A Origem – por Lilian Farias




03 agosto 2017
by imagem - carolinanazatto


O amor acabou. Há mais de trinta anos. No verão de 85. De lá para cá, nos acostumamos com as migalhas. Misérias furtivas. Beijo de boa-noite. Beijo de bom-dia. Como foi seu dia? Palavras transmutadas de paixão seca. Não sabia que essas coisas acabavam. Secavam. Evaporavam. É possível que se transformem.

Ontem, tive um ataque de pânico. Quando me dei conta, a origem. O cerne. Bateu a minha porta. Um jardineiro que cuidou. Por mais de trinta anos. De todas as folhas mortas de uma árvore. Como uma formiga teimosa. Impediu que os ventos de outono levassem as folhas secas. Entre a origem, o ontem e o agora. Esta sou eu, um jardineiro teimoso. Um jardineiro a aguar os mortos.


63 comentários:

  1. Desde que ouvi a leitura do texto, ainda estou pensando sobre o assunto.... Adorei!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá adorei o texto, que dom lindo você tem o de escrever, palavras cheias de sentimento, significados e lições. Beijos!

      Excluir
  2. Olá! Tudo bem?
    Parece uma poesia, você escreve muito bem.
    Beijos.

    www.meumundosecreto.com.br

    ResponderExcluir
  3. Delicado. Uma outra faceta da autora Lilian.

    ResponderExcluir
  4. Muito bonita a reflexão,que possamos mudar nossa maneira de ser a cada dia,para sermos melhores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E para sermos livres.
      Obrigada pelo comentário ♥♥♥♥

      Excluir
  5. Oie, tudo bem?

    Amei essa poesia ♥ Você escreve muito bem! Parabéns.
    Com certeza, vou acompanhar.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá!! :)

    Eu gostei muito de ler esta tua produção! :) Eu adorei ficar a pensar e a decifrar o significado escondido do qual ainda não me apercebi! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.wenode.com

    ResponderExcluir
  7. Lilian, que texto maravilhoso! Simples, denso e cheio de significados!! Parabéns!!💖💖💖

    bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Ah Lilian que texto lindo, o amor acabou mesmo na sociedade que estamos, atualmente quando vejo isso fico extremamente abalada. O pessoal costuma passar a fila adiante, não procura mais conversar/consertar algo que poderia render um futuro, ótima postagem.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom. Não sei se a perspectiva do texto é essa. Mas compreendo seu ponto de vista

      Excluir
  9. Que texto mais lindo Lilian!!!
    Apaixonada! Parabéns! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você por aqui. obrigada pela visita e leitura ^^

      Excluir
  10. Que texto lindo! Profundo e reflexivo... Acredito que quase todos nós já fomos um jardineiro a regar folhas mortas um dia.

    ResponderExcluir
  11. Olá Lilian, tudo bem?
    Que texto lindo, que reflexão profunda.
    Owmm tenho que concordar com você!
    O amor acabou. Hoje ele é tão passageiro, ou talvez as pessoas não saibam amar.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, nem sei se o eu lírico discorre sobre isso. Mas se é a sua interpretação, também é válido.

      Excluir
  12. Oi Lilian há vários formas de ficarmos paradas em meio ao amor que terminou, e com isso acabamos deixando nossa vida ir embora. Lindo texto.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, Obrigada pela interação. Concordo com você.

      Excluir
  13. Oi,
    Adorei o texto.
    Tem muito sobre o que pensar. Na rotina, no costume, nas atitudes, nas mudanças e falta delas.
    Parabéns.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Adorei o texto, tem muito talento!
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Olá Lilian!
    Você tem um jeito bem especial de escrever suas poesias. Fico lendo e relendo, como se tivesse tentando entrar na sua cabeça e decifrar o que fez criar algo tão bom...hehehe.
    As vezes passamos tempo demais tentando entender algumas perdas, quando poderíamos seguir em frente né. A vida, o tempo passa, mas também compreendo que esse tempo de reflexão e amadurecimento é bom. Sempre tiramos bons aprendizados, mesmo em meio a dor.
    Lindo texto!
    Parabéns pelo trabalho.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você fez um comentário lindo, que me emocionou, Obrigada. Concordo com você em tudo, é preciso comer muito sal para lapidar o diamante ♥♥♥♥♥

      Excluir
  16. Oi, tudo bem?
    Você sempre encanta com a sensibilidade das palavras.
    Acredito que o tempo e a rotina sempre desgastam os relacionamentos, mas em alguns casos é possível reverter e em outros não. Nesses casos em que já não tem como salvar a relação, o melhor é entender o fim do ciclo e dar espaço para que um novo se inicie.
    Adorei o texto e a reflexão!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ouwnnnn sua fofa, Obrigada. Concordo com você. Tem horas que acaba e ponto. É necessário abrir espaço para coisas novas

      Excluir
  17. Olá!!! Tão lindo seu post !!! Muito bom continuar acompanhando
    e lendo suas poesias !!! parabéns !!!
    bjo

    ResponderExcluir
  18. Uau Lilian, que coisa linda esse texto. Fui me conectando com o narrador e me sentindo com ele. Amei!!! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gleyse. Saudade de tu, moça. Obrigada pelo comentário. Sim. Também me senti como o narrador. Pensei no desapego 💙💙💙💙

      Excluir
  19. Oie
    Que maravilha de texto, adorei como foi fácil de se acompanhar e se sentir conectada assim como o pessoal achou, realmente é algo cativante

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Olá!

    Adorei o texto, muito profundo, reflexivo e necessário. Parabéns pelo blog e pela missão de espalhar mensagens desse tipo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Uma narrativa bem forte e poética, algo misturando modernismo e realismo mágico. Gostei, muito bonito.

    ;*

    ResponderExcluir
  22. Olá, tudo bem?
    Quês palavras ricas! Você escreve muito bem, parabéns
    Beijos.

    ResponderExcluir
  23. De certa forma somos todos jardineiros. Mas duas coisas me deixaram de cabelos de pé: o ano de 1985 é o mesmo em que casei e uma árvore foi sempre uma metáfora da nossa relação, minha com a Dulce, desde o começo do namoro. Sempre dissemos que para nossa relação durar precisaríamos cuidar da "árvore", regá-la, adubá-la, cuidar das flores pra que virassem frutos e, as vezes, podá-la. Isso estava em um dos primeiros bilhetinhos românticos que escrevi pra ela quando eu tinha 16 e ela 14 anos, no começo do namoro. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bonitinho. Vocês se conheceram bem jovens

      Excluir
  24. Um dos meus medos é de o amor acabe e que ainda não tenha se transformado em outra coisa. Uma coisa boa. Eu sei que a humanidade tem exalta muito o amor. Mas acho que há outros sentimentos importantes a ser cultivado pelo jardineiro.


    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Lindo o texto! Sou um jardineiro teimoso também! Esse texto me fez pensar no meu casamento e em como o amor se não bem cuidado, evapora! Insisto todos os dias no meu casamento e amor! Lindo

    ResponderExcluir
  26. Oi Lilian! Belo texto, muito profundo e metafórico também. Muitos amores "secam" como as folhas de uma árvore morta.

    ResponderExcluir
  27. Heeeey!
    Que texto bacana, muito reflexivo e real.
    Ameeeeeeei <3

    Beijos e até a próxima.

    ResponderExcluir
  28. Lili, mlr. tu me deixa despedaçada com essas coisas TT_TT
    continue assim, quero ler mais e mais HAUHSUAHSUhsuaHUSH <3

    ResponderExcluir
  29. Que textinho mais lindo, adorei! Me identifico tanto com essas coisinhas, agora vou ali chorar um pouquinho...

    hahah beijos! <3

    ResponderExcluir
  30. Que lindo seu poema, meio melancólico mas não deixa de ser sensível.
    Beijos

    ResponderExcluir
  31. Oi! Que ótimo texto para refletir. Para nos mostrar que não devemos deixar o relacionamento sem cuidado, afeição.
    Parabéns pelas palavras nesse belo texto. Beijos.

    https://almde50tons.wordpress.com

    ResponderExcluir
  32. Adoro esses textos! Simplesmente lindo. Vou passar para umas amigas lerem também!

    ResponderExcluir
  33. Olá Lilian, tudo bem?

    Eu costumava escrever assim como você, de forma pausada, no tempo em que o texto vinha. Mas minha criatividade se fora há alguns bons anos. Parabéns!

    Beijos

    ResponderExcluir
  34. Lilian, que belas palavras.
    Um belo texto e de muita reflexão.
    Muito lindo mesmo, fiquei encantada.

    ResponderExcluir
  35. Nossa, achei um texto com alto potencial de tocar o leitor! Gostei muito! Parabéns!

    ResponderExcluir
  36. Olá, adorei o texto, parabéns!
    Adoro textos que fazem a gente pensar.

    Sucesso!

    ResponderExcluir
  37. O texto é bem intenso, bonito, reflexivo e bem escrito. Gostei muito mesmo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  38. Olá Lilian, amei seu texto, apesar de ter uma delicadeza ele é ao mesmo tempo intenso *-*

    ResponderExcluir
  39. Que lindo Lilian! Sempre muito inspirada e seus textos sempre nos faz identificar.
    Bjos
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  40. Você tem o dom da palavra com sentimento e reflexão minha nossa, parabéns. Eu ainda estou aqui pensando o que sentir e achar dessas palavras.

    Beijos

    ResponderExcluir
  41. Que lindo. Bem tocante, e profundo. Mas confesso que não entendi muito bem.

    ResponderExcluir
  42. Que lindo! Quero ser jardineira também e cultivar amores, mesmo os transformados.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  43. "palavras transmutadas de paixão seca" wow!!! que lindo. as vezes sinto que sou jardineira teimosa também.. fico gastando minhas forças e energias em sentimentos, relações ou conexões que já morreram... será que há solução para esse dilema?? hahaha quero cuidar de flores vivas e lindas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Isabela.

      Às vezes, também me sinto como a personagem do texto, teimosa e tentando alimentar o que já morreu. Talvez faça parte da vida e tornar isso consciente pode ser um caminho.
      Obrigada pelo comentário 😙😙😙😙😙😙

      Excluir
  44. Olá, tudo bem? Belo texto para reflexão! Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma