Header Ads

Três poemas para amar René Char




“O poema é sempre nupcial”

René Char (1907 - 1988) nasceu na França em Isle-sur-la-Sorgue, sua vida noturna possibilitou que conhecesse o movimento surrealista francês do qual fez parte até 1934. Durante a Segunda Guerra Mundial, entrou para Resistência Francesa contra os Nazistas. Solitário, após romper com o surrealismo, não participou de nenhum movimento poético, conferindo liberdade mística às palavras. Apesar de um herói da resistência, René Char ainda tem pouco destaque no Brasil.  


PRESENÇA COMUM

você tem pressa de escrever
como se estivesse em atraso com a vida
se for assim corteje suas fontes
corra
corra para contar
sua parcela de maravilhoso de rebelião de generosidade
de fato você está em atraso com a vida
a vida inexprimível
a única à qual você aceita se unir enfim
que lhe é recusada a cada dia pelos seres e pelas coisas
da qual custosamente obtém alguns fragmentos extenuados
ao cabo de combates impiedosos
fora dela tudo não é mais que agonia submissa fim áspero
se encontrar a morte durante seu labor
receba-a como a nuca suada se alegra com o lenço árido
inclinando-se
se quiser sorrir
ofereça sua submissão
jamais suas armas
você foi criado para momentos pouco comuns
modifique-se desapareça sem pesar
sob o desejo do rigor suave
rua após rua a aniquilação do mundo continua
sem interrupção
sem desvario

disperse a poeira
ninguém desvendará sua união.


DIZ...

Diz aquilo que o fogo hesita a dizer,
Sol do ar, claridade que ousa,
E morre porque o disseste por todos.


COMUNHÃO FORMAL

A imaginação consiste em expulsar da realidade várias pessoas incompletas utilizando as potências mágicas e subconscientes do desejo, para obter o seu retorno sob a forma duma presença inteiramente satisfatória. E é então que nos encontramos no inextinguível real incriado.
O que faz sofrer mais o poeta nas suas relações com o mundo é a falta de justiça interna. O vidro-cloaca de Caliban por detrás do qual os olhos todo-poderosos e sensíveis de Ariel se irritam.

O poeta transforma indiferentemente a derrota em vitória, a vitória em derrota, imperador pré-natal unicamente preocupado com a colheita do azul.

30 comentários:

  1. Poemas lindos, bem escrito e que ensina a que já gosta de rascunhar suas próprias poesias ou pensamentos. Adorei!

    ResponderExcluir
  2. Olá linda,

    Não conhecia esse poeta, mas gostei bastante de saber que ele tinha uma luta interna contra aquilo que parecia inquietante e revoltante diante o mundo.
    Realmente sempre estamos em guerra com o que deixamos adormecido, mas que parece querer acordar para ganhar vida e importância diante os dilemas.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também não sabia que ele tinha uma luta interna.

      Excluir
  3. Que delicia e poemas Lilian, fiquei apaixonada e não conhecia o trabalho do autor, é de deixar qualquer leitor animado pra ler mais.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    Não conhecia esse autor,depois vou da uma pesquisada sobre ele.

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?
    Não conhecia o autor,depois prentedo da uma pesquisada para saber mais sobre ele. Bjs

    ResponderExcluir
  6. Tão importante e tão pouco conhecido, né? Eu mesma não sabia sobre ele e fiquei conhecendo aqui.

    ResponderExcluir
  7. Gostei da forma que ele apresenta a vida. Como faz a sensação deslizar pelo texto, buscando e produzindo simplicidade. Forma belíssima de trazer a temporalidadé da existência.

    ResponderExcluir
  8. Adoro poesias, e obviamente adorei esse poemas. O modo como ele escreve me faz refletir sobre o mundo em que vivemos.

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia a obra do poeta. Gosto muito de vir ao seu blog, porque conheço obras e autores novos, principalmente poetas. já que sai um pouco da minha área de conforto.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  10. Oi.
    Tudo bom?
    Não conhecia o poema e mesmo sem gostar muito do gênero eu gostei, principalmente vendo como ele apresenta a vida e sua luta interna.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. que lindo esse post. nao conhecia Rene Char e já me empolguei pra saber mais a respeito dele. :D
    como sempre, trazendo posts maravilhosos pra cá. por isso amo esse blog. <3

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Infelizmente eu não curto muito poesia, o que é uma pena, mas gostei bastante de conhecer Rene, sua vida e um pouco de sua obra.
    Parabéns pela resenha.

    Beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  13. Oiê!
    Confesso que sou uma das pessoas que não fazia ideia de quem é René Char e fiquei muito feliz pela oportunidade de conhecê-lo e realmente adorei os poemas compartilhados aqui. Vou pesquisar mais acerca da vida e obra dele. <3
    Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  14. Oi.
    Não conhecia o autor e adorei o fato de você ter incluído a bio dele. No caso de poemas acho essencial para conseguir interpretar.
    Adorei os poemas e as reflexões suscitadas.
    Beijos,

    ResponderExcluir
  15. Oi, Lilian. Eu amo poemas e estou sempre em busca de leituras que me agradem. Eu não conhecia o René Char e adorei a sua indicação, obrigada!

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem Lilian?

    Eu não conhecia esse poeta, é uma novidade para mim e isso me alegra, pois você consegue trazer pelos poemas e poesias, ao mesmo tempo nos traz novidades.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Pelo visto isso é bem comum né, poucos poetas tem reconhecimento aqui no nosso país, mas o que me chama atenção é a forma como consegue por em versos seus sentimentos e conflitos internos.
    Gostei de conhecer mais desse poeta francês.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  18. Olá, acho que ainda não conhecia o autor, gostei de saber um pouco sobre ele e de conferir três dos seus textos.

    ResponderExcluir
  19. Poesia é uma coisa linda né!
    Muitas pessoas podem ler e cada uma delas vai se ater a alguma parte ou ter uma interpretação diferente e bem pessoal! Adorei o post! Beijos,
    Overdose Literária - Paula Juliana
    https://overdoselite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Olá! Ainda não conhecia o autor ou a obra.
    Muito bom você compartilhar aqui no blog.
    super bjoo

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Não conhecia o autor,sou bem alheia ao mundo da literatura,o pouco que sei aprendi na escola.
    Por ser frânces e pouco conhecido nunca tinha visto nada.
    Foi bom poder conhecer algo diferente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Oiii!

    Por não ler muito poemas, não estou tão ligada com os autores e seus feitos.
    Gostei de conhecer tanto a vida quanto um pouco da obra do autor.
    Comunhão Formal foi o que eu mais gostei.

    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  23. Oie
    eu não tenho o costume de ler poema mas que legal conhecer o autor e um pouco de seu talento, gostei bastante e fiquei curiosa por mais, pesquisarei mais sobre ele, obrigada pelos lindos poemas que compartilhou com a gente

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Olá!

    Não curto muito poemas, mas admito quem os escreve, e esse então, é digno de aplaudir de pé! Não o conhecia, mas com certeza vou pesquisar mais sobre ele. Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  25. Olá!
    Não sou muito de ler poemas, mas acho lindo a leve de alguns e os tapas que outros dão rs'
    gostei de conhecer!

    beijos!
    http://blogdatahis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Oi, tudo bem? Não conhecia o autor mas gostei bastante das suas escolhas. Alguns poemas são incógnitas e nos fazem pensar sobre qual era o pensamento do autor no momento da escrita. Esse exercício é muito interessante. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  27. Não conhecia o Rene e estes 3 poemas que você apresentou são bons, me fazendo pensar em outras obras do autor, e o que o levou a escrever estes.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  28. Olá,
    Não conhecia o autor, ainda mais por entender tão pouco de poemas.
    Mas acho interessante que algo escrito há tanto tempo tenha ainda efeito nos dias atuais.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  29. Salve René Char e sua forma única de fazer poesia, sentido o que escrevia.
    P.S.: não posso deixar de rir de alguns comentários, medo...

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma