Com a narrativa curta ou curtíssima, os rápidos textos alternam entre contos.


QUESTÃO DE TIMING  
    Achou que não ficaria bem ter relações sexuais com ele no primeiro encontro. Teve antes.”


Mitológico, o prólogo já decifra uma escrita capaz de mergulhar no profundo de diversas filosofias; tecendo ideias. Duas orações costuradas, onde a linha para tecer é a cobra/ponto continuativo e o tecido, as palavras.

“Enfiou a serpente na agulha. E começou a costurar.”

E lá vai Marina, com seu dedal, linhas/cobras, tesouras, pensamentos, subjetividade, formando teias

ENQUANTO O SONO   

   Demora, o sono. Para ocupar-se na espera, ela começa a tricotar mentalmente. Que longa echarpe tem de manhã, tecida com o fio dos seus pensamentos. Mas é muito desigual, interrompida por malhas perdidas e amplos vazios. Jamais poderá usá-la.”


A mulher ‘interrompida por malhas perdidas e amplos vazios’, tricota, em seu íntimo, pensamentos que sequer serão usados, pensamentos produzidos em período de insônia. Naquele breve momento em que esperamos pela chegada de Morfeu e, enquanto isso, as ideias criam formas, às vezes, de monstro ou de sonhos acordados, que mais tarde já não fazem o menor sentido. Marina costurou com palavras a simbologia do retrato de um instante.  Como acontece também com o trocar de escamas da serpente, pode ser visto no texto intitulado Depois do terceiro ato

“Difícil, para aquela atriz, não é suicidar-se todas as noites no terceiro ato. É voltar à vida para receber os aplausos.”

A atriz precisa voltar à sua consciência e ‘receber os aplausos’, não mais como personagem e isso pode ser, no mínimo, perturbador, caótico e irônico. Mas a ironia não é pauta de um texto só, ela ganha forma na pele da serpente, aliás, ela é alimento para serpente, que rompe com um romantismo desnecessário.

SEM NECESSIDADE     
    Ofertou seu coração ao amado. Que, sem necessidade de transplante, abandonou o presente no fundo de uma gaveta. ”

Na tentativa esdrúxula de organizar o mundo, o homem inventa necessidades e obrigações de contratos sociais que são, ironicamente, descumpridas pelo próprio homem. Não é possível acumular corações, como na sociedade capitalista que se acumula objetos. O que se faz então com corações para acumular?

A hora de alimentar serpentes não é um convite à reflexão, é a sedução para produzir pensamentos.  É o reencontrar-se com o inusitado sem a intervenção de uma divindade única de certo ou errado. Uma caixa mítica da vida como ela é, satirizando a humanidade que esquece sua essência e fragmenta-se.

40 comentários:

  1. Apesar de adorar Marina, esse livro dela não me agradou. A simbologia da serpente é interessante mas não algo qie me chame atenção, embora ela tenha usado muito bem isso mo livro.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente irei deixar a dica passar. A premissa parece muito boa e parece bem interessante mas no momento não é o tipo de leitura que busco. Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Não sabia tanto sobre a simbologia das cobras e achei o tema bastante interessante e fiquei tentada a pesquisar mais sobre o assunto mas confesso que o livro em si não me atraiu, pois não é o tipo de leitura que me instiga.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Fiquei bem interessada em ler esse livro, sua resenha me conquistou e me deixou curiosa pra saber mais. Com certeza vai para a minha lista de desejados. Ótima resenha e ótima indicação.
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  5. O livro me chamou atenção e digo que me interessou, mas como sabes tem pavor desse animal. Preciso evoluir muito para conseguir lê-lo, rsrs

    ResponderExcluir
  6. Esqueci de comentar um detalhe que prezo: Capa. Essa está simplesmente sensacional! Linda! ^^

    ResponderExcluir
  7. sen ooor, preciso desse livro pra ontem. que lindo...as quotes, a simbologia...
    preciso ler...e a resenha ficou adorável. <3

    ResponderExcluir
  8. Olá , tudo bem ?
    Nossa sua resenha me deixou bem curiosa , não tinha visto ainda um livro nessa pegada e falando da simbologia das cobras, um animal que me chama muito atenção .
    Concerteza irá para minha lista .
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Não consegui sentir interesse pela leitura, mas confesso que é um assunto bem interessante para quem curte. A cobra chama muita atenção =)

    ResponderExcluir
  10. Nunca li esse livro mas me interessei parece bastante interessante! Agradeço a dica!

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Desconhecia tanto a autora quanto sua obra e fiquei bem intrigada pelo fato de ser uma fantasia que, pelo que pude perceber, nos faz refletir um pouco.
    Os quotes que selecionou e a análise que fez me deixou bem curiosa e anotei a dica para ler no futuro, já que sou apaixonada por fantasia e muitas as simbologias que as serpentes apresentam eu desconhecia.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Não é o tipo de leitura que me agrada, mas adorei sua dica, que além de interessante nos deixa com vontade de ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Poxa Lilian, que surpresa encontrar essa dica por aqui, parece ser envolvente e até mesmo curioso, quem sabe futuramente eu dê oportunidade.
    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Apesar de eu não gostar nadinha de serpentes eu acho ela uma animal divino e adorei conhecer um pouco mais sobre ela baseado na literatura e na mitologia.

    ResponderExcluir
  15. Oi Lilian, não conhecia este livro, e pela apresentação dos contos, sem dúvida é uma ótima leitura. Gostei deste Enquanto o Sono.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  16. Olá, nunca tinha ouvido falar nesse livro e apesar de ter um título muito atrativo, achei tudo um tanto confuso. Não sei se leria, apesar de seus elogios a obra. Bjs

    ResponderExcluir
  17. Parece ser um livro interessante e fiquei curiosa, não sei se é uma obra que me agradaria mas certamente eu leria.

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Me limitava apenas na simbologia que a serpente representa traição baseada nos textos bíblicos. No entanto, encontrei aqui mais informações das quais expandiram meus conhecimentos. Gostei da proposta do livro, quem sabe mais pra frente eu me aventure nesta leitura.
    Abs
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  19. Eu tenho fobia a serpentes e a qualquer relacionada kkk

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Acho muito legal a forma de explicar essas simbologias em meio aos textos, afinal a serpente está ai desde os primórdios. Vale a pena a reflexão.
    Não conheço tão bem a escrita e as obras da autora, lembro que li um livro dela e ainda era na época da escola e lembro algo das aulas de literatura.
    Apesar do tema enriquecido não é uma leitura que me atraí nos dias atuais.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?
    Mais uma vez um livro super interessante. Amo esse blog por me dar a chance de conhecer obras tão maravilhosas, como essa. Fiquei bem intrigada com ela e com a simbologia as cobras. Vou querer ler.

    ResponderExcluir
  22. Oooi, tudo bem?
    Preciso ler esse livre, adorei tida a simbologia! dica mais que anotada!
    beijos

    ResponderExcluir
  23. Olá, tudo bem? Sim, conheço o amplo leque que a simbologia da cobra nos traz. Não conhecia o livro, mas adorei saber que é fantasia e sobre um tema que gosto. Dica anotada!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  24. Oi Lilian.

    No momento eu não fiquei interessada no livro, mesmo gostando da sua resenha e mostrando que ele contém uma narrativa curta e rápida. Vou guardar a dica para ler futuramente, nos momentos que tiver desejando ler textos.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perdoe-me, não compreendi, você só lê imagens?

      Excluir
  25. Olá,

    Não conhecia o livro, mas gostei muito da premissa do enredo e acredito que seria uma boa leitura, principalmente porque sempre tive medo de 'cobras' e tanto é que criei no meu livro, um aspecto com esse símbolo e acho que a leitura iria engrandecer ainda mais o meu pensamento a respeito.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  26. Olá,
    Eu tenho pavor de cobras, mesmo. Não tinha a menor idéia sobre a simbologia e achei algo realmente interessante.
    Achei a proposta do livro bem interessante.
    Dica anotada.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. UAU! Eu adoro a Marina Colasanti e já fiquei encantada por esse livro no título. Lembrei, inclusive, de um outro chamado O evangelho segundo a serpente - MEGA RECOMENDADO! Bah, eu vou colocá-lo na minha lista de leitura, certamente.

    ;*

    ResponderExcluir
  28. Hey!

    Não conhecia o livro, achei super interessante a forma como ela retrata a serpente, inclusive a sua explicação no inicio do post também me trouxe lembranças de vários filmes e livros que já li/vi. Fiquei bem interessada na leitura, dica mais que anotada!

    Bjos. Fonte Literária.

    ResponderExcluir
  29. Olá Lilian, eu não conhecia o livro e nem a autora e pela sua resenha esse é um daqueles livros que a cada texto trás boas reflexões e pesamentos *-* Adorei a dica e a resenha.

    Meu Mundo, Meu Estilo

    ResponderExcluir
  30. Não conhecia este livro, tão pouco o trabalho desta autora, mas sua resenha despertou uma enorme curiosidade em mim. A forma como você descreveu os pontos altos da escrita e da história me deixaram ansiosa por conhecer cada canto deste livro.
    Apesar de nunca tê-lo visto antes, tenho a sensação que já o deveria ter conhecido!

    ResponderExcluir
  31. Olá, tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas parece ser muito bom. Bem interessante ter a explicação das simbologia, mas penso que não é o tipo de livro que eu leria agora, quem sabe mais tarde...
    Beijos

    ResponderExcluir
  32. Oi. Não conhecia esse livro e nunca li nada da autora. Achei interessante o que li sobre a obra, mas não sei se é o suficiente para me fazer adicionar o livro as leituras que pretendo fazer.

    ResponderExcluir
  33. Olá, que obra interessante, não conhecia. Adoro livros que nos diverte e ao mesmo tempo faz com que aprendemos coisas novas.

    Abraços

    ResponderExcluir
  34. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro e apesar dele ter uma premissa intrigante, eu confesso que não é algo que eu quero ler no momento, por essa razão dispenso a dica por agora.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  35. Nossa, parece um livro super poderoso e por ser em contos me deixou mais interessada em ler. É totalmente fora da minha zona de conforto e acho que preciso disso. Vou procurá-lo.

    ResponderExcluir
  36. Olá!
    Não conhecia o livro ainda, mas sua resenha me deixou bem curiosa. Talvez eu não leia já, mas sem dúvida pretendo conferir.

    Beijos

    ResponderExcluir
  37. Oie
    não conhecia a obra mas gostei do que vi aqui no post, parece ser bem interessante e diferente, a dica está mais que anotada

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  38. Olá! Não conhecia a obra, mas apesar de achar o assunto abordado no livro bem interessante, não sei se eu realizaria leitura, pelo menos não no momento. Achei bem legais as citações separadas para a resenha e as reflexões que você fez me deixaram curiosa. Vou anotar a dica para uma possível leitura futura.

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart.

    ResponderExcluir
  39. Olá!
    Não conhecia a autora e nem a sua obra. Não sou de ler livros de contos e nem de textos curtos como você mencionou. Os textos que você disponibilizou na resenha não me chamaram a atenção por isso vou deixar essa dica passar. Mas para quem curte esse gênero deve ser uma ótima leitura.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma