Resenha – A beleza é uma ferida




12 maio 2017



Eka Kurniawan é escritor indonésio e sua obra já é conhecida no mundo, apesar disso, foi meu primeiro contato com o trabalho do autor. Seu livro A beleza é uma ferida, 462 páginas, Grupo Editorial Record, é um convite ao absurdo.

“‘Como é estar morta?’ 
  ‘Na verdade, é bem divertido. Por isto é que as pessoas que morrem nunca optam por voltar à vida.’ 
  ‘Mas você voltou.’ 
  ‘Voltei só para lhe dizer isto.’”

Folclore. Humor. Caos. Violência. Exploração sexual. Morte. Ressurreição. São alguns dos elementos marcantes na obra. Dewi Ayu, prostituta, após o nascimento de sua filha Beleza, que de bela nada tem, resolve deitar e morrer. E assim acontece. Vinte e um anos após seu enterro, ela ressurge do mundo dos mortos e se isso já pode ser bizarro, o autor eleva mais ainda o nível de bizarrice.  

“Numa tarde de fim de semana em março, Dewi Ayu levantou-se do túmulo onde estava enterrada havia 21 anos. Um menino pastor, acordando de uma soneca debaixo de uma pluméria, fez xixi nas calças e gritou, e suas quatro ovelhas saíram correndo feito loucas entre pedras e estelas de madeira, como se um tigre tivesse pulado no meio delas. Tudo começou com um ruído vindo de uma velha sepultura, de lápide sem inscrição e coberta de mata até a altura dos joelhos, mas todo mundo sabia que era o túmulo de Dewi Ayu. Ela morrera aos 52 anos, ressurgiu depois de morta durante 21 anos, e a partir de então ninguém mais soube como calcular exatamente sua idade.”

Após a ressurreição de Dewi Ayu, o passado começa a ser desvendado, e se inicialmente o leitor tem uma confusão de sentimentos em relação a personagem central, não se sabe se ela é louca ou perversa, conforme as páginas vão passando, a sensação pode ser de pena, angústia, mas não quer dizer que a dúvida de ela ser louca ou perversa esvaiu.

A história da mulher mais bonita e cobiçada de Halimunda é permeada de sofrimento, mistérios e conflitos políticos. Ela já nasce da violência. Sua avó fora forçada a ‘servi’ sexualmente um holandês da região, sem alternativa, a mulher deixou seu grande amor, Ma Gegik, um colono da cidade e pediu que ele a esperasse até que o holandês enjoasse dela.

Sofrendo por amor, Ma Gegik passou a fazer as maiores loucuras, tais como fazer sexo com animais e comer as próprias fezes. Da relação forçada com o holandês, a avó de  Dewi Ayu, Ma Iyanh, teve uma filha chamada Aneu. Apesar de bastarda, Aneu foi criada com seu meio-irmão, Henri, o pai e a madrasta. Henri e Aneu se apaixonam e fugiram, assim nasce Dewi Ayu, que passa a ser criada pelo avô.

Na adolescência, devido à Guerra, Dewi Ayu é forçada a se prostituir com outras jovens da região. Entre a necessidade de sobreviver e estupros, ela engravida de sua primeira filha, Alamanda. Depois nascem Adinda e Maya Dewi, todas de pais diferentes e igualmente belas como a mãe.

Por fim, nasce Beleza, dotada de uma feiura tão absurda que a parteira pensou que não fosse uma criança, mas cocô.  Todas essas mulheres e personagens secundários terão seus destinos marcados pela desgraça e horror. Isso faz com que as páginas dessa história comecem a ficar densas, chorosas e até raivosas.


No Tao, de Lao Tse, há uma passagem sobre voltar à natureza originária para que se alcance a constância e, dessa forma, encontrar um glorioso equilíbrio entre os opostos. A beleza é uma ferida traz justamente essa ideia, a necessidade de encontrar a constância para que se retome o equilíbrio. O livro abordará exatamente o processo entre a quebra do equilíbrio, com a avó de Dewi Ayu, o caos, a história Dewi Ayu e os que a cercam, e o retorno do equilíbrio com Beleza, a mulher mais feia. 

34 comentários:

  1. Um livro que trás assuntos delicados que precisam ser falados.
    Mas honestamente o conteúdo da obra não me conquistou.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  2. Olá Lilian, tudo bem? Eu realmente não conhecia o autor nem a obra mas achei muito interessante e algo bem diferente né porq nunca li nada de algum escritor da indonésia. Fiquei muito curiosa! Valeu pela dica!

    ResponderExcluir
  3. Eu já tinha visto o livro mas sabia pouco sobre ele. Gostei muito de conhecer mais sobre a obra através de sua resenha e fiquei interessada em realizar a leitura. Imagino que deva ser bem estranho ela ressurgir depois desse tempo todo mas fiquei curiosa para ver o desenvolvimento da trama.

    ResponderExcluir
  4. Olá Lilian, tudo bem?
    Não conhecia a obra, mas pela sua resenha seu para perceber que trata-se de uma leitura maravilhosa. O fato de abordar temas tabus como morte, ressurreição, sexo, drogas entre outros já torna a obra interessante e a forma poetica como o autor faz isso me deixou ainda mais curiosa por essa leitura. Parabéns pela resenha
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faby, não disse que o livro era maravilhoso e tão pouco que se tratava de drogas, não coloque palavras na boca da resenhista.

      Excluir
  5. Oii, tudo bem?
    Não conhecia o autor, achei bem legal ter morte, ressurreição, etc. Confesso que não li muitas coisas do tipo. Achei a obra bem interessante, trata de temas bem complicados. Apesar de não fazer muito meu tipo de leitura, vou dar uma chance a obra.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Não conhecia o livro, mas fiquei bem interessado no mesmo. Esse aspecto bizarro da obra me agrada bastante, e Dewi Ayu me parece uma personagem bem construída.
    Morri com essa parte "dotada de uma feiura tão absurda que a parteira pensou que não fosse uma criança, mas cocô".

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkk também ri horrores com isso.

      Excluir
  7. Olá,
    Desconhecia a obra e achei bem bizarra mesmo (risos)
    Mesmo você dizendo que o autor já tem seu trabalho conhecido pelo mundo, é a primeira vez que vejo falar da obra.
    Os personagens parecem ser bem construídos e as situações, ao meu ver, são descritas com um certo humor negro e de forma bem crua. Achei a capa bem bonita e pretendo tentar fazer a leitura no futuro.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  8. Oi, eu conhecia o livro só pela capa, e fiquei bem interessada com a origem do autor.
    Dica anotada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Estranha essa história, hein? Não sei se é o estilo que gosto de ler, para mim passa um pouco dos limites do absurdo.
    Beijos
    Mari

    ResponderExcluir
  10. Só pela capa já dá vontade de comprar e ler esta obra, mas esse enredo é de deixar qualquer um de boca aberta... Não sei nem se teria psicológico pra ler um negócio desse, mas vou arriscar com certeza! Amei sua resenha! Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oiiie!

    Que obra intrigante!! Nunca tinha ouvido falar da obra nem autor! Não sei leria, mas parece ser bem diferente

    beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    "Humor. Caos. Violência. Exploração sexual. Morte. Ressurreição. São alguns dos elementos marcantes na obra", sem dúvidas com esses elementos já fiquei animada pra ler, agora o mais fascinante foi ao final da sua resenha onde diz que a obra retrata sobre o equilíbrio, acho tão bom quando a leitura nos promove esse tipo de conhecimento, mesmo em meio a um cenário surreal. Não conhecia esse autor, vou procurar mais sobre!
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  13. Oi Lilian, apesar de você avisar que o livro é dotado de bizarrices, fiquei espantada com o sexo com animais, ou dela comer cocô. Não esperava por isso. A vida não foi nada fácil para estas mulheres. E coitada da Beleza, ser comparada a cocô... Triste, mas engraçado, pelo menos me fez rir neste trecho.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ri muito com tudo isso, tenho certeza que os apreciadores da Psicanálise vão amar esse livro. Principalmente pela questão de comer as próprias fezes

      Excluir
  14. Menina, que livro incrível!!
    Gente, com certeza uma leitura de fôlego! Nossa, dica mais do que anotada, preciso conhecer a história dessas mulheres e saber se a protagonista ficou louca por causa de todos os absurdos pelos quais passou ou se estes foram fruto de sua própria perversidade.
    Ótima resenha! =)

    ResponderExcluir
  15. Oie! Tudo bem?

    Infelizmente não curti nenhum pouco sobre esse livro, não faz meu estilo literário e fiquei bem confusa sobre o que ele se tratava, mas para quem gostar acho que será uma boa leitura, ou não .-. kkk

    Bjss

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Não conhecia o livro e confesso que não leria de jeito nenhum. Gosto de leituras mais leves, rs.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  17. Olá. Pra ser bem sincera, eu entendi muito pouco do livro lendo a resenha. Tantos nomes me deixou muito confusa. Mas deu pra saber um pouco algum dos assuntos e até parece uma leitura interessante, mas vou passar a dica. Apesar de ser um autor conhecido lá fora, infelizmente não me atraiu em nada. :(

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart

    ResponderExcluir
  18. Olá, Lilian!
    Tudo bem?

    Eu conhecia o livro, mas nunca li, parece ser de fato uma bela leitura. Fiquei intrigado com o enredo, pretendo ler no futuro. Adorei a sua resenha sobre A Beleza é uma Ferida!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  19. Oi, tudo bem?
    Bem bizarra a história mesmo, né? Eu fiz a leitura e gostei, achei mediano. A escrita é maravilhosa, e realmente algumas partes bem densas.
    Você explicou bem a mensagem do livro. Bela resenha.

    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  20. Tensa essa parte da vó 'servir' sexualmente.
    No mais, não me interessei pelo livro, bem estranha essa forma de equilibrar as coisas, realmente bem bizarrice.

    Até mais!!
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  21. Oi Lilian.

    Sua resenha foi uma grande novidade, pois não conhecia o livro, mas confesso que lendo sua opinião fiquei um pouco curiosa com a história. A obra parece ser bem interessante e um pouco bizarra por isso vou adicionar na minha lista de desejados, não posso deixar passar de liso uma história dessa.

    Bjos

    ResponderExcluir
  22. Oiiii tudo bem??

    Não conhecia o autor, nem o livro, e que capa maravilhosa, fiquei interessada em ler.
    Adorei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  23. Fiquei dividido, mas estou mais para o lado que leria para conhecer a escrita do autor e por nunca ter lido algo que um Indonésio. Os temas tratados são os que gosto que um livro contenha então é uma ótima dica para mim, abraços.

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Não conhecia a obra, mas de cara fiquei tocada por sua proposta e me deixou um tanto curiosa. Gostei do primeiro quote em destaque. Anotada a dica.
    Abs
    Nizete
    Cia do leitor

    ResponderExcluir
  25. Não tinha o conhecimento da obra. Me parece ser uma leitura desafiadora, com certeza daria uma chance para conhecer a escrita do autor. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  26. Olá tudo bem ?
    Nossa fiquei super afim de ler obra pois trata de muitos temas delicados, só espero não ficar muito confusa na historia devido a tantos acontecimentos .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrsrsrs eu fiquei confusa em alguns momentos, eram tantas informações. Tantos nomes.

      Excluir
  27. Olá!
    Fiquei apaixonada pela premissa do livro. Acho que aborda assim atos tão necessários de serem comentados, e fiquei bem curiosa para realizar essa leitura.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  28. Não conhecia o livro, mas fiquei bem interessado parece ser muito legal.
    Amei sua resenha.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  29. Olá, tudo bem?
    Não conhecia a obra, mas me interessei muito em conhecer a fundo.
    Dica anotada, um beijo.

    ResponderExcluir
  30. Olá!
    Não deve ter sido bem estranho uma mulher ressurgir dos mortos após tantos anos.
    Não conhecia a obra e nem o autor. Gostei do tema abordado no livro. Se tiver oportunidade lerei o livro.
    Adorei a dica.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Curta também:

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma